Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Conferência do clima, que deve definir rumos ambientais, ocorre em dezembro

Imagem: Official White House Photo by Samantha Appleton

Estados Unidos e China fizeram anúncio oficial sobre uma “visão comum” para garantir que haja um ambicioso acordo climático na Conferência do Clima de 2015, a COP21, que irá ocorrer em dezembro, em Paris, na França.

Em uma declaração conjunta feita durante a visita do presidente Xi Jinping aos Estados Unidos, a China confirmou que irá lançar um esquema nacional de negociação de carbono até 2018, forçando os grandes emissores a comprar créditos para cumprir as metas de redução de CO2. No entanto, nenhum dos líderes dos dois países mais poluidores do mundo fez menção a novas metas de redução de emissões de gás carbônico.

Para pôr em prática as promessas feitas em novembro passado, quando a China disse que iria limitar sua crescentes emissões por “volta de 2030”, enquanto os Estados Unidos prometeram cortar de 26 a 28 por cento de seu CO2 em 2025 em comparação com o nível de 2005.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, parabenizou o acordo. “Essa decisão mostra perspectivas para um acordo universal e significativo em Paris este ano. Também sinaliza uma visão e seriedade com que as duas maiores economias estão agindo para diminuir a emissão de CO2 no futuro”, afirmou Ban Ki-moon.

O representante da ONU ressaltou a importância do anúncio da China de criar o maior mercado de carbono até 2018, além do compromisso inovador de 3 bilhões de dólares com a cooperação Sul-Sul para ações climáticas, que trará benefícios tangíveis para os mais pobres e vulneráveis.

Fontes: Reuters e ONU

Veja também:
Meta do Brasil é reduzir as emissões em 43% até 2030, afirma Dilma