PVC: material muito usado na indústria pode trazer problemas ambientais

eCycle

Entenda mais sobre o ciclo de vida do PVC, material amplamente utilizado mundialmente


Eles estão sob o chão ou dentro das paredes, nos carros, telhas, móveis. É impossível pensar a construção de uma casa e a fabricação de diversos outros produtos sem ele e, para grande parte das pessoas, também é inimaginável não só o impacto ambiental do PVC, mas seu impacto à saúde humana. Mas essa possibilidade existe.

Processo de fabricação

O policloreto de polivinila, conhecido popularmente como PVC, é um plástico que não é integralmente composto por petróleo. Ele contém cerca de 57% de cloro, que é misturado com o etileno para formar o PVC.

Se, por um lado, é essa junção que torna a substância muito utilizada pela indústria, já que ela preenche os requisitos de durabilidade, resistência e estética, além de possuir muitas aplicações; por outro, subprodutos potencialmente danosos são formados nas reações químicas para criar o PVC.

De acordo com artigo da mestre em Arquitetura Sustentável pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), Daniela Corcuera, as substâncias nocivas geradas ao longo do processo de fabricação do PVC (na produção do gás cloro por eletrólise e na combinação do cloro com o etileno para produzir etileno dicloretado) são, principalmente, dioxinas, furanos e PCBs, conhecidos como organoclorados.

A formação de subprodutos organoclorados perigosos começa com a produção do gás cloro. Quantidades extremamente grandes, na ordem de um milhão de toneladas/ano, de resíduos clorados perigosos são gerados na síntese do etileno dicloreto (ethylene dichloride-EDC) e no monovinil cloreto (vinyl chloride monomer-VCM), ambos precursores do PVC.

Para finalizar o processo de fabricação é necessário a adição de plastificantes, pois em sua forma pura, o PVC é rígido e quebradiço. Para fazer os produtos de vinil flexíveis, precisam ser adicionados plastificantes em grandes quantidades ao PVC. Esses compostos utilizados são normalmente os ftalatos, que colocam consideráveis riscos à saúde e ao ambiente. Mais de cinco milhões de toneladas de ftalatos são utilizados em PVC a cada ano.

Aplicações do PVC

As aplicações do PVC são inúmeras, dentre elas estão: tubos e conexões, laminados e espalmados, embalagens (filmes flexíveis e frascos), fios e cabos, perfis para construção civil, calçados, mangueiras e outras aplicações específicas.

Indústria

Os produtores de PVC ressaltam os benefícios ambientais que o material pode ter justamente por não depender muito do petróleo. O site do Instituto do PVC aponta que o produto consome apenas 0,3% do petróleo extraído no mundo, índice baixo para um dos três tipos de plásticos mais utilizados em todo o planeta.

Contudo, o PVC é eletro-intensivo (é necessária muita energia elétrica para que o produto possa ser finalizado) o que o torna pouco sustentável energeticamente, pois a sua fabricação requer grandes quantidades de recursos e investimentos na matriz energética para viabilizar a sua produção.

Problemas para a saúde e para o meio ambiente

Os problemas gerados pelo PVC devem-se ao seu processo de fabricação e ao seu descarte. As substâncias geradas ao longo do processos de fabricação do PVC (dioxinas, furanos e PCBs) são todas persistentes no meio ambiente (resistem à degradação natural), biocumulativas (penetram nos tecidos dos seres vivos) e tóxicas, podendo causar câncer, disfunção no sistema endócrino, lesões no cérebro, entre outras complicações. Dessa forma, é essencial haver normas de segurança no processo produtivo e cuidados para lidar com resíduos perigosos.

Após o seu uso, qual o destino do PVC? 

Deposição em aterro sanitários

Os plásticos constituem um dos materiais mais utilizados em nosso cotidiano. Os resíduos plásticos, incluindo o PVC, têm aumentado bastante e hoje representam 20% do total do volume de resíduos em aterros sanitários.

Outro ponto importante é o longo período de decomposição desses materiais, segundo o site do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) os plásticos podem levar de 200 a 600 anos para se decomporem na natureza completamente.

Incineradores

A incineração é um processo de queima do material até que restem apenas as cinzas, mas é um erro crer que as coisas simplesmente desaparecem. Na verdade, ocorre uma transformação na matéria. Isso pode ser exemplificado pela a incineração de substâncias cloradas, como o plástico PVC que leva à formação de novos compostos clorados, como as dioxinas altamente tóxicas. Em outras palavras, os incineradores não resolvem os problemas do descarte de PVC. Na verdade, eles apenas convertem esses materiais tóxicos em outras formas, que podem ser mais tóxicas que os materiais originais. Esses novos compostos formados podem então reingressar ao meio ambiente

Reutilização

A reutilização de materiais é a segunda meta do pensamento dos 3Rs (reduzir, reutilizar e reciclar). Há varias maneiras de reutilizarmos os plásticos PVC velhos. Por exemplo: um pedaço de encanamento que você retirou da sua casa na última reforma pode ser útil a outra pessoa. Não deixe que ele vá parar num aterro. Cerrando pedaços danificados, é possível aproveitar grande parte do material e usá-lo novamente. Pode-se utilizá-los para fazer uma jardineira, vasos, prateleiras e mancebos de parede.

Reciclagem

No Brasil, a taxa de reciclagem do PVC tem crescido ao longo do tempo. O reaproveitamento do material, quando bem separado, pode ser feito de forma simples e menos onerosa. A primeira etapa é a lavagem e secagem, após esse processo ocorre a moagem do material. Dependendo da aplicação final podem ser adicionado plastificantes, estabilizantes e outros. O processo final é a passagem por uma extrusora ou injetora. A reciclagem é um ótimo meio de diminuir a utilização de recursos naturais, pois uma tonelada de plástico economiza 130 kg de petróleo para a fabricação de novos produtos plásticos. Em virtude disso, é importante o descarte destes materiais plásticos corretamente, saiba como aqui.

Alternativas

Já existem, no mercado, produtos que são livres de PVC ou que utilizam outro plastificante para ser menos danoso ao meio ambiente. Esses novos itens abarcam material de construção, insumos médicos e material de escritório. Portanto, quando for comprar esse tipo de produto, fique atento.

Consuma Consciência

É importante ter em mente o ciclo de vida do PVC, tanto na sua fabricação quanto na sua destinação final. Quando o ciclo de vida é considerado por inteiro, torna-se claro de que este plástico aparentemente tão inócuo é um dos produtos de consumo produzido mais perigosos, sob o aspecto ambiental, por gerar enormes quantidades de organoclorados tóxicos e persistentes, além de outros compostos nocivos como as dioxinas e ftalatos, que hoje estão presentes universalmente tanto nos ambientes como nos organismos das populações humanas. Caso você já tenha o adquirido, procure a melhor destinação possível. Caso precise de itens feitos tradicionalmente com PVC, procure as alternativas mencionadas.


Veja também:


 

Comentários  

 
0 #1 2014-07-22 12:31
Olá Gostaria de saber onde e como devo descartar placas de divulgação, em PVC ?

Obrigada!
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail