Maior usina solar integrada a um edifício da América Latina é inaugurada em SC

Projeto custou R$ 9,5 milhões e irá fornecer energia a localidades próximas ao complexo

A sede administrativa da central elétrica Eletrosul passou a ser também a maior usina solar integrada a um edifício da América Latina. A estrutura, instalada em Florianópolis, tem 8,3 mil m² e é capaz de produzir até 1,2 gigawatt-hora (GWh) por ano.

Apelidado como Usina Megawatt Solar, o complexo foi erguido sob o custo de R$ 9,5 milhões, em uma parceria entre a distribuidora e governo alemão. Com 4,2 mil módulos fotovoltaicos, o sistema será capaz de abastecer 1,8 mil pessoas - aproximadamente 540 residências.

A energia obtida por meio da nova usina ficará conectada às centrais de distribuição da região, sendo usada localmente. Também será possível para empresas e consumidores livres participarem de leilões para comprar energia limpa, obtendo um selo de garantia. 

Todas as iniciativas em torno da Megawwatt Solar, de acordo com os idealizadores do projeto, têm a intenção de incentivar moradores e empresas a fazerem uso de energia solar, que é renovável e limpa.

Veja também:
-Estratégia de governo atrai investimentos em energia solar para o Chile
-A realidade é solar


 

Comentários  

 
0 #1 2014-07-02 09:00
O Brasil merece investimentos da área, a Petrobras deveria dar olhares para a Energia Solar.
Citar
 
 
0 #2 2014-07-02 10:34
Fico feliz com esta notícia, finalmente a energia fotovoltaica esta começando a crescer, o potencial é de sermos os maiores geradores de energia solar do mundo, temos sol em abundância. O que fico "triste", é porque é preciso um outro país investir nesta área, e nosso governo fica inerte! Cadê os incentivos?
Citar
 
 
0 #3 2014-07-02 13:48
Ok
Citar
 
 
+1 #4 2014-07-02 18:05
Acho muito bacana essas iniciativas, porém precisamos de iniciativas baratas para uso residêncial.
Citar
 
 
0 #5 2014-07-07 14:39
A preocupação se dá sempre a curto prazo... Porque não divulgam que o rendimento máximo deste tipo de captação não supera os 28%? Que a sua vida útil é de dez anos (depois decai significativame nte a produção até 15 anos)? Por que não divulgam que estas placas poluem deste a sua fabricação até o descarte - até porque não são recicláveis e são fabricadas com metais tóxicos? Porque há outros interesses nisso...
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail