A história da mudança: só o consumo consciente não basta

Quinto vídeo da série fala das relações que estão por trás das coisas

A história da mudança

Muito se fala sobre uma necessidade de mudança mas pouco se fala sobre como ajudar a mudar o mundo. Não basta apenas consumir de maneira mais sustentável para fazer com que o mundo mude sua lógica de produção e consumo, é preciso agir. Essa é a mensagem que o novo vídeo da série Story of Stuff, da ciber-ativista Annie Leonard, chamado “A história da mudança” quer passar aos espectadores.

Na nova animação, Annie mostra que o consumo consciente é importante, mas sozinho ele não tem o poder de modificar certas escolhas de empresas privadas (como testes com animais, na indústria dos cosméticos, ou a obsolescência programada, na indústria de eletrônicos) e de governos (valorização de combustível fóssil, incentivo ao consumo desenfreado). “As soluções que realmente precisamos não estão à venda nos supermercados”, afirma Annie, que narra a animação.

Para frear modelos de consumo e de governos que só focam em lucros corporativos, é necessário ter o apoio de milhões em torno de uma ideia e partir para a ação. Ao longo do curta, a narradora mostra alguns exemplos históricos em que reivindicações que chegavam às raízes dos problemas tiveram apoio massivo e deram certo. Ela finaliza dizendo que o perfil individual de cada um pode ajudar de diferentes maneiras. Confira o vídeo no início da página!

No site da iniciativa foi disponibilizado um quiz para que o usuário descubra que tipo de "fazedor" de mudanças ele é.

Várias histórias

Annie Leonard ficou famosa mundialmente com o vídeo “A história das coisas”. O sucesso foi tão grande que outras animações no mesmo estilo foram lançadas, são elas: “A história da água engarrafada”, “A história dos cosméticos" e “A história dos eletrônicos”.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail