Musgo de salgueiro: um limpador de rios poluídos

O musgo de salgueiro, de nome científico Fontinalis Antipyretica, é uma espécie que faz parte da família Bryopsida, que consiste de aproximadamente 11 mil espécies ao redor do mundo. A planta tem esse apelido devido a sua semelhança com a árvore salgueiro. O nome Antipyretica se dá graças ao termo em latim que significa “a prova de fogo”, ou “corta-fogo”, afinal, ela era muito usada para o isolamento de paredes e chaminés em países nórdicos. 

Apesar de ser conhecida como uma planta usada em aquários, o musgo de salgueiro é nativo de regiões altas do norte americano, mas também pode ser encontrado em regiões da Ásia e da África. É mais comum encontrar o musgo de salgueiro em rios e nascentes de fluxo rápido, mas ele pode sobreviver em água parada.

Como identificar o musgo salgueiro?

O musgo de salgueiro pode ter diferentes tons de verde, e consegue atingir até 60 cm de altura. A cor desta planta depende da luz solar, isso porque, conforme ela tem mais contato com os raios solares, ela assume um tom de verde mais escuro. Quando o musgo não recebe luz o suficiente, ou passa muito tempo fora d’água, ele apresenta um tom amarronzado.

Algumas pessoas afirmam que o musgo tem uma aparência semelhante ao seu parente distante, o musgo java. A principal diferença entre os dois é que o de salgueiro é significativamente maior, tendo um ramo e caule mais grosso e folhas maiores. As folhas de formato oval que crescem no musgo conseguem chegar até 65 cm. 

Quais os benefícios do musgo de salgueiro?

Faz bem para o habitat

Quando presente em uma região, o musgo de salgueiro pode prover proteção para os ovos de peixes, para peixes adultos e para camarões. Além destes, outros invertebrados são beneficiados pela presença do musgo em seu habitat, como tricópteros, efemerópteros, ninfas de stonefly e larvas, que se acomodam nas folhas da planta.

Os insetos aquáticos se aproveitam do musgo para se esconder e aderir ao oxigênio dele. Por isso, eles acabam se tornando fontes ricas em nutrientes para a alimentação de peixes, como a carpa e o peixe robalo.

Qualidade da água

Seja em rios ou em aquários, o musgo de salgueiro traz diversos benefícios para a saúde da água. Afinal, ele absorve nitrato e outros nutrientes presentes na região, o que resulta na melhora da qualidade da água, e ajuda a controlar o nível de oxigênio nela, através do processo de fotossíntese.

Despolui corpos hídricos

Um estudo, publicado pelo Journal of Environmental Quality, mostrou que é possível usar musgo de salgueiro para retirar a poluição de corpos d’água. Os pesquisadores usaram musgo seco em nascentes que haviam sido infectadas pela poluição humana, e ao final do estudo concluíram que a planta era capaz de retirar os poluentes da água. 

Além dessa descoberta importante para a limpeza das águas, outros pesquisadores já vêm apontando a capacidade do musgo de salgueiro de absorver metais pesados faz alguns anos. Isso acontece porque a planta não tem raízes, e acaba absorvendo a poluição do ar. Devido a esse fator, ela pode acabar mudando de cor e formato. 

Como criar musgo de salgueiro?

Apesar de poder ser comprado em qualquer floricultura,  o musgo de salgueiro pode ser criado por meio da divisão de seus ramos. Você pode solicitar para alguém que cria a planta a retirada de uma parte do musgo original, para plantar o ramo no local desejado.

Para isso, prenda o musgo em uma pedra ou uma superfície com um elástico e deixe por alguns dias. Depois disso, ele vai se fixar na região e não vai precisar mais do suporte para se manter no local, a partir desse momento é possível retirá-lo.

Além disso, por ser uma planta aquática, tudo que o musgo de salgueiro vai precisar é uma troca de água constante, para que as condições não fiquem ruins para sua sobrevivência. Outro ponto importante é a luz. Este tipo de planta é comum no fundo dos rios, o que significa que ela lida melhor com um nível moderado de iluminação. 

Se o musgo de salgueiro receber muita ou pouca luz, ele pode morrer e perder suas propriedades. A temperatura da água deve seguir o mesmo caminho, sempre bem equilibrada. 

Outra característica importante para o cuidado do musgo é que ele prefere águas ácidas, ou seja, certifique-se que seu aquário ou lago tem um pH de pelo menos 7.5 a 8. 

Curiosidades do musgo de salgueiro

  • Ele possui uma variação gigante, que tem o dobro do tamanho e é mais denso, mas que precisa de mais oxigênio e por isso sobrevive em poucos corpos d’água;
  • Apesar de ser encontrado em lugares majoritariamente quentes, o musgo também consegue viver em regiões frias;
  • Há alguns séculos, a planta era usada para produção de fraldas e travesseiros;
  • Apesar de ser comestível para alguns animais, não existem provas de que humanos podem consumir musgo de salgueiro.
Ana Nóbrega

Jornalista ambiental, praticante de liberdade alimentar e defensora da parentalidade positiva. Jovem paraense estudante de jornalismo se aventurando na floresta de cimento de São Paulo.

Comentários

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos.

Saiba mais