Cinco dicas para se tornar um "gênio"

eCycle

Medidas ajudam a otimizar capacidade cognitiva independentemente da idade

Xadrez

Quantas vezes você deixou de fazer algo simplesmente por ser muito difícil ou por estar velho(a) demais para isso? Houve situações em que você, por exemplo, não levou adiante o desejo de pintar porque acreditava não ter o dom para arte? Segundo David Shenk, autor do livro "O Gênio em Todos Nós", a crença em dons inatos é reconfortante pois nos alivia de peso das expectativas. Ou seja, é mais fácil pensar que não nascemos para tal coisa do que ralarmos para sermos bons nela e não conseguirmos.

Para David, isso não existe. É impossível saber na adolescência se alguém terá o potencial para grandeza, ou limitar esse potencial à idade. Seu QI cresce exponencialmente durante a adolescência e começo da maioridade, ficando estável conforme envelhecemos. Porém, isso não significa que seu potencial acaba por aí. Confira abaixo algumas medidas e dicas de como se tornar um gênio que podem ajudar você a chegar em seu potencial máximo.

1. Treine sua memória

A professora da Universidade da Califórnia, Susanne Jaeggi, descobriu uma maneira de aumentar inteligência fluída, ou seja, a habilidade de raciocinar e resolver novos problemas independente de conhecimento prévio. Ele se chama n-back, é um tipo de jogo de raciocínio que muitos aplicativos de aprimoramento cognitivo usam atualmente. A memória também depende muito do sono, portanto, dormir bem é outra dica.

Clique aqui e confira cinco alimentos para estimular a memória e a concentração.

2. Abra-se para novos pontos de vista

Outra maneira de aumentar sua inteligência é expandir sua rede e considerar outros pontos de vista. O exercício irá abrir sua mente para novas oportunidades e promover crescimento cognitivo. Aprender é o ato de se abrir para nova informação e conhecer pessoas novas facilita o processo, especialmente quando os pontos de vista entram em conflito com seus próprios. Segundo Roche, você deve abrir sua mente e ouvir argumentos que não fazem sentido para você e, mesmo assim, tentar fazer com que eles façam sentido.

3. Exercite-se

Fazer exercícios cardiovasculares (saiba mais sobre eles aqui) pode aumentar sua inteligência verbal e melhorar memória de long-term, de acordo com a Universidade de Gotemburgo na Suécia. O aumento de exercícios cardiovasculares foi associado com uma melhora dos resultados cognitivos. Força muscular, no entanto, apresentou uma associação mais fraca em relação a inteligência. Para saber como se exercitar de uma maneira ambientalmente amigável, clique aqui.

4. Jogue videogames

Para alguns pode parecer uma perda de tempo, mas jogar videogames pode estimular o crescimento de neurônios e promover conectividade nas regiões do cérebro responsáveis por orientação espacial, formação de memória, e planejamento estratégico. E não pense que videogames são coisas só de jovens. Como já mencionamos aqui, uma pesquisa feita por uma equipe de neurologistas, psiquiatras e psicólogos da Universidade da Califórnia, São Francisco, nos EUA, apontou uma melhora cognitiva em idosos que jogaram um videogame feito pela equipe.

5. Medite

Meditação pode aumentar a neuroplasticidade do cérebro, de acordo com um estudo da Universidade de Oregon. Participantes fizeram um regime de cinco dias que incluía vinte minutos de meditação por dia, focando em postura, respiração e imagens mentais. Os pesquisadores descobriram que a prática melhorou a eficiência da matéria branca do cérebro, melhorando a atenção e capacidade de raciocínio e resolução de problemas. Meditar melhora a capacidade de interpretar fatos, fazendo com que o cérebro tenha mais facilidade em processar informações mais difíceis de maneira mais ordenada.



Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail