Oito causas da queda de cabelos

eCycle

Causas da queda de cabelos podem ser mais profundas do que você imagina

queda de cabelos

Queda de cabelos é mais comum do que muita gente imagina. Entretanto, perder cabelos pode ser devastador para homens e mulheres e afeta pessoas de todas as idades e etnias. Se você anda notando muitos bolos de cabelo pela casa que não são do seu gato Fofinho, separamos oito possíveis causas da queda de cabelos para te ajuda no tratamento da queda de cabelos:

1. Gravidez

Entre as muitas mudanças que o corpo feminino passa e que podem ser dureza (é por isso que as mulheres são demais), está a loucura que a cabeleira pode virar. O que ocorre é que a prioridade do organismo está sempre em nutrir o feto: a demanda pelo sangue e nutrientes da mãe pode limitar os recursos do corpo, e como cabelo não é necessariamente um elemento da sobrevivência humana, como a saúde do fígado por exemplo, ele pode acabar sendo “descartado” no caminho.

É importante que as mamães tomem vitaminas no pré-natal com frequência e mantenham o sistema imunológico sempre em alta.

2. Desequilíbrios na tireoide

Sabe aquele colega “magro de ruim”, que realiza a proeza de almoçar lasanha todo dia sem problemas? Não sinta inveja, mesmo que branca, pois a culpa não é dele, mas sim da tireoide dele. Um metabolismo rápido significa hiperatividade da glândula e, consequentemente, muita produção do hormônio tiroxina. O metabolismo dessa natureza consome os nutrientes avidamente, deixando o corpo estressado. E, como no item 1, o corpo alimenta o que é prioridade, que não é o cabelo. Um metabolismo pouco ativo possui acúmulo de nutrientes e o estilo de vida letárgico pode impedir o crescimento do cabelo.

3. Genética (alopécia)

Os homens sofrem de inevitáveis “entradas” no couro cabeludo graças à queda de cabelos devido à genética e aos efeitos ligados à testosterona, mas mulheres também podem ser vítimas dos genes. Uma vez que esse tipo de calvície é ativada, é difícil impedi-la. Pode ser que fique apenas na região da coroa (como os padres franciscanos), mas pode se espalhar até a região das orelhas, dependendo também da força do fio de cabelo.

Essa condição pode afetar mulheres jovens também, pois o estresse contribui negativamente. Nos tempos modernos, é sabido que conciliar carreira e responsabilidades domésticas, fora outras pressões afeta a saúde das mulheres. Por isso, reservar um tempo para si mesma é essencial, mesmo que outras tarefas fiquem para depois: afinal, a saúde vem em primeiro lugar.

4. Tricotilomania

Esta é uma condição psicológica que merece atenção. É o ato de arrancar desde os fios dos cabelos até os da sobrancelha e cílios, ou mesmo pelos do corpo, para alívio nervoso. É um tipo de mania, mas que se deve ter cuidado e acompanhamento psicológico e terapêutico, pois em casos extremos a pessoa pode ficar careca em determinadas partes em que sente mais prazer em puxar.

É comum iniciar na infância, com algum trauma, como a perda de um parente ou um animal de estimação querido. A pessoa só se dá conta do hábito quando já não consegue mais resistir a ele. É nesse momento que um profissional deve entrar em ação.

5. Alimentação

Isso já é senso comum: batata frita e sorvete não são nada saudáveis. Eles não apenas influenciam o tamanho das roupas, mas também contribuem para a queda de cabelos. Nutricionistas holísticos compreendem e alertam para a conexão entre o crescimento (e a falta dele) dos cabelos e corantes artificiais nos alimentos, adoçantes e conservantes - enfim, comida enlatada, refrigerantes, junk food. É bom lembrar que existem gorduras saudáveis, probióticos, grãos integrais e vegetais frescos. Suplementos são recomendados para casos de dieta inadequada.

6. Prender os cabelos

Prender os cabelos muito firmemente pode também causar queda. Com a moda de alongamentos em salões de beleza, ou mesmo trançados, o cabelo é puxado desde a raiz, podendo quebrar e danificar o folículo. Muitas mulheres ficam sem pentear ou manusear muito o cabelo para compensar o problema, no entanto massagear o couro cabeludo estimula a circulação sanguínea da região, que leva nutrientes para os folículos e ajuda a melhorar a queda de cabelos. Sem falar que é sempre muito importante lavar (e secar bem) com frequência.

7. Traumas

Acidentes de carro ou perdas na família são momentos difíceis e delicados, que podem ter como consequência a queda de cabelos, o que pode agravar ainda mais a perturbação emocional ao ver a quantidade de fios caindo. Mesmo momentos de intensa felicidade, como a chegada de um bebê ou passar no vestibular, podem ser causa.

É comum o problema persistir ou iniciar de dois a três meses após o ocorrido.

8. Doenças autoimunes

Doenças assim se caracterizam quando o sistema imunológico enxerga células perfeitamente saudáveis como invasoras do organismo e passa a atacá-las. É estimado que 50 milhões de estadunidenses sofram de algum tipo de doença dessa natureza - desde doença celíaca até psoríase.

Lúpus é uma das responsáveis. Lúpus discoide, ao afetar a região do couro cabeludo, pode ser uma das causas da queda de cabelos permanente, infelizmente.


Fonte: Care2

Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail