Saiba o que é e como funciona a Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer

Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (IARC) analisa e busca meios de prevenir a doença

Vira e mexe uma sigla de referência sempre aparece quando o assunto envolve pesquisas relacionadas ao perigo que certos itens ou substâncias trazem em termos de potenciais cancerígenos. Essa sigla é a IARC e ela representa a Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (International Agency for Research on Cancer, da sigla em inglês). Através de uma iniciativa francesa, a Alemanha Ocidental, a Itália, o Reino Unido e os Estados Unidos criaram, em maio de 1965, na décima oitava Assembleia Mundial da Saúde, a IARC, sediada em Lyon, na França. Por ser uma extensão da Organização Mundial da Saúde (OMS), ela segue as regras gerais das Nações Unidas, mas é governada por dois grupos: o Conselho Governamental e o Conselho Científico. Entenda o que são os dois órgãos:

Conselho Governamental

Composto pelos representantes dos países participantes e do diretor geral da OMS, o conselho rege a política geral e elege, a cada cinco anos, o diretor da agência. Todo ano, o Conselho Governamental se reúne uma semana antes da Assembleia Mundial da Saúde.

Conselho Científico

Selecionados pela competência técnica no campo de pesquisa em câncer e campos associados, esse conselho congrega cientistas altamente qualificados, que são apontados como especialistas dos países participantes. Após o período de quatro anos, o país ao qual aquele cientista representava indicará até dois especialistas para substitui-lo.

O conselho realiza avaliações periódicas das atividades da agência, documenta as atividades permanentes e prepara projetos especiais, que são submetidos ao Conselho Governamental. Anualmente, o Conselho Científico se reúne no final do mês de janeiro ou começo de fevereiro.

Custos

Sua principal renda é a contribuição que os países participantes fornecem, mas, além disso, muitas cooperativas e agências de financiamento realizam doações, como a Comissão Europeia, o Instituto Nacional de Saúde dos EUA, o Fundo Internacional de Pesquisa em Câncer e a Fundação Bill e Melinda Gates. Além das agências e cooperativas, eles aceitam doações de pessoas físicas e instituições privadas.

Objetivo

Em 1970, o Comitê de Carcinógenos Ambientais do IARC recomendou a criação de uma documentação preparada por especialistas sobre agentes cancerígenos. O termo agente é utilizado porque a IARC analisa os mais variados suspeitos de causar câncer, como químicos, diferentes formas de radiação, agentes físicos e biológicos. A documentação criada tem o intuito de ser uma fonte segura a respeito das causas do câncer e meios de evitá-lo. Além disso, eles buscam auxiliar na implementação de políticas de prevenção ao câncer e no treinamento de pesquisadores em todo o mundo, dando prioridade para países de baixa e média renda em áreas de maior epidemiologia do câncer.

Classificação dos Agentes Cancerígenos

Para a classificação do agente, são realizados estudos em humanos e animais, além de serem feitas pesquisas sobre quaisquer aspectos que sejam significantes, como a patologia do tumor, fatores genéticos, metabolismo e toxicologia do agente.  Baseada nessas informações, a classificação é feita e o agente é alocado em um dos seguintes grupos:

-Grupo 1 - O agente é carcinogênico a humanos.
Quando há evidências suficientes de que o agente é carcinogênico para humanos;

-Grupo 2A - O agente provavelmente é carcinogênico a humanos.
Quando existem evidências suficientes de que o agente é carcinogênico para animais e evidências limitadas ou insuficientes de que ele é carcinogênico para humanos;

-Grupo 2B - O agente é possivelmente carcinogênico a humanos.
Quando existem evidências limitadas de que o agente é carcinogênico para humanos e evidências insuficientes de que ele é carcinogênico para animais ou quando não há evidências suficientes em ambos os casos, mas há dados relevantes de que ele possa ser carcinogênico;

-Grupo 3 - O agente não é classificado como carcinogênico a humanos.
Quando as evidências não são adequadas para afirmar que aquele agente é carcinogênico a humanos e animais ou quando o agente não se encaixa em nenhum outro grupo;

-Grupo 4 - O agente provavelmente não é carcinogênico.
Quando faltam evidências de que o agente é carcinogênico em humanos ou animais.

Países Membros

Hoje a agência conta com, além dos países fundadores, a participação da Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Finlândia, Índia, Irlanda, Japão, Noruega, Holanda, República da Coréia, Rússia, Espanha, Suécia, Suíça e Turquia. O Brasil se tornou membro da IARC em 2013.

Curta o video a seguir (em inglês) e entenda um pouco mais sobre como a agência funciona, seus objetivos, metodologia, classificação das substâncias e o exemplo de um dos casos de estudos da IARC, especificamente sobre os efeitos da radiofrequência associada ao uso de telefones celulares:



Veja Também:
-Alta exposição a emissões de diesel causa câncer de pulmão, avalia agência
-Você conhece os problemas dos parabenos?
-Veículos movidos a diesel poluem sete vezes mais o meio ambiente e são nocivos à saúde
-Conheça os perigos da dioxina e saiba como preveni-los
-Dietanolamina e seus derivados, presentes em diversos artigos de higiene e cosméticos, são possivelmente cancerígenos


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail