The Trash Isles: um país contra o plástico oceânico

eCycle

Publicitários pedem que a "Ilha de Lixo" seja reconhecida pela ONU como um país. Objetivo de campanha premiada em Cannes é alertar para índice crescente de poluição dos oceanos

Existe uma campanha para que a Grande Porção de Lixo do Pacífico, uma ilha de lixo que já conta com cerca de 1,6 milhão de metros quadrados de detritos e 79 mil toneladas de plástico, se torne oficialmente um país. O nome da nova nação, que entrou com pedido de reconhecimento na ONU, é The Thash Isles. Eles contam com território estabelecido, bandeira, passaporte, moedas e uma população de mais de 200 mil pessoas. A ideia é alertar indivíduos e governos para a importância de repensar nossa produção de lixo, em especial o plástico.

A campanha foi criada pela agência de publicidade AMVBBDO, em parceria com a Plastic Oceans Foundation e com a LAD Bible e recebeu o grande prêmio Cannes Lions de Design. Os responsáveis são os publicitários Michael Hughes e Dalatando Almeida e os símbolos nacionais da "Ilha de Lixo" foram desenhados pelo designer Mario Kerkstra. São dele os desenhos do passaporte, da bandeira e da moeda local, chamada “Debris” (palavra inglesa que pode ser traduzida como detritos, lixo e/ou resíduos).

Símbolos nacionais de The Trash Isles
Imagem: Símbolos nacionais desenvolvidos por Mario Kerkstra. Divulgação/The Trash Isles

O grupo lançou sua candidatura a país oficial na ONU em junho do ano passado, no Dia Mundial do Oceano, e, em setembro, divulgou ao mundo a intenção de The Trash Isles de se tornar o 196º país do mundo. Segundo a ONU, para ser reconhecido como um país oficial é preciso ser um território definido, um governo, a capacidade de interagir com outros Estados e uma população.

O que o grupo mais quer é interagir com outras nações, já que isso é necessário para acelerar a limpeza dos oceanos e diminuir a quantidade de lixo plástico jogado nos mares. Quanto à população, o primeiro cidadão foi Al Gore, ex-vice-presidente norte-americano, e a atriz Judi Dench é a rainha. É possível participar do abaixo-assinado para se tornar cidadão de The Trash Isles, o que representa o seu comprometimento e apoio para com a redução do lixo oceânico.

Em todo o mundo, mais de 220 mil pessoas já apoiam The Trash Isles. Dentre os cidadãos ilustres estão o atleta olímpico britânico Mo Farah, o naturalista David Attenborough e também Chris Hemsworth, Gal Gadot, Mark Ruffalo, Jeff Goldblum, Ezra Miller, Andy Serkis, Jason Momoa e Gerard Butler, entre outros.

O texto da iniciativa cita a Carta Ambiental da ONU como argumento para se tornar um país oficial. Os criadores de The Trash Isles explicam que “todos os membros devem cooperar em um espírito de partilha global para conservar, proteger e restaurar a saúde e a integridade do ecossistema da Terra. O que, em poucas palavras, significa que ao se tornar um país, outros países são obrigados a limpá-lo".

Petição na ONU para virar país
Imagem: Petição enviada à ONU. Divulgação/The Trash Isles

O lema de The Thash Isles é "vamos garantir que o primeiro país feito de lixo seja o último" (em tradução livre). A campanha foi descrita pelo porta-voz do Secretário Geral da ONU, Stéphane Dujarric, como "uma iniciativa inovadora e criativa para despertar o interesse para um problema muitas vezes ignorado". Apesar disso, ele diz que as chances reais de aprovação da Ilha de Lixo como um país oficial são pequenas.

Conheça outros símbolos nacionais de The Trash Isles:

Bandeira de The Trash Isles
Imagem: Bandeira nacional de The Trash Isles. Divulgação

Mapa de The Trash Isles
Imagem: Mapa de The Trash Isles. Divulgação

Cédula de The Trash Isles
Imagem: Nota de 50 Debris. Divulgação/The Trash Isles

Cédula de The Trash Isles
Imagem: Um dos lados da cédula de 100 Debris. Divulgação/The Trash Isles


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail