Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Em disciplina da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, projetos repensam a melhor utilização do espaço e sugerem a criação de parques e de corredores de VLTs

Imagem editada e redimensionada de Kleber Narvaes, está disponível no Wikimedia e licenciada sob CC by 4.0

Uma das vias expressas mais famosas do Brasil. O Elevado Presidente João Goulart, conhecido como Minhocão, foi construído na década de 1970 para interligar as zonas oeste e leste da cidade de São Paulo atravessando o centro.

São 2,8 quilômetros de extensão e desde sua inauguração é alvo de polêmicas que envolvem sua relevância para a cidade e os problemas gerados para os moradores na região. Desde 2014, a prefeitura iniciou um processo de desativação gradual.

Aos finais de semana e feriados, o Minhocão é fechado para carros e ônibus. Ele se torna um longo corredor voltado ao lazer.

A professora Francine Sakata, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, lançou um desafio aos seus alunos da disciplina do Projeto de Parque Urbano: pensar em soluções para o Minhocão.

Em um dos projetos, o grupo formado por nove estudantes da FAU optou pelo reaproveitamento da estrutura entre a Estação Marechal Deodoro e a Praça Franklin Roosevelt, no centro da cidade.

No restante, a via seria substituída por um parque elevado, o “Parque Minhocão”. O projeto prevê a integração vertical entre o parque e a avenida São João, que passa por baixo do Minhocão.

Outro grupo de estudantes propõe a criação de um parque transbordado, que “não teria muros”. Como a região possui diversas praças e parques, a ideia seria que o corredor os interligasse.

A proposta prevê paisagismo não apenas no Minhocão, mas também em seu entorno, com troca de pisos das calçadas e praças, plantio de árvores e ampliação das ciclofaixas. Apesar de o projeto sugerir a demolição de trechos do corredor elevado, parte da estrutura seria transformada em um parque.

O projeto criado por três estudantes da Escola Politécnica (Poli) da USP, prevê uma intervenção que reaproveitaria parte da estrutura do corredor elevado para a instalação de uma linha de Veículo Leve sobre Trilho (VLT) integrando as zonas norte, central e leste.

Embaixo, os alunos propõem a criação de uma via-parque. De acordo com estudo elaborado pelos integrantes, caso implementado, o projeto teria maior qualidade na mobilidade urbana e no lazer na região e inverteria a lógica do elevado. Ao invés de privilegiar o transporte individual (carros), favoreceria o transporte público coletivo (VLT).

O último projeto propõe mudança mais radical, com a demolição integral do Minhocão. No lugar do elevado, a proposta é criar uma via-parque e formular um corredor para VLT que ligaria o Terminal Lapa ao centro.

O enfoque é a substituição do uso dos carros por outros meios de transporte, como o transporte público coletivo e a bicicleta. Outra preocupação foi com os pedestres, ampliando as calçadas.

O local ainda receberia obras de paisagismo e principalmente a plantação de árvores no entorno da região do Minhocão.



Veja também: