Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Prazo de submissão de propostas ao edital lançado em parceria com a FAPESP termina em 25 de outubro. A expectativa é atrair, na fase 1 do programa, cerca de mil ideias inovadoras

Por Pesquisa para Inovação em Agência FAPESP – A FAPESP lançou no dia 14 de setembro o primeiro edital do Programa Centelha, de estímulo ao empreendedorismo inovador e disseminação da cultura do empreendedorismo entre jovens.

O programa, que já teve a sua primeira edição implementada em 26 Estados, é uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Fundação Certi. Em São Paulo, o programa será executado pela FAPESP.

Até 25 de outubro, empreendedores – pessoas físicas maiores de 18 anos ou empresas de pequeno porte – poderão submeter ideias inovadoras à fase 1 do edital que, se aprovadas, passarão à fase 2, devendo então ser apresentadas em formato de projeto de empreendimento. O programa inclui capacitação para aprimorar os projetos inovadores, além de suporte e feedback dos avaliadores.

Os 50 melhores projetos irão para a fase 3, de elaboração de projeto de fomento, quando o empreendedor passará a contar com apoio de R$ 80 mil – divididos entre a FAPESP e a Finep –, além de bolsas oferecidas pelo CNPq.

Os projetos selecionados na fase 3 do Programa Centelha também poderão ser elegíveis para o Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), garantindo a continuidade dos trabalhos, de acordo com Patrícia Tedeschi, gerente de Pesquisa para Inovação da Fundação.

A expectativa é que o edital Centelha mobilize, principalmente, jovens empreendedores, estudantes de graduação e pós-graduação das universidades paulistas.

Acessa a íntegra da chamada do Programa Centelha SP

Experimento para o PIPE Zero

“A FAPESP tem uma década de convivência com a Finep no âmbito da fase 3 do PIPE, de comercialização de produtos de iniciativas inovadoras. O Centelha será um experimento para o PIPE Zero, de apoio à fase inicial do empreendedorismo”, afirmou Carlos Américo Pacheco, diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo da FAPESP, no evento de lançamento do programa.

Luiz Eugênio Mello, diretor científico da FAPESP, lembrou que, desde a Constituição Estadual de 1989, apoiar o desenvolvimento tecnológico está entre as missões da Fundação. “A FAPESP lançou várias iniciativas nessa direção, entre elas o PIPE, que permite apoiar empreendedores na fase conceitual da inovação [fase 1], na de desenvolvimento do projeto [fase 2] e na de comercialização do produto [fase 3), em parceria com a Finep. O programa tem ainda uma vertente de treinamento – o PIPE Empreendedor – e, mais recentemente, criamos o PIPE Invest. Partimos agora para o PIPE Zero, junto com o Centelha”, afirmou.

Marcelo Bortolini, diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Finep, lembrou que na primeira edição do Programa Centelha foram apresentadas mais de 15 mil ideias por empreendedores de mil municípios. “O Centelha apoia a inovação desde a ideia e o protótipo até o produto, antes de sua colocação no mercado. Essa era uma área pouco explorada pela Finep”, disse. Na chamada com a FAPESP, a expectativa de Bortolini é receber, na fase 1 da chamada Centelha, cerca de mil ideias inovadoras.

Entre os objetivos estratégicos do programa, de acordo com Bortolini, estão a criação de empresas, o estímulo à conexão de jovens empreendedores com o ecossistema de inovação e a criação de uma cultura de empreendedorismo inovador no país. A metodologia desenvolvida pela Fundação Certi e já testada em Santa Catarina, sublinhou, propicia escala e a transformação de ideias em inovação.

De acordo com Zaira Turchi, diretora de Cooperação Institucional do CNPq, as bolsas oferecidas pela agência estadual ao programa Centelha podem ser concedidas desde o início da chamada. “Isso dará um arranque ao programa”, comentou.

“Não se faz ciência e tecnologia no país se não com São Paulo”, afirmou Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTI. Informou que é grande a expectativa em relação aos resultados da chamada da FAPESP no Estado. “Teremos o Centelha 3, que será programa permanente e servirá de estímulo para ampliar parcerias com as FAPs e com a FAPESP, com quem temos tido parcerias exitosas”, afirmou. “A experiência da FAPESP é um exemplo para todo o país.”

O evento de lançamento pode ser assistido no canal da Agência FAPESP no YouTube.

Este texto foi originalmente publicado por Agência FAPESP de acordo com a licença Creative Commons CC-BY-NC-ND. Leia o original.