Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Órgão sediado em Londres não considerou suficiente a documentação apresentada

Mais documentação é necessária para que o Japão justifique seu plano de caçar baleias por razões científicas, disse a Comissão Baleeira Internacional (CBI), no dia 19 de junho. O órgão afirmou que é impossível emitir um parecer com a documentação apresentada até o momento.

A CBI iria anunciar no dia 19 se o plano japonês, em que consta a caça de 3996 baleias no Oceano Sul nos próximos 12 anos, havia deixado ou não de apresentar os problemas que fizeram com que sua proposta anterior fosse considerada ilegal pelo Tribunal Internacional de Justiça (CIJ – sigla em inglês). Porém, o comitê científico da CBI, situado em Londres, considerou que o documento não apresentou informações suficientes.

Mesmo assim, o país asiático pode seguir com seu plano a partir de dezembro de 2015, já que cabe a cada país decidir se realiza caça de baleias com finalidades científicas. O maior problema se daria em nível internacional, pois o Japão enfrentaria indignação de ativistas por ignorar a agência responsável por assegurar a conservação das baleias.

Na temporada 2013-2014, o Japão caçou 251 baleias; no ano anterior, 103. Em 2014-2015, não houve caça devido à decisão da CIJ, que considerou que a pesca era realizada para fins comerciais, e não científicos.

Veja também:
Japão confirma que não irá mais caçar baleias na Antártida
Cão encontra vômito de baleia petrificado, que vale mais de R$ 300 mil