Dicas para o adequado gerenciamento de resíduos sólidos em condomínios

eCycle

A coleta seletiva e compostagem são práticas que podem ser inseridas no gerenciamento de resíduos sólidos em condomínios tornando-o mais sustentável

Prédios e condomínio

O Brasil gera uma grande quantidade de resíduos sólidos urbanos, pouco mais que 387 quilos por habitante por ano. Imagine quanto lixo é gerado em todos os edifícios de um condomínio! Grande parte desses resíduos vai parar em aterros sanitários ou, pior ainda, em lixões e nas ruas... Por isso é tão importante o gerenciamento de resíduos sólidos em condomínios. O gerenciamento pode incluir a coleta seletiva, a coleta de resíduos específicos e a compostagem.

De todo o resíduo gerado, quase 32% é composto de material reciclável, o que significa que boa parte pode ser reaproveitado e não destinado a aterros. Já a matéria orgânica representa cerca de 52% dos resíduos sólidos gerados e também pode receber outra destinação sem ser os aterros: a compostagem. Por isso, é essencial a separação na fonte de geração, ou seja, em casa, para que materiais recicláveis sejam encaminhados pra cooperativas e a matéria orgânica para compostagem.

Primeiramente é importante mudar hábitos para gerar o mínimo de resíduo possível. Consumir conscientemente, utilizar menos embalagens e sacolas plásticas, procurar por produtos com embalagens biodegradáveis ou com materiais fáceis de serem reciclados (saiba como reaproveitar e reciclar uma série de itens do dia a dia)... Essas atitudes vão reduzir o volume de resíduo gerado.

Outra medida essencial é a implantação de um programa de coleta seletiva para todos os apartamentos. Alguns prédios já tornaram a coleta seletiva um hábito, porém muitos ainda buscam colocar em prática esse sistema e encontram dificuldades para saber como e onde começar. O guia básico do Portal eCycle sobre coleta seletiva em condomínios apresenta dicas e práticas de como implementar a reciclagem e tornar seu condomínio mais sustentável. 

Além do seu condomínio contribuir para a preservação do meio ambiente,e é possível ganhar dinheiro com a coleta seletiva por meio da venda de materiais recicláveis para cooperativas e aplicar o lucro em melhorias no condomínio a (saiba como Soluções para a coleta seletiva em condomínios).

Outros tipos de resíduos mais específicos também são tão importantes quanto os recicláveis. Óleo de cozinha usado, lâmpadas queimadas, pilhas e baterias antigas, eletrônicos e medicamentos vencidos, se descartados incorretamente, apresentam grandes riscos à saúde e ao meio ambiente. Seu condomínio pode instalar pontos de coleta nas áreas comuns para receber esses resíduos e dar uma destinação final ambientalmente correta (saiba como implantar pontos de coleta de resíduos específicos em condomínios).

Ok, a reciclagem não é uma novidade, mas o que fazer com os resíduos orgânicos? O que a maioria da população faz é descartá-los no lixo comum, que não é a melhor opção. O ideal seria realizar a compostagem dos resíduos orgânicos. Existem hoje no mercado diversas opções de composteiras domésticas, de diferentes tamanhos e formas: manual, automática e que podem ser instaladas em espaços pequenos ou espaços grandes. Apenas 1,6% dos resíduos de matéria orgânica é encaminhado para unidades de compostagem, portanto uma solução é realizar a compostagem em casa e utilizar os subprodutos: o adubo e biofertilizante.

A compostagem doméstica no condomínio pode ser incentivada em duas escalas, individual ou coletiva. Na compostagem individual, a composteira seria instalada dentro dos apartamentos e os moradores iriam alimentar seu próprio sistema e utilizar dos subprodutos que podem ser aplicados em plantas dentro da casa ou levados para outro local.

Já a compostagem coletiva, realizada por todo o condomínio, pode ser implementada com mais planejamento, construindo uma composteira de baixo custo, em algum espaço coberto na área comum ou pela aquisição de algumas composteiras já prontas de acordo com o volume de resíduo orgânico gerado. Um funcionário, morador ou síndico será responsável pelo abastecimento com matéria orgânica coletada dos moradores e pela manutenção da composteira frequentemente. Não é aconselhável todos os condôminos colocarem seus resíduos a qualquer horário - deve haver um manejo controlado para alimentar a composteira - leia o guia da compostagem e entenda melhor como funcionaria esse projeto. A criação de uma horta comunitária na área comum do condomínio é uma ótima opção para aplicação dos subprodutos da compostagem, beneficiando todos os moradores. Não é necessário um grande espaço, existe a possibilidade de criar uma horta em espaços pequenos. A horta irá gerar alimentos orgânicos, contribuir para estética das áreas comuns, auxiliar na educação das crianças e ainda servir como atividade de lazer para os moradores.

Essas atitudes são possíveis soluções para a problemática dos resíduos sólidos no país que dispõe de cada vez menos espaço para aterros, e cada vez mais pontos de poluição pela disposição inadequada dos resíduos. Faça sua parte e proponha essa ideia para o síndico e moradores e torne seu condomínio mais sustentável.

Veja o vídeo sobre as cores das lixeiras para a coleta seletiva.


Fonte: ABRELPE (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais); IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada); CEMPRE (Compromisso Empresarial para Reciclagem).

Veja também:



 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail