Passiflora: o que é e para que serve?

A Passiflora é um gênero botânico com cerca de 465 espécies, das quais de 150 a 200 são nativas do Brasil. O uso mais conhecido da planta é a partir de seu fruto, o maracujá. Por meio dele, é possível se beneficiar de vitaminas (A, C e do complexo B) e de sais minerais, como potássio, ferro e cálcio. Outras partes da planta também podem ser aproveitadas.

Apesar de sua propriedade mais difundida como calmante, a passiflora apresenta benefícios diversos e múltiplas formas de uso, principalmente na medicina natural alternativa. Esta planta está inserida principalmente no campo da medicina homeopata, como forma de remédio para diversas patologias, incluindo ansiedade.

Maracujá. Imagem editada e redimensionada de Marcello Aquino, está disponível no Unsplash

Benefícios da passiflora

As diversas espécies do gênero, têm ações tranquilizante, ansiolítica e antidepressiva, oferecendo melhor qualidade de sono e combatendo a ansiedade. Por causa disso, a passiflora pode auxiliar a emagrecer, agindo no controle da compulsão alimentar.

A passiflora tem funções antiespasmódica (combate contrações involuntárias dos músculos do corpo) e diurética. Ela também pode ser indicada para o tratamento de dores de cabeça de origem nervosa, como perturbações e inquietudes.

Para potencializar seus benefícios, a passiflora pode ser associada a outras ervas, atuando como um fitoterápico.

Passiflora é calmante

A Passiflora incarnata L atua como calmante, ajudando a aliviar a insônia e podendo ser utilizada no tratamento da ansiedade. Ela aumenta o nível de ácido gama-aminobutírico (Gaba) no cérebro, um composto que reduz a atividade cerebral, ajudando a relaxar e a dormir melhor.

Em um estudo publicado na Phytotherapy Research, os participantes tomaram uma dose diária de chá de ervas com maracujá roxo. Após sete dias, eles relataram melhorias na qualidade do sono. Os pesquisadores sugerem que o maracujá roxo pode ajudar os adultos a controlar irregularidades leves do sono.

Alguns ensaios sugerem que a Passiflora incarnata também pode aliviar a ansiedade. Um estudo relatado na revista Anesthesia and Analgesia examinou seus efeitos em pacientes agendados para cirurgia. Os pacientes que consumiram passiflora relataram menos ansiedade do que aqueles que receberam placebo.

Pode acalmar seu estômago

Outras espécies da família Passiflora podem ajudar a tratar problemas estomacais. A Passiflora foetida, por exemplo, em um estudo publicado no Indian Journal of Pharmacology, demonstrou potencial para tratar úlceras estomacais.

Em outro estudo relatado na BioMed Research International, cientistas examinaram a Passiflora serratodigitata e também concluíram que a planta tem potencial para tratar úlceras.

Contraindicação

Apesar dos benefícios comprovados do fitoterápico de origem natural, não se recomenda a automedicação da passiflora. As informações contidas neste site não substituem em hipótese alguma o conselho médico. E é importante o acompanhamento por um homeopata ou com um terapeuta para a manipulação correta. Além disso, pessoas com pressão arterial baixa não devem consumir a planta.

Por isso, a passiflora deve ser utilizada somente sob prescrição médica. Sem a receita apropriada, o medicamento não deverá ser usado

Formas de uso da passiflora

Há muitas formas de se encontrar a passiflora no mercado. Existem folhas secas para consumo em forma de chá (modo mais indicado para uso em crises não severas), ampolas, cápsulas, medicamentos, soluções em gotas e ainda misturas da passiflora com outras plantas.

Além do acompanhamento de um profissional da área médica, é importante obter o produto em farmácias de confiança, atentando sempre às informações do rótulo.

Chá de passiflora (folha de maracujá)

Para preparar o chá de passiflora coloque 200 ml de água para ferver e desligue o fogo. Insira a água numa xícara e acrescente uma colher de sopa de folhas secas de maracujá. Tampe a xícara por dez minutos. Coe e aproveite!

Riscos e efeitos adversos

O uso de passiflora não é indicado para mulheres grávidas, já que pode induzir o parto. Alguns dos sintomas adversos que podem ser causados pela flor são: 

  • Tontura
  • Sedação
  • Perda de coordenação
  • Reação alérgica
  • Confusão

Em caso de reação alérgica, persistência dos sintomas ou qualquer problema de saúde consulte um profissional. 

A substância também pode interagir com alguns remédios que tratam insônia ou ansiedade, portanto, um médico deverá ser consultado. Seu uso em conjunto com bebidas alcoólicas, cafeína ou aspirina não é recomendado e pode causar efeitos adversos.

Equipe eCycle

Você já percebeu que tudo o que você consome deixa um rastro no planeta? Por uma pegada mais leve, conteúdos e soluções em consumo sustentável.

Comentários

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos.

Saiba mais