Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Novas pesquisas indicam possibilidade do Sol ser um dos maiores de provedores de água na Terra

Um time internacional liderado pela Universidade de Glasgow em parceria com pesquisadores da Universidade Curtin identificou o Sol como um dos motivos da existência de água na Terra. Isso se deu pelo fenômeno chamado de “vento solar” — que é composto por partículas feitas de íons hidrogênio, que criaram água na superfície de grãos de poeira que foram transferidos para os asteroides responsáveis pelo Big Bang. 

A teoria do Sol foi baseada em um estudo dos átomos de um asteroide com órbita próxima da Terra, 25143 Itokawa. A sonda japonesa Hayabusa trouxe amostras desse corpo celeste à Terra em 2010.

O sistema de tomografia por sonda atômica da Universidade Curtin fez com que os cientistas pudessem analisar detalhadamente os primeiros 50 nanômetros da superfície do Itokawa. Esta análise confirmou a existência de água, que, de acordo Phil Bland, professor da Universidade Curtin, “se aumentada, equivaleria a cerca de 20 litros para cada metro cúbico de rocha.”

Antes mesmo dessa comprovação científica, pesquisadores teorizaram que a água da Terra só poderia ter vindo do espaço, ou mais especificamente, dos asteroides. Contudo, a água de asteroides contém “proporção específica de hidrogênio comum para um tipo mais pesado, ou isótopo, chamado deutério”, que não é a mesma que a da água encontrada na Terra.

Como a água veio parar na Terra?

Quando a Terra foi formada e assim, seus oceanos, grãos de poeira dos asteroides e do próprio Sol se juntaram, formando os corpos de água. É teorizado que a mistura desses dois tipos de água combine com a composição isotópica da água da Terra.

Imagem de frank mckenna no Unsplash

Podemos criar água?

Além de ser uma descoberta científica incrível, a informação também pode ser útil em futuras expedições espaciais. O mesmo processo climático que criou água no asteroide Itokawa pode acontecer em outros planetas sem ar. Isso significa que astronautas seriam capazes de processar água fresca de grãos de poeira na superfície de outros planetas, ou até mesmo da Lua.