Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

A aeroponia pode ser usada para qualquer espécie vegetal e pode levar à um crescimento acelerado da planta

A aeroponia é uma técnica de cultivo que mantém as raízes das plantas suspensas. Ela usa a pulverização de água com nutrientes diretamente no sistema radicular, aumentando o contato da planta com os nutrientes e o oxigênio. Com isso, a aeroponia resulta em um maior e mais rápido desenvolvimento das espécies cultivadas.

O que é a aeroponia?

A aeroponia é uma técnica de cultivo sem o uso do solo. Ela consiste em pendurar as plantas suspensas no ar e deixar suas raízes livres de terra ou substratos. O sistema se utiliza de pulverizadores para regar as raízes com uma solução nutritiva, contendo tudo o que a planta precisa.

Sistema aeropônico. Imagem de Abnet srl, em Wikimedia Commons, sob a licença CC BY 4.0
Sistema aeropônico. Imagem de Abnet srl, em Wikimedia Commons, sob a licença CC BY 4.0

Esse modelo tem se mostrado uma alternativa para a produção de alimentos de forma sustentável. Além de otimizar o espaço, ele promove maior desenvolvimento do alimento, devido ao contato direto das raízes com o oxigênio e nutrientes.

Apesar de não ser altamente utilizada como a hidroponia, a aeroponia pode ser uma ótima alternativa para a produção de leguminosas e raízes. Na China, Coreia e América do Sul, esse método é usado para a produção de batata-semente, o principal alimento cultivado com essa técnica.

De acordo com uma pesquisa, a aeroponia apresenta maior produtividade de cultivo do que a hidroponia. O estudo apontou que o primeiro sistema permite maior crescimento da espécie cultivada, e em menor tempo.

Veja abaixo um exemplo de aeroponia para a produção de batata-semente no Brasil: 

Como ter uma boa produtividade com a aeroponia?

Intervalo da pulverização da solução nutritiva

Alguns fatores interferem na produtividade das espécies vegetais cultivadas. O primeiro fator é o intervalo de tempo adequado entre uma rega e outra. Esse ponto é importante para assegurar que as raízes estejam sempre em contato com a solução nutritiva. 

Equipamentos para a pulverização e o tamanho da gota de água

O segundo fator é o tamanho das gotas de água pulverizadas. Quanto maior a gota, menor a superfície de contato com o ar e, consequentemente, menor a quantidade de oxigênio levado para as raízes. Os instrumentos que podem ser utilizados para o fornecimento de água necessária são:

  • Bicos de pulverização, que liberam gotas em spray com tamanho superior  10 μm;
  • Atomizadores de gás comprimido, com formação de névoa com tamanho de gotas de 1 a 100 μm e;
  • Sistemas ultrassônicos, também formando névoa, porém com gotas de 1 a 35 μm.

Além do tamanho de gotas liberadas por cada modelo, outras variáveis devem ser consideradas para avaliar o melhor sistema de pulverização. Quanto menor a saída de água dos pulverizadores, menores as gotículas liberadas. Entretanto, pulverizadores com essa característica apresentam riscos de entupimento, obstruindo a saída de água. Isso não ocorre com bicos maiores, porém, eles demandam mais pressão para o funcionamento adequado. 

Em modelos de cultivo aeropônicos, o tamanho ideal das gotas é de 30 a 100 μm. Isso porque gotículas inferiores a esse tamanho não são fixadas e absorvidas adequadamente. A acessibilidade do equipamento é outro fator importante: o bico de pulverização é o modelo mais acessível e, portanto, preferido pelos pequenos agricultores.

Luminosidade e cuidados com pragas

As raízes das plantas são fotossensíveis, diferente do caule e das folhas. Por isso, é necessário que elas permaneçam em ambientes escuros. Além disso, é necessário uma fiscalização contínua do ambiente para evitar a proliferação de pragas, ainda que esse modelo restrinja o contato da planta com pragas que se encontram no solo.

Desvantagens

Apesar dos seus benefícios para a produção, a aeroponia também tem algumas desvantagens. Além do alto custo para grandes produções, já que exige alguns equipamentos específicos, como os bicos de pulverização e bombas de pressão, esse modelo requer uma quantidade específica de nutrientes, uma dosagem inferior ou superior pode resultar no fracasso da plantação. 

Se os recursos não estiverem disponíveis da forma e quantidade certa, as plantas podem morrer e todo o investimento é perdido. Esse risco é ainda maior nesse tipo de produção, já que o desenvolvimento e sobrevivência dos vegetais depende de tecnologia e supervisão constante. No modelo convencional, ainda tem o solo para manter as condições por mais tempo.

Além disso, o uso dos nutrientes também pode ser um problema. Apesar de essa técnica exigir uma quantidade menor de agrotóxicos, seu uso ainda pode contaminar o ambiente.