Conheça substâncias que podem liberar o dioxano, componente nocivo à saúde

eCycle

A substância é considerada como possível cancerígena e pode estar presente em muitos outros componentes que são comuns em cosméticos

produtos

O que é o dioxano

Um solvente industrial que pode aumentar as chances de surgimento de câncer, é utilizado em cosméticos e é bem provável que você tenha contato direto com ele. O dioxano ou 1,4-dioxano, é um composto orgânico volátil (VOC) pertencente a família dos éteres, sendo que alguns tipos de dioxinas podem liberá-lo (saiba mais sobre dioxinas aqui). 

Esse composto é comumente encontrado em desodorantes e pode ser um contaminante em xampus e produtos de limpeza.

O 1,4-dioxano geralmente está presente nas embalagens desses produtos com os seguintes nomes: 1,4-diethylenedioxide; 1,4-dioxacyclohexane; 1,4-dioxanne; di(ethyleneoxide); diethylene dioxide; diethylene ether; dioksan; diossano-1,4; dioxaan-1,4; dioxan; dioxan-1,4; dioxane; dioxane-1,4; glycol ethylene ether; para-dioxane; p-dioxan; p-dioxane; p-dioxin, tetrahydro-; tetrahydro-1,4-dioxin; tetrahydro-para-dioxin e tetrahydro-p-dioxin.

Como o 1,4 dioxano pode ser um contaminante, ou seja, há a possibilidade de ele aparecer agregado a outros compostos dos produtos de forma não intencional, existem diversas substâncias que carregam o dioxano consigo: polyethylene glycols - PEGs, polyethylene, polyoxyethylene e ceteareth, polysorbate-20 e 60, sodium laureth sulfate e PEG-40 hydrogenated castor oil.

Como entramos em contato com o 1,4-dioxano?

Por meio do ar, da água ou da pele, podemos fazer com que o 1,4-dioxano entre no nosso organismo. O dioxano também é constatado no ar de regiões próximas a indústrias de cosméticos, de medicamentos, de produtos de limpeza e de petroquímicos

A água tratada que chega na torneira também pode conter o dioxano. Nos Estados Unidos, essa é uma questão recente, que surgiu na década de 90 e no início do século XXI. Nessa época, foram encontradas altas concentrações de 1,4-dioxano em corpos hídricos como os rios, em águas subterrâneas e nas águas tratadas disponíveis para os cidadãos. No Brasil, por meio de alguns estudosé possível saber que o 1,4-dioxano está presente nas águas residuais de indústrias, e que os conhecimentos sobre o tratamento para esse composto ainda são poucos e não muito aprofundados. De acordo com outra pesquisa, reações químicas provocadas em testes levaram a destruição do 1,4-dioxano nas águas residuais - mas esses indícios são apenas iniciais. O 1,4-dioxano permanece na água porque não é decomposto facilmente.

O contato do 1,4-dioxano com a pele pode ocorrer por meio da utilização de produtos de limpeza e cosméticos.

Efeitos na saúde humana e ambiental

O dioxano é classificado pela Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC) como possivelmente carcinogênico para humanos (grupo 2B), ou seja, existem evidências carcinogênicas suficientes em testes com animais, porém essas evidências ainda devem ser verificadas por meio de estudos com humanos. O câncer verificado pelos experimentos foi o de fígado. Para uma exposição aguda (curto período de tempo) o 1,4-dioxano provocou irritação nos olhos, nariz, garganta, além de vômito e náusea. Testes realizados sobre os efeitos na saúde por meio da ingestão do 1,4-dioxano pela água mostraram danos aos rins e ao fígado.

Assim como citado anteriormente, o dioxano permanece na água e provoca a poluição de corpos hídricos e da água tratada, já que os métodos de remoção deste contaminante ainda são pouco conhecidos e estudados.

Regulação no Brasil e internacionalmente

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) mantém um derivado do dioxano na lista de substâncias que não podem ser utilizadas em produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes.

A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) estabelece concentração limite de 1,4-dioxano na água potável. Assim como a Food and Drug Admnistration (FDA) também estabelece limites para o 1,4-dioxano em alimentos e medicamentos contraceptivos, como os espermicidas.

Alternativas

O 1,4-dioxano normalmente não aparece no rótulo das embalagens, as substâncias que aparecem são as que carregam o 1,4-dioxano como contaminante. Portanto fique atento se caso em seu produto contiver os liberadores de 1,4-dioxano.


Veja também:


 

Comentários 

 
+1 #1 2014-11-24 10:59
Interessante abordar o 1,4-dioxano. Eu trabalho em um laboratório que tem o mesmo, mas nunca sabia a sua função, foi aí que vim a pesquisa! Muito bom mesmo saber os riscos que o reagente oferece!
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail