Consumo frequente de refrigerante pode deixar adolescentes mais agressivos

eCycle

Pesquisa mostra que o consumo de refrigerantes antecedeu um aumento no comportamento agressivo ao longo do tempo

Um estudo da Universidade do Alabama em Birmingham (UAB) mostrou que o consumo frequente de refrigerantes por adolescentes pode contribuir para um comportamento agressivo ao longo do tempo. Os resultados da pesquisa foram publicados no Journal of Adolescent Health.

Estudos anteriores mostraram associações entre o consumo de refrigerantes e problemas de saúde mental em adolescentes. Agora, o estudo da UAB, liderado por Sylvie Mrug, professora e presidente do Departamento de Psicologia da Faculdade de Artes e Ciências, identificou o consumo de refrigerantes como um provável indicador de comportamento agressivo.

"Apesar das políticas de saúde pública destinadas a reduzir o consumo infantil de bebidas açucaradas, como impostos e proibições de refrigerantes em escolas, o consumo dessas bebidas por jovens nos Estados Unidos continua sendo um problema significativo de saúde pública", disse Mrug.

As entrevistas com 5.147 crianças e seus cuidadores foram realizadas em três locais, com crianças de 11, 13 e 16 anos. Em cada momento, as crianças relataram a frequência de consumo de refrigerantes, comportamento agressivo e sintomas depressivos.

Os dados analisados mostram que o consumo de refrigerantes antecedeu um aumento no comportamento agressivo ao longo do tempo. Os resultados sugerem que a redução da ingestão de refrigerantes por adolescentes pode reduzir o comportamento agressivo, mas não os sintomas depressivos.

Os refrigerantes representam mais de 10% da ingestão calórica total dos adolescentes e são consumidos diariamente por mais de 20% dos alunos do ensino médio, de acordo com relatórios recentes. Altas taxas de consumo de refrigerantes entre os jovens dos Estados Unidos levaram a preocupações sobre seu impacto na obesidade pediátrica e nas condições de saúde relacionadas.

Além da obesidade, foram levantadas preocupações sobre o impacto potencial do consumo de refrigerantes na saúde mental pediátrica, principalmente para adolescentes que consomem mais refrigerantes e têm mais problemas emocionais e comportamentais do que crianças mais novas.

"Paralelamente às tendências históricas de aumento do consumo de refrigerantes, os problemas emocionais em adolescentes aumentaram entre os anos 1980 e o início dos anos 2000", explica Mrug. "Por exemplo, vários estudos relataram aumentos de 70% a 350% nos problemas emocionais entre meninos e meninas adolescentes em países desenvolvidos durante este período."

Vários estudos relacionaram o consumo de refrigerantes a problemas de saúde mental em adolescentes. Especificamente, o consumo mais frequente de refrigerantes foi associado a mais agressividade, outros problemas de comportamento, como hiperatividade, e comportamento de oposição, além de depressão e comportamento suicida em adolescentes dos Estados Unidos, Noruega, Eslováquia, Irã e China.

Outro estudo transnacional recente encontrou uma associação consistente entre o alto consumo de açúcar por adolescentes (de refrigerantes e doces) e brigas, bullying e uso de substâncias em 24 dos 26 países estudados.

Todos esses estudos incluíram ajustes estatísticos para uma variedade de fatores de confusão potenciais, como idade da criança, sexo, IMC, , dieta, uso de substâncias e fatores familiares; mas cruzar esses dados continua sendo a principal limitação desse tipo de pesquisa.

Embora os resultados possam ser interpretados no sentido de que os refrigerantes contribuem para problemas emocionais e comportamentais, é igualmente provável que problemas de saúde mental possam estar impulsionando o consumo de refrigerantes e outras bebidas açucaradas, diz Mrug. Estudos experimentais mostram que alguns indivíduos consomem mais alimentos açucarados em resposta ao estresse e a emoções negativas.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×