Produtos químicos podem causar obesidade


Os “obesogênicos” engordam, mas não são comida

E você achando que só engordava por conta da comida. Os obesogênicos, termo criado pelo pesquisador Bruce Blumberg da Universidade da Califórnia, são produtos químicos encontrados em embalagens de alimentos, no teflon das panelas antiaderentes, em produtos de beleza e sabonetes, dentre outros, que podem colaborar com a obesidade de adultos e crianças.

Estudos realizados em animais apontam que a exposição de fetos e filhotes a alguns desses compostos pode causar problemas durante o desenvolvimento do sistema endócrino, favorecendo o desenvolvimento das células do tecido adiposo.

Em outro estudo publicado na revista Environmental Health Perspectives, pesquisadores descrevem a presença de obesogênicos nos corpos de gestantes, que podem passar essas substâncias químicas aos seus filhos. Isso favoreceria o desenvolvimento de obesidade. Saiba mais sobre outros riscos a que as grávidas estão expostas em nossa matéria especial sobre o assunto.

A exposição de adultos aos obesogênicos causa o mesmo problema, mas em menor escala. Crianças pequenas e fetos estão ainda em estágios de desenvolvimento do corpo, o que faz com que qualquer problema durante esse processo os acometa por toda sua vida. Os adultos, com seus corpos já desenvolvidos, mesmo não estando livres, estão menos suscetíveis a essas mudanças.

Abaixo listamos os principais suspeitos de serem possíveis obesogênicos:

-Pesticidas: estudos já demonstram uma relação direta entre a obesidade infantil, e pesticidas organoclorados, e organofosforados. Além do problema com o peso, os organofosforados estão ligados à leucemia em crianças;

-Bisfenol A: esse composto é utilizado em plásticos rígidos como tábuas de corte, CDs, DVDs, escovas de dentes, mamadeiras e até mesmo em papéis termossensíveis como os de fax e até mesmo os comprovantes de cartão de crédito. Ele favorece o desenvolvimento das células de gordura e resistência à insulina. Saiba mais sobre o BPA em nossa matéria especial sobre o assunto;

-Ftalatos: são utilizados de duas maneiras. A primeira é para deixar produtos plásticos como brinquedos, garrafas plásticas, vinil e pisos mais maleáveis. A segunda é como solvente e conservante de odor em produtos cosméticos como perfume. Estudos relacionam o composto ao desenvolvimento de obesidade e diabetes;

-Teflon: o material utilizado para garantir a antiaderência de panelas é, segundo pesquisadores, não só responsável pelo desenvolvimento de obesidade em bebês, mas também por infeções e asma;

-Bifenil policlorado: além de ser um poluente orgânico persistente - POP, o PCB, utilizado como retardante de chamas, pode estar presente em alimentos contaminados como carne, peixes e derivados de leite e, segundo pesquisadores, também é associado à obesidade. Eles contaminam os animais através do processo de bioacumulação. O PCB que não é descartado corretamente chega à rios e lagos, onde contaminam peixes e microorganismos. Ao se alimentar desses animais, ou beber a água desses rios e lagos, animais maiores, a exemplo do próprio humano, também se contaminam. Estudiosos acreditam que a os alimentos são a principal forma de exposição do homem a esse poluente;

-Soja: esse é um exemplo curioso, já que a soja e seus produtos derivados têm pouca gordura e fazem bem a saúde. Mas estudos mostram que isoflavonas, como daidzeína e a genisteína, presentes no grão e normalmente utilizadas em repositores hormonais, estão ligadas ao desenvolvimento de obesidade em crianças e bebês.

Evitando os riscos

A ideia é evitar ao máximo possível os produtos que contêm esses tipos de compostos químicos. Para evitar os pesticidas, sempre prefira comer frutas, legumes e verduras orgânicas.

Você também não precisa jogar fora suas coleções de CDs e DVDs. Comece a investir em mídias digitais para substituir as mídias físicas. Troque aos poucos itens plásticos que possuam equivalentes produzidos com outro tipo de material. Um bom começo é trocar sua tábua de corte de plástico por uma de madeira, além de evitar ao máximo o contato com os diversos tipos de papel termossensível, como recibos e extratos bancários, papéis de fax e comprovantes de cartão de crédito.

A informação é muito importante. Leia as embalagens dos brinquedos das crianças e compre apenas produtos certificados pelo Inmetro. Informe-se se piso aplicado na sua residência leva ftalatos em sua composição. Para saber quais cosméticos possuem ftalatos ou qualquer outro composto químico tóxico, leia nossa matéria especial sobre como ter acesso à composição desse tipo de produto.

Não se desespere se suas panelas são revestidas com teflon. Mas quando perceber que a superfície antiaderente está arranhada ou se soltando a substitua o quanto antes e a substitua optando por produtos isentos deste tipo de substância.

Para evitar a contaminação por PCB eventualmente presente em carnes, peixes e derivados de leite, inclua mais frutas, legumes e verduras orgânicas em sua dieta.

Como as isoflavonas presentes na soja parecem afetar mais as crianças, evite os produtos derivados do grão tanto durante a gestação, quanto durante a alimentação dos bebês e consulte um nutricionista ou um pediatra sobre alternativas.

Então, lembre-se: antes de reclamar do seu médico, nutricionista ou dizer que não consegue emagrecer de maneira nenhuma, pense nos obesogênicos e nos problemas causados por eles. Claro, também não exagere e coloque toda a culpa nessas substâncias, mas saiba que elas podem estar em seu organismo e serem uma barreira a mais para quem deseja perder peso.

Veja também:
-Estudos apontam grau de influência das alterações climáticas sobre a obesidade
-Valorize sua dieta com 18 dicas simples e realistas para um cotidiano mais saudável
-Açúcar: o mais novo vilão da saúde


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail