Donos de veículos híbridos e elétricos passam a ter desconto de 50% no IPVA em São Paulo

eCycle

Prefeitura também estuda a possibilidade de liberar tais veículos do rodízio municipal

Imagem: Heloisa Ballarini/Secom

Os veículos elétricos, movidos a hidrogênio ou híbridos da cidade de São Paulo poderão agora obter um desconto de 50% sobre o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). No último dia 21 de agosto, o prefeito Fernando Haddad assinou o decreto de regulamentação da Lei nº 15.997, sancionada em maio de 2014, a fim de viabilizar incentivos ao uso de uma frota não-poluente.  

O IPVA é um imposto estadual pago anualmente pelo proprietário de todo e qualquer veículo automotor. De acordo com a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, as alíquotas do imposto variam de 1,5% a 4% sobre o valor venal do veículo, a depender de sua categoria. Do total arrecadado, 50% cabe ao estado e 50% ao município onde ocorreu o emplacamento.

Com o intuito de estimular a utilização de carros não-poluentes, a Prefeitura devolverá ao contribuinte 100% da sua quota-parte. Essa devolução será feita mediante requerimento do proprietário. 

No que se refere ao IPVA relativo ao exercício de 2014, excepcionalmente, os requerimentos deverão ser apresentados em meio físico. A partir do exercício de 2015, o requerimento deverá ser efetuado por sistema eletrônico a ser disponibilizado pela Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, aberto anualmente no mês de maio. 

O sistema funcionará de modo semelhante ao da Nota Fiscal Paulistana e o pagamento será efetuado, obrigatoriamente, mediante crédito em conta corrente de titularidade do proprietário ou arrendatário mercantil do veículo quando gerado o imposto. 

De acordo com a Associação Brasileira do Veículo Elétrico, em 2014, o país possuía cerca de 1000 veículos elétricos e híbridos, grande parte deles concentrados na cidade de São Paulo. A entidade acredita que este número deve dobrar em 2015. Vale destacar que a cidade possui uma frota de mais de 7 milhões de automotores, segundo dados divulgados pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) em julho deste ano. 

Rodízio

Em conversa com a imprensa, o prefeito afirmou que as secretarias municipais de Transporte e do Verde e Meio Ambiente fará uma análise para checar a viabilidade de um outro incentivo, o da suspensão do rodízio para os veículos elétricos e híbridos, especificamente. 

"Recebemos da indústria um pedido para analisar a possibilidade de dispensa do rodízio, um estímulo grande porque muita gente tem um segundo carro e geralmente mais velho e mais poluente que o primeiro. Se nós dispensássemos do rodízio, talvez a pessoa substituiria dois carros poluentes por um carro não-poluente, com um impacto muito pequeno no trânsito, quase zero, uma vez que a frota é muito pequena. Ao longo dos anos isso seria reavaliado do ponto de vista da mobilidade. Do ponto de vista da sustentabilidade, entretanto, é óbvio que o impacto seria muito significativo", afirmou.

Apesar de prevista pela lei, a possibilidade será estudada por técnicos das pastas envolvidas.

Veja também:
-Empresa estuda lançar carro elétrico que pode rodar mais de 600 km sem recarregar a bateria
-Veículos elétricos poluem menos até quando usam energia gerada por carvão


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail