Caneta biodegradável vira húmus

eCycle

Empresa paulistana apostou na fabricação do produto, feito à base de amido de milho

Imagine a montanha de lixo que se formaria se pudéssemos juntar todas as canetas com defeito ou sem tinta de escolas, escritórios, grandes e pequenas empresas.

Foi pensando nisso que a empresa paulistana EkoBio criou a primeira caneta biodegradável do Brasil. A produção é feita com uma bio-resina que se forma após a fermentação do amido de milho. A caneta tem capacidade de escrever até dois mil metros, mas quando a tinta acaba é possível descartá-la na terra, em um local passível de compostagem. A caneta acaba sendo absorvida pela natureza, transforma-se em composto orgânico, fertiliza o solo e não deixa resíduos. A decomposição se dá em até seis meses. A caneta normal persiste por 400 anos na Terra.

Por ser feita tendo o milho como principal matéria-prima, a caneta não utiliza compostos oriundos de petróleo, outro elemento que torna a caneta ainda mais verde.

Além disso, a empresa também disponibiliza uma embalagem feita com papel reciclado para envolvê-la quando fizer parte de brindes. A EkoBio faz vendas para atacado e varejo e produz cerca de 100 mil canetas nas cores azul, vermelha e preta por mês.

Entre no site da caneta Eko Bio para ter mais informações a respeito do produto.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail