CO2 e outros gases-estufa atingem concentração mais alta na história, segundo pesquisa

eCycle

Dados foram divulgados por entidade ligada à ONU. Medidas para a redução de emissões estão falhando

A Organização Meteorológica Mundial (OMM), ligada à ONU, anunciou em novembro que a concentração de gás carbônico na atmosfera atingiu 390,9 partes por milhão (PPM), um aumento de 40% se comparado à era pré-industrial (quando a média era de 280 PPM). De acordo com relatório divulgado pela entidade, 30% do aumento ocorreu desde os anos 1990, época em que as emissões dos países industrializados deveriam ter diminuído em 5,2%, se o Protocolo de Kyoto tivesse sido levado a sério.

Para se ter uma ideia da gravidade da questão, com 400 PPM,  aproximadamente 90% dos recifes de coral do mundo seriam eliminados. Com 450 PPM, o planeta ultrapassaria o limite considerado seguro em termos de temperatura, fixado em 2°C acima da era pré-industrial. Um relatório do Banco Mundial divulgado também divulgado há poucos dias prevê que o aumento de temperatura possa chegar a 4°C até 2060, se medidas efetivas não forem tomadas.

Outros gases

Não foi apenas o CO2 que teve crescimento em seus níveis. O metano (CH4) e o óxido nitroso (N2O) também tiveram aumento em suas concentrações. Nos anos 2000, os níveis de metano se mantiveram estáveis até 2007, segundo a OMM. A exploração de gás natural não convencional (shale gas ou fracking - veja mais aqui) é a principal suspeita, pois, segundo cientistas, o método emite pelo menos duas vezes mais metano que o normal.

Com todos esses gases em crescimento dentro da atmosfera terrestre, o calor se acumula e a temperatura sobe. De acordo com o relatório da OMM, a quantidade total de gases que evitou o escape de calor ao redor da Terra foi 30% maior do que a registrada na década de 90.

Quase metade do excesso de CO2 é absorvido pelas plantas e pelos oceanos, segundo relata o secretário geral da OMM, Michel Jarraud, em release para a imprensa divulgado pela entidade. No entanto, essa absorção pode não continuar para sempre, pois essas "reservas" possuem limites. E o pior é que o gás carbônico que permanece na atmosfera demora séculos para se dissipar. Como resultado, a temperatura do planeta subiu cerca de 1,8°C desde 1990.

Pressão

Recentemente, cientistas preocupados com a questão ambiental têm procurado divulgar pesquisas que tratam sobre a questão para pressionar lideranças de diversos países na conferência do clima da ONU, que ocorre entre novembro e dezembro. De acordo com o jornal inglês The Guardian, um grupo de investidores detentores de cerca de US$ 22 trilhões em ativos pede ações urgentes. No entanto, até agora, as medidas governamentais não têm sido satisfatórias.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×