Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Todo os materiais didáticos desenvolvidos ao longo do projeto serão também disponibilizados gratuitamente para professores e professoras de todo o país

Por Jornal da USPEste ano, 619 adolescentes e jovens de cinco territórios do município de São Paulo concluíram da formação da Trilhas Digit@is, promovida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o BT e o Instituto Tellus.

Durante o curso, os alunos gradativamente ampliaram seu repertório e a apropriação dos recursos digitais e tecnológicos, tendo a comunidade em que vivem como plano de fundo para suas produções e desenvolvimento de projetos de vida, que trouxeram propostas de soluções para desafios enfrentados pelas comunidades em que vivem, como violência, acúmulo de lixo, falta de acesso à educação, entre outros. 

Adolescentes e jovens de cinco territórios do município de São Paulo concluíram neste ano uma formação em inclusão digital que faz parte da iniciativa Trilhas Digit@is – Espaços de Aprendizagem, promovida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com a BT e com o Instituto Tellus.  

De março a outubro de 2021, dois grupos, totalizando 619 adolescentes e jovens, percorreram um percurso formativo para estimular e fortalecer a cultura digital e o desenvolvimento de competências para a vida, contribuindo com o direito à inclusão digital e à aprendizagem. O trabalho nas comunidades foi realizado em parceria com cinco organizações sociais: Instituto Ana Rosa, Arco Associação Beneficente, Projeto Casulo, Associação Crescer Sempre e Instituto Reciclar. 

Nas trilhas didáticas propostas durante a formação, adolescentes e jovens gradativamente ampliaram seu repertório e a apropriação dos recursos digitais e tecnológicos, tendo a comunidade em que vivem como plano de fundo para suas produções e desenvolvimento de projetos de vida, que trouxeram propostas de soluções para desafios enfrentados pelas comunidades em que vivem, como violência, acúmulo de lixo, falta de acesso à educação, entre outros. 

Um dos projetos é a Biblioteca dos Sonhos idealizado por quatro adolescentes do Instituto Ana Rosa. Ao perceberem a falta de bibliotecas comunitárias na comunidade Jardim Jaqueline, as estudantes tiveram uma ideia inovadora para garantir o acesso à leitura: vão utilizar o recurso de uma bicicleta para incentivar a leitura na comunidade. A bicicleta book truck percorrerá as ruas da comunidade com livros infanto-juvenis, romances e clássicos da literatura brasileira, levando conhecimento e prazer pela leitura aos moradores. “Percebemos que para o início do projeto não conseguiríamos fazer algo grande como abrir uma biblioteca. Tivemos a ideia de fazer uma biblioteca móvel, rápida e prática. E foi aí que surgiu a bicicleta book truck”, afirma Lívia Patez, de 13 anos. 

O acesso à tecnologia também ajudou a Vitória Lohana, 16 anos, a pensar em soluções para a transformação de sua comunidade. O projeto de Vitória, chamado Horta Real, pretende transformar os espaços públicos abandonados do bairro em hortas comunitárias e difundir a construção de hortas nas casas dos moradores do Real Parque – realizando inclusive um curso para a vizinhança. “Por causa da pandemia, muita gente perdeu o emprego. A horta surgiu como uma oportunidade para gerar renda para a comunidade e também para incentivar o acesso à alimentação saudável”, explica. 

De forma transversal, todas as atividades promovidas aos adolescentes e jovens dialogaram com o desenvolvimento de competências e habilidades propostas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. Todo os materiais didáticos desenvolvidos ao longo do projeto serão também disponibilizados gratuitamente para professores e professoras de todo o país, no site da estratégia Trajetórias de Sucesso Escolar do UNICEF.