Biodigestão: uma alternativa viável e rentável

eCycle

Além de obter energia de uma forma sustentável, a biodigestão reutiliza resíduos orgânicos

A energia de biomassa é um assunto cada vez mais comum por ser um meio sustentável de produção. Ela nada mais é do que um conjunto de resíduos orgânicos, que, ao invés de ir para os aterros sanitários, é utilizado para produzir energia elétrica.

Existem duas formas de se obter essa energia: a queima da biomassa (que é muito utilizada em usinas termoelétricas) ou a biodigestão. Você sabia que, no meio urbano, também é possível produzi-la até mesmo para uso pessoal? Veja a seguir o que é biodigestão, como o biodigestor funciona e quais são suas vantagens.

O que é?

A biodigestão de resíduos é um processo fermentativo parecido com a compostagem, mas totalmente anaeróbio (sem presença de oxigênio) e tem como subprodutos o biogás e o biofertilizante que podem ser aproveitados. A biodigestão estabiliza os resíduos sólidos transformando-os em compostos simples. Biodigestor é uma câmara vedada em que são descartados resíduos orgânicos (chamados de biomassa) para que, lá dentro, eles passem pela decomposição por micro-organismos anaeróbios, ou seja, aqueles que não dependem de oxigênio para realizar seu metabolismo. Dessa decomposição, resultam:

  • Biogás: composto principalmente por gás metano e gás carbônico. Deve ser armazenado e conduzido a um gerador através de um encanamento específico. Assim, pode gerar energia elétrica ou então ser usado como substituto para o gás de cozinha;
  • Biofertilizante: após a decomposição da biomassa e liberação dos gases, sobra um produto muito rico em nutrientes que pode ser usado como fertilizante de ótima qualidade e que não agride o solo.

Este processo é melhor que a queima da biomassa, pois os gases potencialmente poluentes são transformados em energia ao invés de serem liberados, e os resíduos são aproveitados nas plantações. Em contrapartida, a queima produz fumaça e cinzas.

Como funciona?

A entrada do biodigestor se chama caixa de carga. É nela que se coloca a biomassa diluída em água. Essa será conduzida por meio de uma estrutura chamada tubo de carga até o interior da câmara de biodigestão. Esta câmara deve ser construída em alvenaria (mas está sendo estudado o uso de fibras de vidro para diminuir o custo) para isolar o material, pois é nela que ele será fermentado para que o biogás e o biofertilizante sejam produzidos.

O biogás é armazenado no gasômetro, que se movimenta para cima ou para baixo conforme a quantidade de gás, guiado por uma estrutura chamada tubo-guia. Na parte superior do gasômetro, há um dispositivo para saída e condução do biogás até os pontos de consumo. O material fermentado (sólidos e líquidos) é coletado pelo tubo de descarga e encaminhado à caixa de descarga, onde ficará armazenado até o momento de seu uso.

Biodigestores podem ser usados em:

  • Propriedades rurais: aproveita resíduos agrícolas, principalmente caules e folhas, e dejetos de animais (as fezes das galinhas podem gerar energia para o aquecimento do galpão de pintinhos, por exemplo). Dependendo do tipo e tamanho da criação, a produção de energia é tanta que pode até ser vendida (a criação de suínos e de gado de leite são as mais produtivas em termos de biomassa);
  • Indústrias: os setores industriais que utilizam matéria úmida, como restos de animais ou vegetais (temos aí os frigoríficos, indústria do álcool, indústria de papel e muitos outros setores) podem usar a biodigestão para gerar a energia que movimenta seus equipamentos;
  • Residências: no caso, os resíduos produzidos por uma só família podem não ser suficientes, mas a vizinhança pode fazer um acordo e ter uma boa produção em conjunto. Façam uma “vaquinha” para montar um biodigestor caseiro (veja aqui como fazer) e aproveitar na cozinha o gás produzido.

É importante ter orientação profissional para as instalações, para garantir o bom funcionamento do equipamento e porque o biogás é altamente inflamável, tendo risco de explosão em caso de vazamento.

Quais são as vantagens?

A biodigestão tem vantagens tanto para o bolso de quem produz quanto para o meio ambiente. Veja só:

  • Retorno financeiro: com a utilização da energia que você mesmo produz, o valor das contas vai diminuir, claro. Assim, você economiza dinheiro e, em alguns anos, recupera o investimento. Se conseguir produzir mais energia do que utiliza, pode vendê-la e ter um retorno ainda mais rápido. Depois desse retorno, você continua com as contas mais baratas até o fim.
  • Sustentabilidade: a biodigestão contribui para diminuir a quantidade de lixo nos aterros e o volume de gases tóxicos liberados na atmosfera, combatendo a poluição e o aquecimento global. Além disso, produz um fertilizante orgânico de ótima qualidade.


Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×