Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Animais são encontrados cimentados pelo sal nas margens do Lago Natron

No norte da Tanzânia, há um exemplo de que a natureza, além de ser fascinante, pode também ser um pouco aterrorizante. O Lago Natron é um ambiente hostil a certos tipos de animais por ter água salgada e alcalina que alcança 60°C e possui um pH muitíssimo elevado (entre 9 e 10,55). O culpado disso é o estratovulcão Ol Doinyo Lengai, um tipo de vulcão raro na natureza que emite lavas carbonatíticas. Auxiliadas pela chuva, as cinzas do vulcão caíram no lago, levando à criação de um tipo diferente de sal com relação aos existente nos mares. Ele deixa uma mistura de sais e minerais (chamada natrão, substância usada pelos egípcios no processo de mumificação) quando a água evapora.

Quando algum animal cai no lago, seja por tentar atravessá-lo ou por não ter a percepção da proximidade (devido ao reflexo), ele tem dois destinos: ou acaba decomposto em suas águas ou, com a evaporação rápida da água devido à alta temperatura, acabam nas margens do lago, revestidos de sal – mas o aspecto é bem preservado, apesar de seco. Foi em uma de suas viagens que o fotógrafo Nick Brandt encontrou essas estátuas “cimentadas pelo sal”. De acordo com um e-mail do fotógrafo ao NBC News, ele as colocou em posições comuns a pássaros vivos, a fim de “trazê-las de volta à vida”.

Apesar do ambiente hostil, o Lago Natron possui algas, invertebrados e alguns peixes nas regiões menos salgadas, além de ser o único local regular no qual os flamingos-pequenos procriam. São justamente essas condições árduas que os permitem acasalar e, quanto mais salgada a água, maior a quantidade de cianobactérias que serve de alimento para eles. Mesmo nos melhores anos, não são todos que conseguem sobreviver.

Lago Natron

Confira mais fotos de Nick Brandt abaixo:

Aves transformadas em sal
Morcego transformado sal

Imagens: Nick Brandt

Veja também: