Vermicompostagem: o que é e como funciona

eCycle

A vermicompostagem é uma forma de compostagem que conta com o trabalho das minhocas

A vermicompostagem é o processo biológico de valorização da matéria orgânica que conta com o trabalho das minhocas, e pode ser considerada como um tipo de reciclagem do lixo orgânico. A vermicompostagem é um tipo de compostagem que utiliza minhocas além dos micro-organismos naturais para degradar a matéria orgânica. O processo ocorre mais rápido que a compostagem sem minhocas e produz como substrato o húmus de minhoca. Este é um adubo rico em nutrientes e ótimo para as plantas.

Nos dias de hoje, em que a sustentabilidade ganha força, muito se discute sobre a questão do volume de lixo que é gerado nas residências, pois mesmo separando os recicláveis, ainda temos bastante lixo orgânico. Entretanto, grande parte desse tipo de resíduo é composto por restos de comida que podem ir para uma composteira, plenamente possível de ser instalada em casas ou apartamento). Esse simples procedimento leva à diminuição da quantidade de lixo orgânico despejada em aterros e lixões, diminuindo as emissões de gás metano.

A compostagem caseira, em geral, pode se dar de três formas: seca, vermicompostagem ou automática. A automática faz uso de uma composteira mecânica, que utiliza micro-organismos patenteados capazes de se multiplicarem em altas temperaturas, alta salinidade e acidez, sendo uma forma mais simples, prática e sustentável de se fazer compostagem em casa; a seca trata apenas da decomposição dos alimentos por micro-organismos, e tem o mesmo princípio da vermicompostagem; porém, na seca, não são adicionadas minhocas para digerir a matéria orgânica.

A vermicompostagem faz uso das minhocas e pode ser realizada em casas e apartamentos com uso da composteira doméstica (saiba mais na matéria "Compostagem doméstica: como fazer e benefícios"). Essa técnica requer pouco consumo de energia e um menor tempo para produção do composto com relação à compostagem seca, já que as minhocas fragmentam a matéria orgânica facilitando o trabalho dos micro-organismos. Com essa técnica, há a formação do vermicomposto, que é o produto obtido por meio da ação das minhocas em resíduos orgânicos. O vermicomposto é também conhecido como húmus de minhoca e é um ótimo adubo orgânico, muito rico em flora bacteriana. Basicamente, é a matéria orgânica "reciclada".

Além de ser mais estável, principalmente quanto ao pH, à relação carbono/nitrogênio e às propriedades físicas, químicas e biológicas capazes de auxiliar no bom desempenho das culturas, o húmus devolve à terra cinco vezes mais nitrogênio, duas vezes mais cálcio, duas vezes e meia mais magnésio, sete vezes mais fósforo e 11 vezes mais potássio.

vermicompostagem
Imagem editada e redimensionada de Sippakorn yamkasikorn, está disponível no Unsplash

Vantagens da vermicompostagem

  • Não é agressiva para o ambiente;
  • Não contamina solo e água como os fertilizantes químicos;
  • Enriquece o solo com nutrientes;
  • Grande fonte de nutrientes para as plantas;
  • Controle da toxicidade do solo, corrigindo excessos de alumínio, ferro e manganês;
  • Aumento da resistência das plantas a pragas e doenças;
  • Maior absorção dos nutrientes pelas raízes das plantas;
  • Favorece a entrada de ar e circulação de água no solo;
  • Melhora a estrutura do solo;
  • Fornece vida na forma de micro-organismos para o solo;
  • Propicia produção de alimentos mais saudáveis;
  • Produção de adubo de alta qualidade para manutenção de jardins e hortas.

Minhocas

A importância das minhocas para a fertilização e recuperação dos solos é conhecida há tempos e o filósofo Aristóteles definia estes seres como "arados da terra", graças à capacidade de escavar os terrenos mais duros. Esse verme tem o poder de ingerir terra e matéria orgânica equivalente ao seu próprio peso, além de digerir e expelir cerca de 60% do que comeu sob a forma de húmus.

Segundo estudos, o tipo de minhoca mais indicada para a vermicompostagem é a detritívora, pois se alimenta de matéria orgânica morta, suporta melhor as adversidades de temperatura e acidez, que ocorrem em um processo de decomposição, e se reproduz de acordo com a quantidade de alimento disponível, ou seja, melhor para a criação em cativeiro.

Dentro dessa tipologia, a espécie que é comumente utilizada é a Eisenia Andrei (espécie Epígea), também conhecida como vermelha da Califórnia ou minhoca dos resíduos orgânicos. Essas minhocas conseguem processar uma grande variedade de materiais em menos tempo, promovem a aceleração da maturação do composto, apresentam alta atividade, taxa de conversão do composto em húmus e elevada taxa de reprodução.

Fuga das Minhocas

Quando o ambiente dentro da composteira (chamada também de minhocário) está desfavorável para esse animal, as minhocas podem fugir, por isso é necessário que os recipientes estejam sempre adequadamente fechados. Na maioria dos casos, essas condições ruins levam à perda de atividade reprodutora ou morte das minhocas. Para isso não ocorrer, fique atento a alguns parâmetros como:

Na tabela a seguir, da CONFRAGI de Portugal, temos um síntese de algumas soluções e causas desses parâmetros:
Problema Causa Solução
Minhocas acumulam-se nas camadas superiores do minhocário ou cama muito húmida Excesso de água Renove a cama, coloque mais serragem e não adicione alimentos ricos em água
Minhocas acumulam-se no fundo do minhocário ou cama muito seca (não sai água ao espremer o composto) Falta de água Borrife a cama com água
Odores desagradáveis Cama pouco arejada Comida em excesso Interrompa a adição de comida, revolva bem a cama e não adicione alguns alimentos
Minhocas começam a comer o húmus Pouca comida ou cama precisa de ser mudada Adicione comida e mude de cama
Excesso de resíduos ou presença de moscas Adição de comida em excesso Interrompa a adição de comida e revolva o material
Cheiro de mofo Alimentos difíceis de compostar como carne, peixe, lacticínios e gorduras. Não deposite esses alimentos na composteira
Aparecimento de moscas Decomposição lenta Ambiente ácido Coloque alimentos variados e cortados aos pedaços. Não deposite frutas ácidas

Composteira ou minhocário

No caso da vermicompostagem caseira, a composteira doméstica ou minhocário é o local em que as minhocas irão atuar para "reciclar" os resíduos orgânicos. Basicamente, o dispositivo consiste em três ou mais caixas empilháveis de plástico, mas isso depende da demanda de pessoas na casa.

As duas primeiras caixas são digestoras. A primeira (de cima), onde se depositam os resíduos, necessita de tampa e tem furos no fundo; a última serve como coletora para armazenar o chorume orgânico produzido.

A composteira é um processo simples e higiênico de reciclar o lixo orgânico que produzimos em casa, entretanto, existem alguns cuidados que devem ser tomados para evitar maus odores, atração de animais e morte das minhocas.

Recomenda-se portanto, como que em um passo-a-passo, que os resíduos sejam depositados sucessivamente em fileiras (preferencialmente picados) e a seguir em camadas, preservando-se sempre no lado oposto uma camada de composto pronto, húmus livre de resíduos que servirá para o que se chama de "cama". A “cama” é como um local de segurança, onde as minhocas se sentem confortáveis, devendo existir em ambas caixas digestoras. Elas migrarão por todas as caixas, subindo e descendo, sempre usando os furos.

Para adquirir uma composteira, acesse a loja virtual escolha o melhor tipo para sua família.


Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail