Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Os eventos gratuitos compõem projeto que busca fortalecer órgãos de controle na Amazônia.

A Transparência Internacional – Brasil, o Conselho Nacional de Controle Interno (CONACI) e a Associação dos Membros dos Tribunais de Conta do Brasil (ATRICON) promoverão uma série de quatro webinars com o tema “O papel do controle interno e externo na Amazônia: infraestrutura, meio ambiente e uso da terra”. O evento será gratuito e acontecerá entre 24/08 e 02/09, conforme programação abaixo, sempre das 15h30 às 17h (horário de Brasília).

As discussões abordarão o papel do controle na promoção da integridade, da transparência e da sustentabilidade das políticas ambientais e de infraestrutura na região, dando visibilidade ao trabalho de Tribunais de Contas e Controladorias.Será um momento oportuno para diálogo e troca de experiências entre os órgãos de controle, a academia e a sociedade.

O público-alvo, além de auditores e membros de Tribunais de Contas e Controladorias, é composto por membros de outros órgãos públicos, organizações da sociedade civil, acadêmicos e especialistas que trabalham com esses temas. A cada webinar, os participantes compartilharão seu conhecimento, atuações e perspectivas sobre o assunto.

Confira a programação

O controle na promoção da preservação ambiental

  • 24 de agosto (3ªf) – das 15h30 às 17h (horário de Brasília
  • Abertura:
    • Leonardo de Araújo Ferraz - presidente do CONACI
    • Representante da ATRICON  
    • Bruno Brandão - diretor executivo da TI Brasil  
  • Participantes:
    • Hugo Chudyson Araújo Freire – secretário de Controle Externo da Agricultura e do Meio Ambiente do Tribunal de Contas da União  (TCU)
    • Representante da Controladoria Geral da União (CGU)  
    • Representante da OLACEFs/INTOSAI 
  • Mediação:
    • Renato Morgado, gerente de Meio Ambiente e Clima da Transparência Internacional – Brasil

Os órgãos de controle e o combate ao desmatamento na Amazônia

  • 26 de agosto (5ªf) – das 15h30 às 17h (horário de Brasília)
  • Participantes:
    • Francisco Lopes – controlador Geral do Estado de Rondônia  (CGE RO)
    • Julio Pinheiro – conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE AM)
    • Bruno Vello – analista de Políticas Públicas do IMAFLORA 
  • Mediação:
    • Amanda Faria Lima, Transparência Internacional – Brasil

Promoção da integridade e prevenção à corrupção em obras de infraestrutura

  • 31 de agosto (5ªf) – das 15h30 às 17h (horário de Brasília)
  • Participantes:
    • Manoel Moreira de Souza Neto – coordenador-geral de Controle Externo de Infraestrutura do Tribunal de Contas da União (TCU)
    • Representante de órgão de controle interno estadual da Amazônia (a ser confirmado)
    • Professor Raoni Rajão – professor no Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)  
    • Sebastião Cézar Leão Colares – conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios do Pará (TCM PA)
  • Mediação:
    • Renato Morgado, Transparência Internacional – Brasil

Controle dos impactos socioambientais de grandes obras de infraestrutura

  • 02 de setembro (5ªf) – das 15h30 às 17h (horário de Brasília)
  • Participantes:
    • Benedito Antônio Alves – conselheiro do Tribunal de Contas de Rondônia  (TCE RO)
    • Otávio de Souza Gomes – Controlador-Geral do Estado do Amazonas (CGE AM)
    • Biviany Rojas Garzon - coordenadora do Programa Xingu do Instituto Socioambiental (ISA) 
    • Anderson Uliana Rolim - presidente do Instituto Brasileiro de Auditoria em Obras Públicas (IBRAOP) 
  • Mediação:
    • Amanda Faria Lima, Transparência Internacional – Brasil

Sobre a iniciativa

A série faz parte de um projeto mais amplo implementado pela Transparência Internacional – Brasil, que conta com o apoio da Fundação Moore, chamado: ‘Fortalecendo o Controle Interno e Externo na Amazônia: meio ambiente, uso da terra e infraestrutura’. Além dos webinars, estão previstas outras ações que subsidiarão os órgãos de controle (especialmente Tribunais de Contas e Controladorias) para uma atuação mais estruturada e sistemática nas agendas de meio ambiente, uso da terra e infraestrutura, em especial os situados na Amazônia Legal.