Intoxicação alimentar: o que é, sintomas e prevenção

eCycle

Dicas e estratégias para evitar a proliferação de micro-organismos nocivos na comida

A intoxicação alimentar ou gastrintestinal é um problema de saúde causado pela ingestão de água ou alimentos contaminados por bactérias (Salmonella, Shigella, E. coli, Staphilococus, Clostridium), vírus (Rotavírus) e suas respectivas toxinas, fungos e componentes tóxicos encontrados em certos vegetais, além de produtos químicos. A infecção, que afeta o sistema digestório das pessoas, pode ser contraída durante a manipulação, preparo, conservação e armazenamento dos alimentos.

Causas da intoxicação alimentar

Comidas cruas e mal cozidas, incluindo carnes, aves, peixes, frutos do mar, frutas e verduras, podem conter grandes quantidades de micro-organismos nocivos e que se propagam facilmente para outras comidas e equipamentos, fenômeno chamado de contaminação cruzada. Esses germes passam dos alimentos para o ser humano, seja pelo consumo direto de alguma comida contaminada ou por meio do contato com objetos infectados. Comidas vencidas e que não foram refrigeradas corretamente são outra fonte de transmissão.

Sintomas da intoxicação alimentar

Independente do micro-organismo, os sintomas da intoxicação alimentar são parecidos: náuseas, vômitos, diarreia, febre, dor abdominal, cólicas e mal-estar. Nos quadros mais graves, podem ocorrer desidratação, perda de peso e queda da pressão arterial.

Normalmente, a intoxicação alimentar dura de um a três dias, podendo se prolongar por até uma semana, de acordo com o tipo de micro-organismo, a severidade da infecção e a condição de saúde geral do indivíduo afetado. A maioria das pessoas se recupera totalmente dentro de uma semana.

Mitos e verdades sobre micro-organismos na comida

Nós já ouvimos muitas coisas relacionadas a germes na comida, porém, grande parte desse tipo de informação não passa de “balela”. Saber o que é mito e o que é verdade pode te ajudar a evitar uma intoxicação alimentar.

A regra dos cinco segundos

Mito. O meio ambiente possui uma grande quantidade de germes, principalmente o solo onde pisamos, que é cheio deles. Por isso, não pense que se sua barrinha de chocolate ou de cereal cair no chão e você a pegar rapidamente (antes de cinco segundos), ela estará livre de germes. Cinco segundos é tempo suficiente para eles se apropriarem do seu lanchinho e te proporcionarem complicações futuras. Por isso, fique atento e não caia mais na ilusão de que está tudo bem só porque foram alguns poucos segundos que a comida ficou no chão.

A geladeira mata os germes

Mito. As pessoas pensam que congelar um alimento fará com que ele permaneça livre de germes, mas isso não é verdade. O que acontece é que a baixa temperatura dificulta sua reprodução, aumentando a vida útil dos alimentos. Porém, há bactérias, como a Salmonella e a Listeria, por exemplo, que podem sobreviver mesmo em baixas temperaturas. O interessante seria lavar sua geladeira pelo menos uma vez por semana e não deixar frutas e vegetais próximos das carnes.

É importante secar os alimentos depois de lavá-los

Verdade. Quando você compra seus alimentos, é possível que já tenha o hábito de guardá-los já lavados. E quanto ao fato de secá-los? Se a sua resposta para essa pergunta foi negativa, sabia que secar os alimentos antes de guardá-los reduz as chances dos germes se instaurarem. Então, não se esqueça de deixar os alimentos lavados bem secos antes de guardá-los - e certifique-se de que o pano com o qual você vai secar tudo esteja limpo.

Prevenção

A prevenção de intoxicações alimentares está associada ao saneamento básico, aos cuidados no preparo dos alimentos e a medidas básicas de higiene, como lavar as mãos antes das refeições, por exemplo.

Coloque os alimentos frios na geladeira assim que chegar com as compras - e sempre guarde carne, peixe e laticínios cobertos e na parte mais fria. Se não for consumir as proteínas no mesmo dia, o ideal é congelar. A carne deve ser descongelada apenas na hora do preparo e precisa ser bem cozida antes do consumo para garantir que todos os micro-organismos nocivos sejam eliminados. Usar tábuas de corte diferentes para alimentos crus ou já cozidos também ajuda a prevenir a disseminação de micro-organismos.

Muitos alimentos contaminados não apresentam sinais da presença de micro-organismos - sua aparência, gosto e cheiro continuam absolutamente normais mesmo quando já estão "passados". Essa é uma das grandes dificuldades quando se fala em prevenir intoxicação alimentar.

Além disso dos cuidados com higiene e armazenamento, existem algumas dicas e estratégias para manter sua comida livre de germes:

  1. Congele sobras de comida logo após o consumo;
  2. Tenha certeza de que a comida está sendo bem cozida para que possa eliminar todos os germes;
  3. Não misture carne crua com outros alimentos;
  4. Lave bem as mãos antes e depois de manusear os alimentos;
  5. Higienize os utensílios de cozinha com água quente e sabão;
  6. Lave panos de prato e esponjas com frequência - dê preferência para o uso da bucha vegetal;
  7. Não deixe o refrigerador muito cheio para não prejudicar a circulação de ar.


Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×