Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Movimento The Jump propõe seis iniciativas para reduzir o consumo e a consequente emissão de gases-estufa

Movimento The Jump é uma iniciativa que tem como premissa fazer com que todas as pessoas adotem seis ações sustentáveis para reduzir o consumo. Ele tem como base a previsão de que até 2050, a temperatura da Terra terá aumentado em até 1.5 graus Celsius devido à grande demanda de produção na indústria.

Para o movimento The Jump, antes de se reduzir a produção mundial é preciso reduzir o consumo. Afinal, a produção de produtos em massa ocorre devido à grande demanda gerada pelo consumismo. Desta forma, será necessário deixar de lado uma vida materialista e adotar uma rotina mais minimalista, que presa apenas por aquilo que é necessário. 

Segundo estudos relacionados ao movimento The Jump, para evitar o colapso ambiental, é preciso reduzir o impacto do consumo em até dez anos. Isso precisa ser iniciado principalmente nos países mais ricos. Afinal, eles são responsáveis por serem os que mais consomem recursos naturais do planeta Terra.

O intuito do movimento The Jump é tomar uma posição mais amigável quando se trata de educar as pessoas ecologicamente. Sem apontar dedos, o movimento The Jump promove os benefícios de viver uma vida menos consumista e as oportunidades que podem surgir a partir disso. Segundo o cofundador do projeto, Tom Bailey, quando se passa menos tempo consumindo, se cria mais tempo para criatividade, cuidado, conexões, amizade, celebração e contentamento.

História

A criação do movimento The Jump foi de responsabilidade de estudiosos de três organizações diferentes. A primeira é a University of Leeds School of Earth and Environment, no âmbito acadêmico. Logo em seguida, no terceiro setor, vem o C40 Cities Climate Leadership Group. Por último, a empresa de engenharia do setor privado chamada de Arup.

Apesar de o movimento The Jump ter surgido a partir da união de pesquisadores e estudos destas três instituições, ele foi criado de maneira independente. Sem o uso de nenhum financiador ou fundo oferecido pelas organizações. Hoje em dia, qualquer pessoa pode se juntar ao movimento The Jump, contanto que tenha vontade de ajudar na meta de reduzir o consumo.

Para criar as seis metas do movimento The Jump, um computador analisou os dados da produção de diversos produtos ao redor do mundo. Deste seu processo de criação, transporte até o consumo. Desta forma, foi possível descobrir dados sobre a quantidade de ações necessárias para diminuir a mudança climática.

As pesquisas realizadas também afirmam que essa movimentação de mudança deve ser feita entre os anos de 2030 e 2050, para evitar o colapso ambiental iminente. As análises feitas pelo movimento The Jump foram capazes de encontrar quais áreas precisam de mudança imediata, o que ajudou na criação das seis metas estabelecidas pelo movimento. 

Fatos para levar em consideração

O movimento The Jump utiliza de algumas informações importante para incentivar as pessoas a aderirem à causa: 

Redução de consumo por aqueles que vivem confortavelmente

Para alcançar a meta de redução de consumo e produção no mundo, é preciso reduzir 2 ⁄ 3 do impacto do consumo de países ricos nos próximos dez anos. Essa ação fará com que as pessoas precisem repensar totalmente a economia e a maneira como trabalham. Ao mesmo tempo que isso acontece, será necessário que economias em desenvolvimento se adaptem imediatamente a níveis de consumo sustentáveis.

Pessoas e comunidades não estão sem forças 

Cidadãos e comunidades têm um potencial significativo quando se trata de cortar as emissões de gases derivadas do consumo humano. Isso porque o consumo de cada indivíduo também é o que gera demanda. Com uma menor demanda de comunidades e pessoas, existe uma redução na produção.

Governos e empresas têm o papel mais importante

A descarbonização das redes elétricas e das cadeias de abastecimento mundiais continua a ser extremamente importante. Essas ações devem ser tomadas por redes de grande poder, como governos e empresas. 

Desistir não é opção

Caso nada seja feito a respeito da mudança climática, cerca de 1.6 bilhões de pessoas estarão expostas a calor extremo até 2050. Além disso, cerca de 2.5 bilhões de seres humanos vão enfrentar insegurança alimentar, caso todos desistam de lutar.

Novo modelo de vida e trabalho é preciso

Depois de milhares de anos vivendo de maneira similar, é possível notar que os seres humanos precisam encontrar uma maneira de viver e trabalhar que seja sustentável. É isso que o movimento The Jump promove, uma mudança fundamental no estilo de vida das pessoas. É preciso que o consumo de produtos seja deixado de lado, e se valorize apenas o que é essencial para a vida.

Seis metas do movimento The Jump

Vista-se de maneira retrô 

O movimento The Jump acredita que uma maneira de diminuir o consumo da indústria de roupas é passando a comprar apenas três peças de roupa ao ano. Segundo o projeto, isso é mais do que o necessário para a sobrevivência humana, e tem um impacto significativo na produção têxtil. Afinal, a indústria têxtil é uma das maiores emissoras de gases de efeito estufa na atmosfera.

Termine o ciclo

Nessa meta, o movimento The Jump convida todas as pessoas a manter seus equipamentos por aproximadamente sete anos. Ou seja, não trocá-lo por uma opção nova sempre que surgir uma versão mais atualizada e na moda. Assim, você mantém o mesmo computador por anos, e ajuda na redução de gases poluentes emitidos pela indústria de eletrônicos. 

Feriado perto de casa

Viagens de avião são extremamente poluentes. Apenas em 2019, essas aeronaves produziram cerca de 915 milhões de toneladas de carbono na atmosfera. O movimento The Jump acredita que evitar voar de avião para regiões próximas pode ser vantajoso para o planeta e para as pessoas. 

O projeto incentiva seus seguidores a fazer apenas uma viagem de férias por meio do avião por ano. Para evitar as grandes emissões de carbono, o indivíduo pode curtir seus feriados em locais perto de casa, onde pode viajar de carro ou de ônibus. 

Alimentação verde

Mais de 25% das emissões de carbono são realizadas pela indústria de comida. Para mudar esse cenário, o movimento The Jump afirma que é preciso adotar uma dieta saudável, plant-based e com redução de desperdício alimentar. 

Evitar o desperdício de comida impede o acúmulo de resíduo orgânico nas cidades. Já a adoção de uma alimentação plant-based evita crueldade animal e emissões de gases-estufa, já que a indústria da carne é responsável por ⅓ das emissões de gases de efeito estufa no globo.

Viaje tranquilo 

Em vez de utilizar seu carro para se locomover, renove seu meio de transporte. Utilize bicicletas, skates e patins, ande a pé ou em meios de transporte públicos. Apesar da indústria do automóvel estar trabalhando na redução de suas emissões com a criação de carros elétricos, nada funciona melhor do que meios de mobilidade ativa.  O uso de transportes que emitem menos ou nenhuma poluição são sempre mais bem-vindos quando se trata de lutar por um mundo mais sustentável.

Mude o sistema 

O movimento The Jump convida seus participantes a buscarem uma forma de mudar o sistema que vivem de maneira pacífica. Seja por meio de protestos ou ativismo ambiental.

Para algumas pessoas pode ser difícil ou quase impossível adotar uma das metas incentivadas pelo movimento The Jump. Mas isso não significa que você não pode fazer nada. Até mesmo o cumprimento de uma meta pode ter um impacto significativo no avanço da redução de consumo no mundo. 

Por isso, é preciso entender o seu poder de mudança diante da sociedade e das mudanças negativas que o planeta vem enfrentando. No site do movimento The Jump você pode aprender um pouco mais sobre o projeto e participar ativamente da comunidade envolvida nessa luta.