Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Se preferir, vá direto ao ponto Esconder

Por MapBiomas Cientistas especializados e a Rede MapBiomas criaram um grupo de trabalho para mapear informações do solo brasileiro e deixar os dados para livre acesso ao público em geral. Atualmente, a maioria dos dados sobre solos no Brasil é publicada em revistas científicas, dissertações e teses ou não está disponível para uso do público. Isso, segundo o grupo, dificulta e impede a reutilização de dados e suas aplicações práticas.

“A criação deste grupo de trabalho, que reúne especialistas de várias áreas do conhecimento, com destaque para cientistas do solo, geógrafos, cientistas ambientais e cientistas de dados, visa, a partir do levantamento do estado-da-arte sobre o conhecimento dos solos no Brasil e de novas estratégias de mapeamento baseadas em dados de sensoriamento remoto e modelagem estatística e ecossistêmica, contribuir para a compilação e acesso facilitado à dados e informações, bem como para a geração de novos mapas em uma perspectiva temporal e com grande nível de detalhe espacial”, explica Laerte Guimarães Ferreira, do Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento da Universidade Federal de Goiás (Lapig/UFG) e coordenador da equipe da Pastagem no MapBiomas.

O grupo de trabalho, chamado no MapBiomas de GT Solos, atualmente é formado por pesquisadores da Rede MapBiomas, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR, http://www.utfpr.edu.br/) e da Universidade de São Paulo (USP, http://www.esalq.usp.br/), além de outras universidades públicas brasileiras.

Entre os objetivos do grupo estão os de resgatar dados e amostras de solo para melhorar a cobertura espacial e temporal de dados abertos de solo no Brasil, além de promover o desenvolvimento de mapas de propriedades do solo no Brasil.

“Agricultores, técnicos e pesquisadores já produziram muitos dados do solo brasileiro. Com esses dados abertos poderemos reconstituir a história de nosso solo e conhecer os efeitos do seu uso desde a metade do século XX”, completa o professor Alessandro Samuel Rosa, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e que participa do GT Solos.

Os primeiros mapas e dados disponíveis na plataforma do MapBiomas serão lançados ainda este ano. 

O MapBiomas

MapBiomas é uma iniciativa muti-institucional que envolve uma rede colaborativa formada por universidades, ONGs e empresas de tecnologia dedicada a mapear as transformações na cobertura e uso da terra no território brasileiro. Todos os dados e métodos produzidos pelo MapBiomas são disponibilizados de forma aberta e gratuita para todos os públicos. Para saber mais acesse: http://mapbiomas.org.