Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Unicórnios existem? Aprenda mais sobre o saola, o animal considerado “unicórnio asiático”

O saola, também conhecido por boi-de-Vu-Quang, é um bovino da espécie Pseudoryx nghetinhensis nativo do Vietnã que foi descoberto em 1992 em uma reserva em Laos. A espécie entrou na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza em 2006 — um nível de entrar em extinção.

Embora tenha dois chifres, o saola foi apelidado de “unicórnio asiático” por ser uma raridade. De acordo com a Saola Foundation, é estimado que a espécie tenha apenas 50 animais vivos. Cientistas e especialistas estão fazendo o possível para encontrar mais desses animais e encaminhá-los para zoológicos e centros de reprodução. 

Existem alguns casos relatados de captura desses animais, onde eles morreram semanas após serem resgatados por humanos. É possível que a causa da morte seja alimentação inadequada. 

Os saolas se alimentam de folhas de figo, arbustos de margens de rios e ervas e grama do nível do solo.

Descobrimento

Seu descobrimento ocorreu em 1992 e foi considerado “uma das descobertas zoológicas mais espetaculares do século 20” pela WWF. Ela aconteceu quando um grupo de pesquisadores da WWF e da agência de controle florestal do Vietnã encontraram um crânio de saola na casa de um caçador. 

A espécie nunca foi encontrada na natureza por um biólogo, apenas seus traços e carcaças foram estudados até agora. Os seus registros são escassos e o último ocorreu em 2013 por câmeras escondidas na folhagem de árvores

Aparência

O animal é de característica similar aos antílopes, porém, é considerado bovino. Ele apresenta dois chifres paralelos que podem alcançar até 50 centímetros de altura, e é presente tanto em fêmeas quanto em machos da espécie. Outra característica que o diferencia de outros animais são suas marcas brancas ao longo do rosto. 

Extinção

A maior ameaça para o saola são a caça e a perda de habitat. Caçadores que estão à procura de outros animais, como javalis e veados, também pegam saolas em suas armadilhas. Porém, os chifres do saola também são vistos como troféus para a população local, o que incentiva sua caçada. 

Essa espécie está em perigo crítico de extinção e diversas organizações estão à sua procura para tentar diminuir o risco. 

Programas contra extinção 

Algumas organizações internacionais trabalham para salvar a espécie da extinção. A Saola Foundation, por exemplo, além de fazer o estudo de DNA de qualquer material genético encontrado, apoia o plano da União Internacional para a Conservação da Natureza. O plano envolve rastrear e capturar os animais para que eles sejam levados para centros de reprodução. 

A WWF trabalha principalmente com o fortalecimento e estabelecimento de áreas protegidas onde os saolas vivem. A organização ajudou a melhorar a gestão da Reserva Natural Vu Quang, onde as primeiras espécies de saola foram encontradas, além de estabelecer outras reservas no Vietnã e na fronteira de Laos.