Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O longa-metragem argentino “Piedra Sola”, de Alejandro Telémaco Tarraf, é o grande vencedor da Competição Latino-Americana da 10ª Mostra Ecofalante de Cinema

O longa-metragem argentino “Piedra Sola” é o grande vencedor da Competição Latino-Americana da 10ª Mostra Ecofalante de Cinema. Dirigido por Alejandro Telémaco Tarraf, o filme retrata um pastor de lhamas nas profundezas da Puna argentina que, ao buscar a trilha de um puma invisível que está matando seu gado, é conduzido a um encontro místico entre seus ancestrais e a forma mutável do puma. A obra foi premiada com o troféu Ecofalante e R$ 15 mil na noite deste sábado, 11 de setembro, na Cerimônia de Encerramento do festival, que foi transmitida ao vivo pelo Youtube.

Para o júri da Competição, composto por Cristina Amaral (montadora), Junia Torres (antropóloga e documentarista), Mário Branquinho (diretor do CineEco Seia) e Takumã Kuikuro (cineasta), “Piedra Sola” os impressionou “pela qualidade cinematográfica e sobretudo pela fotografia, que nos apresenta uma humanidade totalmente imersa no mundo natural”. Segundo eles, “o filme resulta de uma marcada competência na proposta de atuação da própria comunidade indígena, filmando e ensinando não apenas o seu cotidiano, mas a dimensão ainda mais complexa, que nos permite pensar a questão ambiental de forma mais profunda ainda”.

O prêmio do júri de Melhor Curta foi para “Aká”, de Adolfo Fierro e Juan González. Neste curta mexicano, Adolfo, um jovem rarámuri, se torna o primeiro cinegrafista de sua cidade ao documentar como sua comunidade foi desaparecendo. O filme ganhou o troféu Ecofalante e R$ 5 mil de prêmio.

O júri concedeu menção honrosa aos longas “Luz nos Trópicos”, de Paula Gaitán, “Era Uma Vez na Venezuela”, de Anabel Rodriguez, e “Edna”, de Eryk Rocha, e aos curtas “Mineiros”, de Amanda Dias, e “Topawa”, de Kamikia Kisedje e Simone Giovine. Já a escolha do público entre os longas foi “Mata”, de Fábio Nascimento e Ingrid Fadnes, e entre os curtas “Tapajós Ameaçado”, de Thomaz Pedro.

Concurso Curta Ecofalante 

O júri do Concurso Curta, composto por Camila de Moraes (cineasta), Julia Katharine (cineasta e atriz) e Lucia Monteiro (professora, crítica e curadora de cinema) escolheu como melhor filme “Quarentena Pra Quem?”, de Laís Maciel e Isabella Vilela. O documentário, que traz a visão de três trabalhadores que não pararam de trabalhar durante a pandemia, ganhou o troféu Ecofalante e R$ 4 mil de prêmio.

O curta “Àprova”, dirigido por Natasha Rodrigues, recebeu menção honrosa do júri. Já o prêmio do público foi para “Remanescente”, de João Victor Avila.

Prêmios do Público

Em 2020, a Mostra Ecofalante instituiu dois novos prêmios escolhidos pelo público: Melhor Filme do Panorama Internacional Contemporâneo e Melhor Longa-Metragem da Mostra.

Nesta edição, “Dope Is Death: A Outra Luta dos Panteras Negras”, de Mia Donovan, foi o vencedor no Panorama Internacional Contemporâneo, enquanto “A Bolsa ou a Vida”, de Silvio Tendler, foi escolhido como o melhor longa do festival. 

10ª Mostra Ecofalante de Cinema – Lista de Premiados

10ª MOSTRA ECOFALANTE

Prêmio do Público – Melhor Longa-Metragem

A BOLSA OU A VIDA, de Silvio Tendler (Brasil, 2021, 102′)

PANORAMA INTERNACIONAL CONTEMPORÂNEO

Prêmio do Público

DOPE IS DEATH: A OUTRA LUTA DOS PANTERAS NEGRAS, de Mia Donovan (EUA, 2020, 79′)

COMPETIÇÃO LATINO-AMERICANA

Prêmio do Júri – Melhor Longa-Metragem

PIEDRA SOLA, de Alejandro Telémaco Tarraf (Argentina, 2020, 72′)

Prêmio do Júri – Melhor Curta-Metragem

AKÁ, de Adolfo Fierro e Juan González (México, 2020, 28′)

Prêmio do Público – Melhor Longa-Metragem

MATA, de Fábio Nascimento e Ingrid Fadnes (Brasil, 2020, 79′)

Prêmio do Público – Melhor Curta-Metragem

TAPAJÓS AMEAÇADO, de Thomaz Pedro (Brasil, 2021, 24′)

Menção Honrosa do Júri – Longa-Metragem

LUZ NOS TRÓPICOS, de Paula Gaitán (Brasil, 2020, 260′)

ERA UMA VEZ NA VENEZUELA, de Anabel Rodríguez (Venezuela, Reino Unido, Áustria, Brasil, 2020, 99′)

EDNA, de Eryk Rocha (Brasil, 2021, 64′)

Menção Honrosa do Júri – Curta-Metragem

MINEIROS, de Amanda Dias (Brasil, 2020, 23′)

TOPAWA, de Kamikia Kisedje e Simone Giovine (Brasil, 2019, 7′)

CONCURSO CURTA ECOFALANTE

Prêmio do Júri – Melhor Curta Ecofalante

QUARENTENA PRA QUEM?, de Laís Maciel e Isabella Vilela (Brasil, 2020, 22′)

Prêmio do Público

REMANESCENTE, de João Victor Avila (Brasil, 2019, 25′)

Menção Honrosa do Júri

ÀPROVA, de Natasha Rodrigues (Brasil, 2020, 16′)