Desinfetando a casa: quais os limites?

eCycle

Lavar as mãos, não fumar dentro de casa e evitar contato com pessoas doentes são algumas dicas para controlar os germes e bactérias no lar

Somos bombardeados o tempo inteiro por produções publicitárias que nos recomendam limpeza extrema. Sanitizantes, germicidas, bactericidas, branco total, enfim, uma profusão de mensagens que nos envolvem e nos conduzem, de certa maneira, a uma paranoia da limpeza. Decerto a ideia de deixar sua moradia limpa dá um sentido de ordem e segurança, até mesmo quanto à não contração de doenças. No entanto, fica a dúvida quanto aos limites e eventuais exageros ou mesmo se é possível desinfetar demais, a depender dos germes e bactérias com os quais estamos lidando. Alguns são incontestavelmente perigosos, como por exemplo, a E. coli e a Salmonella, mas por outro lado há casos de germes que estão do nosso lado, ou seja, nos beneficiam, a exemplo dos probióticos, que auxiliam nosso sistema digestivo. Além destes, a presença de germes menos poderosos, que não nos deixam doentes, até nos servem como instrumentos de reforço ao sistema imunológico.

Por isso,a recomendação é o uso do desinfetante com moderação. E para ajudar você a descobrir qual é esse limite, a equipe eCycle mostra algumas orientações a seguir sobre como desinfetar a casa sem exageros:

  1. Use um desinfetante seguro: para começo de conversa um desinfetante que mata germes e bactérias, mas que não contém substâncias tóxicas é o ideal. Alguns produtos levam químicos em excesso, outros até mesmo petróleo e no final das contas acabam contaminando o meio ambiente, sobretudo nos casos em que os sistemas de saneamento das cidades se apresentam ineficazes. Busque substâncias de baixo impacto ao meio ambiente ou mesmo o seu próprio desinfetante caseiro, veja aqui como fazer;
  2. Concentre–se nas zonas de perigo: áreas como esponjas, banheiros, tábuas de corte devem ser desinfetadas regularmente por conter muitos germes. Agora nas outras partes da casa, como móveis e utensílios, vinagre e bicarbonato de sódio já resolvem seus problemas com germes e bactérias;
  3. Lave suas mãos da maneira correta: uma das melhores maneiras de você ficar imune as doenças e ter uma vida mais saudável é lavando as mãos regularmente. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças recomenda esfregar as mãos com água morna e sabão por pelo menos vinte segundos;
  4. Deixe suas crianças se sujarem, de preferência no campo: pesquisas mostram que as crianças que crescem em fazendas, em proximidade com os animais, tendem a desenvolver um sistema imunológico mais forte do que as crianças da cidade. Por isso deixe-as brincarem na terra e se sujar um pouco, isso poderá evitar problemas futuros com doenças;
  5. Evite fumar dentro de casa ou em lugares fechados: a fumaça do cigarro pode causar grandes problemas em sua casa. Ela mancha as paredes, danifica os móveis e ainda mata as bactérias "boas", comprometendo seu sistema imunológico e deixando-o mais suscetível a doenças;
  6. Se alguém estiver doente, leve isso a sério: esse sim é o momento para você intensificar os procedimentos de descontaminação de objetos e do ambiente. Quando algum familiar estiver doente em sua casa, preste especial atenção na limpeza de objetos com os quais ele mantenha contato ou utilize, como maçanetas, roupas, etc.

São dicas que preservam a higiene doméstica e alertam para os reais pontos de atenção quanto as questões de limpeza da casa, sem exageros.

Caso tenha suas próprias dicas sobre este assunto, compartilhe conosco abaixo. Será um prazer saber sobre novas alternativas.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail