2012 foi o nono ano mais quente desde 1850 segundo relatório da ONU

eCycle

Relatório divulgado pela entidade foi debatido na COP-18

O ano de 2012 entra para o livro dos recordes devido a um tema preocupante. Ele foi o nono ano com a temperatura mais alta desde 1850. Nem o efeito do La Niña (um fenômeno meteorológico que deveria ter uma influência de resfriamento sobre a atmosfera da Terra) serviu para abaixar a média de temperatura, segundo um novo relatório da ONU, divulgado dia 28 de novembro, durante a 18ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-18), em Doha, no Catar.

As altas temperaturas foram acompanhadas pela fusão sem precedentes de gelo do mar Ártico e extremos climáticos que afetaram muitas partes do mundo.

Os resultados estão entre os destaques do Comunicado Provisório sobre o Estado Global do Clima em 2012, da Organização Meteorológica Mundial (OMM), que fornece um resumo anual do tempo e eventos climáticos ao redor do mundo. As atualizações e valores finais do relatório de 2012 serão lançados em março de 2013.

"As mudanças climáticas estão ocorrendo diante de nossos olhos, e continuarão ocorrendo como resultado das concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera, que têm aumentado constantemente e alcançaram novamente novos recordes", afirmou o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud.

Fenômenos notados

Eventos extremos notáveis foram observados em todo o mundo durante o período de janeiro a outubro, segundo o relatório. O documento inclui ondas de calor na América do Norte e Europa, a seca nos Estados Unidos, China, Brasil e partes da Rússia e da Europa Oriental, inundações na região do Sahel, Paquistão e China, e neve e frio extremo na Rússia e na Europa Oriental.

Além disso, a bacia do Atlântico também sofreu uma temporada de furacões acima da média pelo terceiro ano consecutivo, com um total de 19 tempestades e 10 furacões, o principal deles sendo o Sandy, que causou estragos em todo o Caribe e na costa leste dos EUA. O Leste da Ásia também foi severamente impactado por tufões poderosos, o maior sendo o Sanba, que atingiu as Filipinas, o Japão e a Península Coreana.

Imagem: Fartese
Fonte: Eco D

Veja também:
-Aquecimento global pode diminuir tamanho de peixes nas próximas décadas
-Milionário despeja sulfato de ferro no oceano para frear aquecimento global e gera polêmica


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail