Atividades físicas ajudam a combater hipertensão em mulheres prestes a entrar na menopausa

eCycle

Exercícios físicos podem diminuir hipertensão e reduzir em 40% o risco de infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral

Não é apenas o aquecimento da Terra que causa forte sensação de calor nas pessoas. Bem, pelo menos no caso de algumas mulheres, não. A menopausa se encarrega de fazer isso.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a menopausa afeta 70% da população feminina durante o período do climatério e leva a uma queda significativa da qualidade de vida. Ela costuma aparecer numa faixa etária de 45 a 55 anos e a sensação de calor é o principal incômodo que ela causa.

Mas a menopausa guarda uma surpresa ainda mais desagradável: a hipertensão. De acordo com especialistas de cardiologia, até 80% das mulheres podem se tornar hipertensas após a menopausa. Mas, mulheres, acalmem-se, pois a ciência está dando um jeito de resolver isso!

É o que mostra uma pesquisa realizada pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). A coordenadora deste estudo, Angelina Zanesco, indica que a atividade física pode ser uma eficiente arma para combater essa tendência. “Muitas mulheres começam a se preocupar com a atividade física somente após os 50 anos, quando a barriga começa a crescer. Mas nossos resultados mostram que, para evitar o desenvolvimento da doença, a intervenção precisa ser feita antes que ocorram as mudanças metabólicas e hormonais da menopausa”.

Essa conclusão é fruto de avaliações feitas em dois grupos de mulheres: pré e pós-menopausa. Foi avaliado o funcionamento do chamado sistema renina-angiotensina, responsável pelo controle da pressão arterial.

Os pesquisadores coletaram amostras de sangue de 42 mulheres com mais de 40 anos que ainda não estavam na menopausa e de outras 32 que já estavam sem menstruar há pelo menos 12 meses. “Quando comparamos apenas as mulheres normotensas, pré e pós-menopausa, não vemos grandes diferenças. Mas, quando comparamos as hipertensas, o aumento na atividade do sistema renina-angiotensina chega a 150%. Esses dados mostram que, se a mulher esperar a menopausa para mudar seu estilo de vida, pode ser um pouco tarde e esse sistema já estará ativado para causar uma patologia”, avaliou Zanesco.

Os benefícios de praticar atividades físicas antes da menopausa

Para coletar mais dados para o estudo, o mesmo grupo de pessoas foi submetido a uma rotina de exercícios. O resultado foi animador: após dois meses de treinamento na esteira, que incluía três sessões de 40 minutos por semana, em ritmo moderado, houve redução da gordura abdominal de aproximadamente três centímetros. Além disso, a pressão arterial das normotensas caiu 4 milímetros de mercúrio e a das hipertensas, 7 milímetros de mercúrio.

Traduzindo isso para termos mais inteligíveis, seria o mesmo que reduzir uma pressão de 13,2 para 12,5, por exemplo. De acordo com Zanesco, “essa é uma redução importante para um período tão curto e o suficiente para reduzir em 40% o risco de infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral”.

Apesar de já ser notório que a atividade física causa benefícios para o corpo como controlar a  hipertensão, ainda não é tão claro o porquê. Em outras palavras, os pesquisadores ainda não têm certeza de quais substâncias capazes de regular a pressão sanguínea a atividade física estimula.


Fonte: Agência Fapesp


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail