Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O conceito de casa passiva, ou Passivhaus, consiste em uma série de normas que visam maximizar a eficiência energética

O conceito de casa passiva, ou Passivhaus, consiste em uma série de normas que visam maximizar a eficiência energética. Ele depende de elementos de design que buscam reduzir as necessidades de aquecimento e resfriamento. A orientação da casa e das suas janelas permite o aquecimento solar passivo e a entrada de luz natural, limitando ainda mais as necessidades de energia elétrica.

Projetos de casas passivas apresentam baixos requisitos de energia, alta qualidade do ar interno, temperatura interna uniforme e estável e, portanto, a capacidade de permanecer confortável durante quedas de energia. Normalmente, os custos superiores de construção dos materiais envolvidos na construção de uma casa passiva são compensados ​​por elementos arquitetônicos mais simples e sistemas menores de aquecimento, resfriamento e eletricidade.

Inicialmente, os custos das casas passivas, em comparação às convencionais, são cerca de 5% a 10% maiores. No entanto, a rentabilidade dessas construções se apresenta no longo prazo. As diversas iniciativas presentes nelas podem diminuir a conta de energia elétrica, de água e dos valores de manutenção, além de valorizar o imóvel.

Construção civil

Com o aumento da conscientização a respeito dos efeitos nocivos da ação humana no meio ambiente, cada vez mais pessoas procuram alternativas viáveis para colocar em prática um projeto de casa sustentável e focada no bem-estar dos moradores e do planeta.

Estudos indicam que a construção civil é uma das principais responsáveis pela alta emissão de gases, destruição de áreas verdes e consequente morte de animais nativos, alto índice de consumo de energia e água, além da gigantesca criação de resíduos, desde a produção dos materiais para a obra até a entrega e funcionamento. Só em São Paulo, estima-se a geração de 17 mil toneladas por dia de resíduos, sendo que 30% vêm da construção formal e o restante, da informal.

Em resposta a esse panorama, cresce a construção sustentável, que determina uma revisão de toda cadeia de produção, a fim de torná-la menos prejudicial ao meio ambiente e mais eficiente, tanto no âmbito social quanto no econômico. Isso porque ela visa, além da harmonização das construções com a natureza, o melhor convívio entre moradores e a comunidade.

Com o uso eficiente dos recursos energéticos, é possível reduzir os impactos causados pelo ser humano sobre o meio ambiente. Dessa forma, podem ser diminuídas as demandas por combustíveis e outros insumos associados à energia, bem como a poluição hídrica e aérea causadas por eles. A casa passiva tem esses objetivos.

Ecoeficiência energética

Segundo a definição do World Business Council for Sustainable Development (Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável, em tradução livre), o termo ecoeficiência pode ser entendido como uma forma de produzir e fornecer bens e serviços competitivos no mercado com menor consumo de recursos naturais e menor geração de poluentes. O objetivo é satisfazer as necessidades humanas e manter a qualidade de vida com um mínimo de alterações negativas ao meio ambiente.

A ecoeficiência pode ser aplicada em nossas atitudes diárias. Para isso, devemos levar em conta as questões socioambientais no momento da aquisição de bens, assim como ao contratar serviços, procurando sempre avaliar os impactos causados.

Características de uma casa passiva

As casas passivas possuem as seguintes características:

  • Altos níveis de isolamento
  • Altos níveis de hermeticidade
  • Bons níveis de luz do dia
  • Janelas superiores com vidros duplos ou triplos
  • Orientação solar passiva
  • Fornecimento de aquecimento e/ou água quente de uma fonte renovável (como solar, bomba de calor ou biomassa)
  • Um ambiente interno saudável, que pode incluir um sistema de ventilação mecânica com recuperação de calor (MVHR) em uma casa altamente hermética
  • Sistemas de energia renovável, como solar fotovoltaico e solar térmico
  • Materiais naturais e baixo consumo de plásticos
  • Coleta de água da chuva

Vale ressaltar que todas as conexões devem ser planejadas com cautela para evitar pontes térmicas, em que há elevada dispersão de calor.

Materiais e instalações

Quando se trata de construir casas passivas, os materiais usados e equipamentos instalados ​​são fundamentais.

Materiais naturais

Fardo de palha, cal ou lã de ovelha e isolamento de celulose são alguns exemplos de materiais naturais.

Vidros

O ponto de partida de um projeto de reforma pode ser substituir as janelas de vidro simples por janelas de vidro duplo, que tem baixo custo e quase o mesmo impacto no consumo de energia.

Painéis solares

O painel solar captura a energia do sol usando células fotovoltaicas que convertem a energia em eletricidade, que pode então ser usada para iluminação e eletrodomésticos. Qualquer eletricidade gerada pelos painéis que você não usa será enviada para a rede nacional.

Telhados verdes e telhas ecológicas

Um telhado verde utiliza plantas para compor a cobertura da casa, auxiliando na captação de água da chuva e no isolamento térmico do imóvel. Já a telha ecológica é feita com fibras, pinho, eucalipto ou não-madeiras, como sisal, bananeiras e coco. Há também telhas feitas com materiais reciclados, como papel, asfalto e resina.

Energia solar

A energia solar funciona capturando a energia do sol e transformando-a em eletricidade para abastecer residências e empresas. É, sem dúvida, uma das fontes renováveis ​​de energia mais limpas disponíveis atualmente.

O sol é um reator nuclear natural. Ele libera pequenos pacotes de energia chamados fótons, que viajam do Sol para a Terra em cerca de oito minutos e meio. A cada hora, fótons suficientes chegam à Terra para gerar energia solar suficiente para cobrir as necessidades globais de energia durante um ano inteiro.

Por que investir na ecoeficiência energética?

A ecoeficiência é uma das principais medidas que contribuem para um futuro sustentável. Além de gerar diversos benefícios para empreendimentos, adotar uma postura ecoeficiente significa satisfazer as necessidades humanas e proporcionar qualidade de vida sem causar impactos ambientais e gastando o mínimo dos recursos naturais não renováveis. Por isso, é extremamente importante que cada um faça a sua parte para uma pegada mais leve.