Organismos transgênicos: o que são e quais suas vantagens e desvantagens?

Na agroindústria e na área da bioética, os transgênicos geram intenso debate

Organismos geneticamente modificados (OGM) são, segundo definição do Ministério da Agricultura, todo e qualquer organismo que teve seu material genético (DNA) modificado por meio de técnicas aplicadas pela engenharia genética, em laboratórios. Dentre os OGM, existe um grupo chamado transgênico, que envolve organismos que contêm um ou mais genes transferidos artificialmente de outra espécie.

A técnica da transgenia tem como objetivo principal selecionar plantas e animais mais resistentes a doenças, pragas, agrotóxicos e mudanças climáticas, e que sejam também mais nutritivos e produtivos. O milho e a soja estão entre os alimentos mais consumidos de origem transgênica. Há ainda o algodão geneticamente modificado, que é amplamente produzido em agriculturas de todo o mundo. O salmão transgênico foi o primeiro produto de origem animal a ser liberado para o consumo humano.

A Lei de Biossegurança, aprovada em 2005, estabelece normas sobre a pesquisa, produção, distribuição e comercialização de OGM. A promulgação dessa lei ocorreu em contexto de intensa polêmica e debate, tanto no Brasil quanto no exterior, sobre possíveis danos e riscos à saúde humana e impactos ambientais que produtos transgênicos podem causar. Em especial, os ambientalistas desejavam a proibição da comercialização de tais organismos com o código genético modificado.

O que dizem os críticos e os defensores dos OGM?

Os defensores dos OGM, como a empresa Monsanto, afirmam que a produção de alimentos mais resistentes e nutritivos é um diferencial para combater o problema da fome, principalmente em um contexto de crescimento populacional e, nesse caso, o Brasil torna-se objeto de muita atenção, uma vez que é uma das maiores fronteiras agrícolas do mundo.

Já os críticos dos transgênicos, como o Greenpeace e o Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC), que promovem movimentos contrários ao uso dos OGM, relatam que os mesmos podem trazer consequências ainda desconhecidas à saúde humana, tais como possíveis alergias e resistência a antibióticos. No caso do meio ambiente, as consequências podem ser ainda mais sérias, gerando perda de biodiversidade, empobrecimento dos solos e estimulando o aparecimento de superpragas. Estudos recentes corroboram com a divulgação dessas críticas. O Greenpeace, por exemplo, afirma que a produção e o consumo de OGM devem estar baseados no princípio da precaução e na bioética, situação que não ocorre na prática.

Prós e contras dos organismos transgênicos

Dentre as vantagens dos OGM, podemos citar a capacidade de produção de sementes com qualidade nutritiva maior que as sementes orgânicas, o aumento e a melhoria na produtividade pela maior resistência às doenças e pragas, a redução nos custos de produção e a expansão no conhecimento científico. As principais desvantagens incluem os já citados problemas de saúde (estimulação ao aparecimento de alergias e possibilidades de serem carcinogênicos ou venenosos) e ambientais (perda de biodiversidade, incentivo ao aparecimento de pragas mais resistentes na natureza), o fato dos transgênicos serem produzidos, em sua maioria, por grandes produtores, ignorando os agrossistemas sustentáveis e os pequenos produtores que não têm acesso facilitado às sementes que foram manipuladas geneticamente e o domínio da tecnologia de geração dos transgênicos por pouquíssimas empresas multinacionais.

Por tudo o que ainda precisa ser conhecido a respeito dos organismos geneticamente modificados, cabe ao consumidor optar pelo seu uso ou não, de acordo com seu estilo de vida e sua consciência ecológica, sendo fundamental a participação de toda sociedade na opinião sobre a liberação ou restrição dos organismos transgênicos. O problema é que muitos fabricantes sequer alertam o consumidor da utilização de OGM.

Alternativas

• Para quem deseja não consumir produtos de origem transgênica, pode-se optar pelo consumo de orgânicos, incentivando a produção pelos pequenos produtores (veja mais aqui);

• Cobrar empenho do governo na aprovação de legislação mais combativa à produção e comercialização de OGM, além de exigir maior fiscalização das autoridades;

• Exigir das empresas produtoras de transgênicos o desenvolvimento de estudos mais aprofundados antes de disponibilizarem suas sementes para o mercado consumidor.

Veja também:
-Sementes transgênicas e pesticidas geram polêmica nos EUA
-Questões globais e pontais em filmes críticos 
-Pesticidas contra abelhas? 
-Os problemas causados pelos agrotóxicos justificam seu uso? 
-Os estragos causados pelo uso de agrotóxicos no Brasil e no mundo 


 

Comentários  

 
-11 #1 2014-11-02 21:38
eu pedi o que é transgenicos
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail