Curso de hortas orgânicas #7 e #8: conheça os tipos comuns de pragas e veja como combatê-las com produtos caseiros

Existe 20% de possibilidade de aparecerem pequenas pragas e doenças na sua horta orgânica. Mas não há motivo para pânico, esses problemas podem ser solucionados com um controle integrado de estratégias

Pragas

Sim, as pragas existem e são realmente... Pragas, em todos os sentidos da palavra. Mas antes de focarmos em estratégias para conter as doenças que podem atacar sua horta orgânica, vamos entender o que são e como identificá-las.

Praga é uma abundância de organismos prejudiciais que crescem descontroladamente na planta.

Se você observa que há apenas algumas cochonilhas na planta, isso não é um problema; no entanto, se você não consegue ver o caule ou não consegue ver a parte de trás das folhas devido à quantidade de cochonilhas, isso sim é uma praga.

Com relação às doenças das plantas, elas são causadas principalmente por fungos, vírus e bactérias de forma menos frequente. Uma planta possui uma doença quando apresenta, em uma parte ou em toda sua estrutura, vírus ou fungos, com várias alterações - as mais perceptíveis têm relação com cor e anatomia (pode-se observar bolores cinzentos ou pretos, manchas cor de ferrugem, folhagem opaca, entre outros).

Quando se observa que a planta está doente não se deve colocá-la na composteira ou utilizá-la como adubo verde para não afetar as outras plantas.

Controle de pragas

Segundo a Agência Embrapa de Informação Tecnológica, existem seis tipos de controle de pragas, mas vamos focar apenas em três:

Controle cultural

Baseia-se na aplicação de conhecimentos biológicos e ecológicos empregando práticas culturais como rotação de cultura, aração do solo, adubação e rega, tudo o que foi citado como princípio de uma horta orgânica.

Controle biológico

Baseia-se no controle de pragas utilizando seus inimigos naturais. Por exemplo, a joaninha é um inimigo natural dos pulgões, cochonilhas e moscas brancas.

Controle químico

Baseia-se em um preparado vegetal, ou infusão que nós mesmos podemos fazer para controlar as pragas.

Mas quais são as doenças mais comuns?

Fumagina

Fumagina

É um fungo caracterizado por formar uma crosta negra na planta. Essa doença se desenvolve em cima do melaço excretado por pragas, como os pulgões, e por isso aparece geralmente depois do ataque de pulgões ou cochonilhas. Seu dano é indireto, pois não afeta os tecidos da planta, mas sua crosta negra impede a passagem da luz, enfraquecendo a planta.

Oídio

Oídio

É um fungo caracterizado por formar manchas brancas acinzentadas nas plantas. Essa mancha tem aspecto de talco, poeira e faz com que as folhas fiquem duras ou comecem a enrugar em casos mais severos. Esta doença é transmitida através do vento ou de insetos vetores, e ataca principalmente as partes jovens da planta, levando-a à morte. É uma doença típica de rosas, por isso não se recomenda cultivar rosas nas hortas.

Algumas estratégias para afastar as pragas

Exemplos de controles biológicos de insetos prejudiciais as plantas:

Insetos prejudiciais Inimigos naturais
Pulgões Joaninhas, louva-deus, crisopídeos
Lesmas, caracóis Sapos
Mosca branca Crisopídeos, percevejos
Cochonilha Joaninhas

Estratégia para afastar pássaros

Estratégia para afastar pássaros

Uma alternativa para afastar os passarinhos é utilizar garrafas pet para fazer um catavento.

Você vai precisar de uma garrafa pet, uma vara de metal ou madeira fina suficiente para que seja possível encaixar na tampa da garrafa e ainda sobrar espaço, e um estilete.

Desenhe no meio da garrafa retângulos que tenham a base menor que a altura, estes serão cortados para fazer abas/janelas na garrafa pet. Após desenhar, basta cortar com o estilete as duas bases menores e um lado do retângulo (corte sempre o mesmo lado para fazer as abas), furar, e inserir no fundo da garrafa a vara, encaixando-a na tampa.

E está pronto seu catavento para afastar pássaros!

Uma outra estratégia para afastar os pássaros é fazer um olho de ave de rapina, pois os passarinhos têm medo de serem presas de um pássaro maior.

Para fazer este olho vamos precisar de uma placa de madeira para utilizar como base e uma cartolina amarela. Então, podemos desenhar nesta cartolina amarela dois círculos, um amarelo grande e um círculo preto dentro menor. Ou, se preferir, é possível pintar diretamente na madeira para então pendurá-la na base da horta.

Estratégia para afastar as formigas

Para afastar as formigas da nossa horta podemos colocar grãos de arroz cru quebrado ou triturado ao redor das plantas, pois as formigas se sentem mais atraídas pelo arroz e, ao invés de danificarem as hortaliças, elas levam o arroz para o formigueiro. As formigas que ingerem o arroz cru são eliminadas devido a uma reação do seu organismo ao alimento.

Veja outras técnicas para acabar com as formigas.

Estratégia para reduzir os insetos

Para fazer essa armadilha vamos precisar de uma placa (ou tábua) de madeira, uma cartolina amarela, fita adesiva, plástico transparente e óleo usado. Vamos começar embrulhando a madeira com a cartolina amarela e fita adesiva. A cor amarela é uma aliada por atrair muito os insetos. Em seguida, vamos envolver a placa com plástico transparente para depois passar óleo por cima.

Assim, quando deixarmos a placa no chão, os insetos, ao tentarem passar por cima, ficarão colados no óleo. Esta estratégia também serve para indicar quais insetos estão afetando mais a horta, sendo possível colocar armadilhas específicas depois.

Estratégia para atrair moscas e moscas brancas

Estratégia para atrair moscas e moscas brancas

Pode-se utilizar uma garrafa plástica transparente (que você pode pintar de amarelo para atrair mais insetos), barbante ou arame para amarrar, vinagre e água, ou água e detergente para fazer essa armadilha.

Meça aproximadamente dois dedos do fundo da garrafa, desenhe e corte um retângulo de aproximadamente 15 cm de comprimento por 10 cm de altura, ou você também pode fazer diversos quadradinhos de 2 cm x 2 cm espalhados pela garrafa. Depois é só misturar vinagre e água no recipiente, ou água e detergente, e pendurar na sua horta.

Inseticidas e fungicidas caseiros

Inseticidas e fungicidas caseiros são uma alternativa para acabar com uma infestação de insetos ou para tratar plantas doentes. Mas os inseticidas orgânicos devem ser utilizados com cuidado e de forma regulada, pois afetam também os insetos benéficos à nossa horta.

Veja abaixo algumas receitas caseiras para eliminar doenças e pragas em hortas orgânicas:

Álcool de alho

Para fazer esse remédio para plantas doentes é necessário três ou quatro dentes de alho descascados, 500 ml de água e 500 ml de álcool.

Com os dentes de alho já descascados, processe-os com um pouco de água no liquidificador e então passe-os para a peneira.

A este líquido, acrescente 500 ml de água, 500 ml de álcool e coloque o conteúdo num pulverizador para aplicar sobre as plantas.

Não se esqueça de conservar em um frasco identificando que é álcool de alho, a data em que foi produzido e de deixar longe do alcance de crianças. Este remédio pode durar até um mês na geladeira e somente uma semana fora.

Fungicida com sabão branco

Este remédio funciona bem contra alguns fungos e alguns insetos. Será necessário uma barra de sabão branco, um descascador e água quente.

Tire lascas do sabão com o descascador e acrescente água quente (esse processo deve fazer muita espuma). Então, transfira essa solução para um pulverizador, coloque uma identificação com nome e data e ela está pronta para ser usada.

Observação: se uma planta está com fumagina, por trás dessa doença haverá uma população de cochonilhas, por exemplo. Neste caso, deve-se pulverizar álcool de alho para reduzir as cochonilhas, pulverizar até começar a escorrer, de baixo para cima e de dentro para fora da planta.

E dois dias depois, deve-se pulverizar o fungicida de sabão branco para ajudar a desprender o fungo.

Fertilizantes

Também é possível fazer, além de pesticidas e fungicidas, fertilizantes. A seguir vamos dar um ótimo exemplo de fertilizante que pode ser utilizado em tomates ou em outras plantas, como salsa, erva-doce, cebola e alho-poró.

Nós vamos precisar de talos e folhas da planta de tomates para preparar a solução mãe.

Mas o que é solução mãe?

É uma solução que contém um quilo de material fresco ou 200 g de material seco (flores, sementes, talos, etc) para utilizar em dez litros de água. Essa solução é muito concentrada, e para utilizá-la nas plantas, devemos pegar um litro de solução mãe e diluir em 10 litros de água.

Fertilizante líquido com talos de tomate

Para fazer este fertilizante, vamos utilizar as folhas e talos maiores e mais velhos da planta. Não utilizaremos as raízes, flores ou folhas novas.

Vamos fazer a decocção de um quilo de talos e folhas velhas de tomates, cozinhando por 20 minutos em dez litros de água para fazer a solução mãe.

Quando esfriar, basta pegar um litro da solução mãe e diluir em dez litros de água para borrifar nas plantas uma vez por mês.

Como vimos, com o auxílio de algumas plantas é possível afastar as pragas da sua horta substituindo os inseticidas. Veja outros exemplos para eliminar as pragas:

Repelentes de insetos

  • Macerado de cebola
  • Infusão de arruda e sálvia
  • Infusão de lavanda

Fungicida

  • Infusão de flores de camomila

Fertilizante

  • Macerado de urtiga

Como fazer?

Aprenda a fazer infusão, maceração, chorume e decocção:

Infusão

Coloca-se água para ferver. Quando ela atingir a ebulição, deve-se desligar o fogo e emergir o material por cinco minutos (tampado). Quando o líquido estiver frio, pode-se utilizá-lo.

Maceração

Coloque o material, que pode ser uma parte da planta por exemplo, em água e deixe-a por 2 ou 3 dias para que as propriedades desse material se transfiram para a água. Faça isso em um recipiente plástico (nunca utilize objetos metálicos para não transferir nenhuma propriedade do metal para o líquido). Deixe-o destampado ao ar livre em um local onde não chova.

Chorume

É o mesmo processo da maceração, só que o chorume fica mais tempo fermentando, entre dez e 12 dias. Também não pode pegar sol ou chuva.

Decocção

Parecida com a infusão; na decocção cozinhamos o material (pode ser talo, folhas, etc.) junto à água por 20 minutos.

Veja os vídeos em que esta matéria se baseou. Eles estão em espanhol, mas possuem legendas em português e foram produzido pelo BorelliStudio.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail