Biocarvão estoca carbono no solo e aumenta sua fertilidade

eCycle

Tipo de manejo realizado há muitos anos na Amazônia chama a atenção pela sua capacidade de acúmulo de carbono e aumento da fertilidade do solo

Uma boa opção para diminuir a quantidade de carbono encontrada na atmosfera, e que causa muitos problemas ao meio ambiente, é devolvê-lo para o solo. Através do processo de pirólise, o “biocarvão” é produzido e depois depositado em terrenos.

A pirólise é caracterizada pela exposição de biomassa, como pedaços de madeiras, a altas temperaturas e com ausência de oxigênio. Resto de colheitas também podem ser transformadas em biocarvão. No Japão, por exemplo, estima-se que 1/3 de cascas de arroz cultivadas são direcionadas para o processo de pirólise.

Além do carvão, o processo também dá origem a um gás, que pode ser usado como fonte de calor para a próxima leva de produção de carvão e, portanto, não é liberada para a atmosfera. Estudos estão sendo realizados para medir seu potencial como combustível.

O carvão resultante do processo de pirólise possui uma coloração escura e um alto índice de carbono, que ficará fixado à terra por centenas ou até mesmo milhares de anos. Ele aumenta também o pH do solo (de 3,5 para 5), tornando-o menos ácido e até três vezes mais fértil. A superfície do carvão possui muitos micróbios ativos e retém água. Assim, a recuperação de solos degradados é possível e as chances de crescimento das plantas são maiores, bem como o início de produções agrícolas em locais em que ele foi introduzido. Isso resulta em outro benefício, já que podem ser uma alternativa aos fertilizantes nitrogenados.

Nos Estados Unidos, a empresa Biochar Solutions, localizada em Carbondale, no estado do Colorado, desenvolveu máquinas capazes de produzir o biocarvão de forma mais prática. Os interessados em adquirir os equipamentos se tornam parceiros da companhia ao redor do país. A empresa também vende três tipos de carvão oriundos de madeira reaproveitada.

Para ter mais informações a respeito, visite o site oficial da marca.

Veja também:
-Agricultura de baixo carbono: como ela pode contribuir para conter o aquecimento global
-Os problemas causados pelos agrotóxicos justificam seu uso?
-Os estragos causados pelo uso de agrotóxicos no mundo e no Brasil


 

Comentários  

 
0 #1 2013-08-12 17:56
Salvo o engano, participei de uma palestra em 2010 na qual um professor falava sobre a terra preta de índio, que nada mais é do que a utilização desse carvão como fertilizante. Não busquei muitas informações, mas o professor tinha algumas propostas de como fazer isso de maneira prática sem precisarmos recorrer ao ciclo de produção industrial.
Infelizmente não tinha blocos para fazer anotação no dia, mas quem tiver interesse bem que poderia pesquisar e postar para ajudar. :)
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail