Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Descubra como fazer limpeza intestinal e eliminar toxinas do organismo com dicas naturais e caseiras

Imagem de silviarita em Pixabay

A limpeza intestinal pode ser feita de várias formas. Em casa, muitas pessoas utilizam um método chamado enema, também conhecido como clister ou chuca, que consiste em inserir um pequeno tubo com água ou outra substância líquida no ânus. Essa lavagem é normalmente indicada em casos de prisão de ventre, aliviar desconforto intestinal, facilitar a saída das fezes e eliminar toxinas.

Já a hidrocolonterapia é uma limpeza intestinal completa que deve ser realizada por profissionais, geralmente no preparo de cirurgias. O procedimento consiste em inserir água morna filtrada no intestino através do ânus, para combater a constipação e eliminar toxinas do organismo. No entanto, ambos os procedimentos incorrem em alguns riscos, como perfuração no reto, infecções, desidratação e alterações no equilíbrio eletrolítico, que pode ser perigosas se você tiver doenças renais, cardíacas e outros problemas de saúde.

Mas a boa notícia é que você pode fazer uma limpeza intestinal com métodos caseiros e totalmente naturais. Na verdade, a melhor forma de manter a saúde do intestino em dia é adotar hábitos alimentares e um estilo de vida mais saudável. O bom funcionamento do intestino é muito importante para a saúde do corpo todo. Desequilíbrios na microbiota intestinal (ou flora intestinal) estão associados a inflamações, doenças autoimunes, infecções e até mesmo complicações de saúde mental, como ansiedade e depressão.

Por isso, escolher alimentos que favoreçam o desenvolvimento das bactérias benéficas do intestino (os probióticos e prebióticos), assim como manter-se hidratado e evitar substâncias tóxicas para o organismo (como álcool, cigarro e alimentos gordurosos e/ou processados) é o primeiro passo para evitar que o órgão acumule impurezas e garantir o seu bom funcionamento.

Benefícios e riscos da limpeza intestinal

A primeira coisa que você deve saber antes de colocar nossas dicas em prática é que a limpeza intestinal não deve ser feita com frequência. Além disso, laxantes só devem ser utilizados sob prescrição médica. Alguns potenciais efeitos colaterais podem incluir desidratação, cólicas, tonturas (como um sinal da desidratação), vômitos, náuseas e desequilíbrio mineral.

Se algum destes sintomas ocorrer, interrompa o procedimento imediatamente e busque orientação médica. Com a continuidade da limpeza, esses sintomas podem evoluir para insuficiência cardíaca e danos digestivos. Combinar qualquer procedimento de limpeza intestinal com jejum pode causar problemas de saúde. Se você tem pressão alta e precisa manter a ingestão de sódio baixa, evite o consumo de água salgada.

Se feita com responsabilidade e poucas vezes por ano, a limpeza do intestino pode promover o bem-estar geral, auxiliar na perda de peso, melhorar a concentração, aumentar a imunidade e, em longo prazo, reduzir o risco de câncer de cólon. No entanto, é importante salientar que aumentar o número de evacuações diárias não auxilia na perda de peso, porque o corpo absorve a maioria das calorias antes que elas cheguem ao intestino grosso.

Como fazer limpeza intestinal: 7 dicas naturais e caseiras

1. Beba água salgada

Antes de comer pela manhã, misture 2 colheres de chá de sal com um corpo de água morna. Dê preferência ao sal marinho ou sal do Himalaia. Esta limpeza é recomendada sobretudo para episódios de constipação ou irregularidades intestinais.

A dica é beber a água salgada de uma vez, com o estômago vazio. Em alguns minutos, provavelmente você sentirá vontade de ir ao banheiro. Faça isso de manhã e à noite, e certifique-se de ficar em casa perto do banheiro por um tempo após a limpeza, porque é possível que você tenha de ir ao banheiro mais de uma vez.

2. Aposte nos probióticos e prebióticos

Os alimentos probióticos e prebióticos promovem a ação de bactérias boas no intestino, com a ajuda de fibras e amidos resistentes. Eles reduzem a inflamação e promovem a regularidade intestinal.

Consuma alimentos ricos em probióticos, como kefir, kimchi, picles, repolho cru, cebola, alho, tomate, banana, aveia, linhaça, gergelim e amêndoas.

O vinagre de maçã também é considerado probiótico e ajuda na limpeza intestinal. As enzimas e os ácidos contidos no vinagre de maçã ajudam a eliminar as bactérias nocivas e estimulam a ação das bactérias benéficas.

3. Aumente a ingestão de fibras

As fibras são encontradas em alimentos vegetais inteiros e saudáveis, como frutas, vegetais, grãos, nozes, sementes e muito mais.

Fibras vegetais ajudam a aumentar o excesso de matéria fecal no intestino grosso, regulando a constipação e os intestinos hiperativos, ao mesmo tempo que estimulam a ação de bactérias benéficas que habitam a microbiota intestinal.

Aumentar a ingestão de fibras solúveis e insolúveis pode ajudar com uma ampla gama de problemas gastrointestinais, incluindo prisão de ventre, diverticulite e câncer colorretal. Se você não apresenta problemas com o consumo de glúten, adicione fontes de fibras insolúveis, como cereais e grãos inteiros, e fibras solúveis, como farelo, algumas frutas, vegetais e aveia.

Opte por frutas vermelhas e outras como maçã, pêssego, pera, além de cereais integrais e leguminosas, como feijão, ervilha, lentilha e grão-de-bico. Abuse de folhas verde-escuras, como couve, escarola e espinafre, cozidas no vapor.

4. Consuma amidos resistentes

Amidos resistentes são semelhantes à fibra. Eles também são encontrados em alimentos vegetais, como batata, arroz, legumes, banana verde e grãos. Segundo um estudo de 2013, além de promover a saúde da microbiota intestinal, eles ainda reduzem o risco de câncer de cólon. No entanto, recomenda-se consumi-los com moderação, porque amidos resistentes são encontrados em carboidratos, que costumam ser vistos como “vilões” da dieta.

5. Experimente chás de ervas

Ervas como psyllium, aloe vera e olmo podem ajudar a combater a constipação. No entanto, como elas têm efeito laxante, é recomendável procurar orientação médica antes de fazer uso desses chás. Consuma-os com moderação, somente uma vez ao dia, durante a limpeza.

Outras ervas como gengibre, alho e pimenta caiena contêm fitoquímicos antimicrobianos. Acredita-se que eles combatam as bactérias nocivas do intestino. Experimente beber uma xícara de um desses chás de ervas até três vezes ao dia.

Certifique-se também de ter cuidado ao usar chás de ervas para limpeza intestinal. Algumas ervas podem impedir ou afetar certos medicamentos. As ervas laxativas também podem ser prejudiciais se aplicadas em excesso. O uso excessivo de laxantes reduz a capacidade do corpo de mover as fezes e pode resultar em constipação crônica.

6. Beba sucos e vitaminas

Os sucos populares em jejuns, detox e limpezas incluem suco de maçã, suco de limão e sucos feitos com vegetais. No entanto, alguns nutricionistas podem recomendar vitaminas em vez de sucos para melhorar a saúde do intestino, porque, como a polpa e as cascas são removidas para a preparação da bebida, os sucos contêm menos fibras. Dê preferência a vitaminas e smoothies.

Você não precisa jejuar e beber apenas sucos e vitaminas para obter qualquer benefício. Experimente incluir mais na sua dieta, como um suco diário ou smoothie. Opte por vitaminas de couve com laranja, cenoura com beterraba e morango com linhaça para obter os benefícios.

7. Hidrate seu corpo

Beber muita água e manter-se hidratado é uma ótima maneira de regular a digestão. Durante a limpeza intestinal, recomenda-se tomar de seis a oito copos de água morna por dia.

Além disso, incluir alimentos com alto teor de água, como frutas e vegetais, também ajuda a limpar o intestino. Opte por melancia, tomate, aipo, alface, morango, abacaxi, pêssego, framboesa, pepino, abobrinha e outros alimentos que auxiliem o seu corpo a manter o alto nível de hidratação.


Fontes: Healthline, Webmd, Mayo Clinic e Medical News Today


Veja também: