Diabético pode comer ovo?

eCycle

Quem possui predisposição a ser diabético precisa se preocupar com ingestão de ovos em excesso, pois ela pode aumentar o risco de diabetes

Diabético pode comer ovo? Esta foi a pergunta de pesquisa de um estudo realizado pela University of South Australia, conduzido em parceria com a China Medical University e a Qatar University.

De acordo com os pesquisadores, apesar do ovo ser um alimento popular no mundo inteiro, quem tem predisposição a ser diabético precisa se preocupar com sua ingestão em excesso, pois ela pode aumentar o risco de diabetes.

Entretanto, são necessários mais estudos sobre seu efeito em quem já possui a doença. De qualquer forma, médicos recomendam que portadores ou não de diabetes não consumam ovos em excesso e sem acompanhamento médico. Procure sempre orientação nutricional para o planejamento de sua dieta.

Quem consome ovo regularmente tem 60% mais chance de desenvolver diabetes

A pesquisa descobriu que as pessoas que consumem ovo regularmente (um ou mais ovos por dia - o equivalente a 50 gramas) têm um risco 60% maior de se tornar diabético.

Problema para a economia

Consumir ovo regularmente, além de pode levar ao desenvolvimento de diabetes, faz mal para a economia, já que esta doença representa 10% dos gastos globais com saúde (US $ 760 bilhões). Na China, os custos relacionados ao diabetes ultrapassaram US $ 109 bilhões.

O epidemiologista e especialista em saúde pública, Dr. Ming Li da UniSA, diz que o aumento do diabetes é uma preocupação crescente, especialmente na China, onde as mudanças na dieta tradicional chinesa estão afetando a saúde.

"A dieta é um fator conhecido e modificável que contribui para o início do diabetes tipo 2, portanto, é importante compreender a gama de fatores dietéticos que podem impactar a prevalência crescente da doença", disse o Dr. Li.

“Nas últimas décadas, a China passou por uma transição nutricional substancial que viu muitas pessoas abandonarem uma dieta tradicional composta de grãos e vegetais, para uma dieta mais processada que inclui maiores quantidades de carne, lanches e alimentos ricos em energia.

“Ao mesmo tempo, o consumo de ovos também tem aumentado constantemente; de ​​1991 a 2009, o número de pessoas que comem ovos na China quase dobrou.

Embora a associação entre comer ovos e diabetes seja frequentemente debatida, este estudo teve como objetivo avaliar o consumo de ovos a longo prazo e seu risco de desenvolver diabetes, conforme determinado pela glicemia de jejum.

O resultado do estudo mostrou que consumir 38 gramas por dia de ovo a longo prazo aumentou o risco de se tornar diabético em adultos chineses em 25%.

“Além disso, os adultos que comiam regularmente muitos ovos (mais de 50 gramas, ou o equivalente a um ovo, por dia) tiveram um risco aumentado de diabetes em 60%”.

O efeito também foi mais pronunciado nas mulheres do que nos homens.

O Dr. Li diz que, embora esses resultados sugiram que o consumo maior de ovos está positivamente associado ao risco de diabetes em adultos chineses, mais pesquisas são necessárias para explorar as relações causais.

"Para vencer o diabetes, é necessária uma abordagem multifacetada que não apenas englobe a pesquisa, mas também um conjunto claro de diretrizes para ajudar a informar e orientar o público. Este estudo é um passo em direção a esse objetivo de longo prazo."

Faz mal para o meio ambiente

Podendo ou não comer ovo, sendo diabético ou não, quem consome este tipo de produto precisa estar ciente de que ele possui uma alta pegada ambiental por ser de origem animal.

O Brasil é o sétimo produtor de ovos no mundo. Com uma produção anual de 40 milhões de unidades, em 2011. Segundo o site Waterfootprint, o equivalente de 60 g de ovos deixa uma pegada hídrica de 200 litros d’água. Um ovo grande possui em média 63 g - o que significa um gasto anual de 9 bilhões de litros de água na produção de ovos.

A produção de ovos também deixa uma pegada de carbono de 5 kg por uma cartela de 24 ovos.

Café sem açúcar

Pelas pesquisas, parece que podemos concluir que quem é diabético ou tem predisposição à diabetes precisa manter uma certa distância dos ovos. Entretanto, um outro alimento muito popular, o café, pode contrabalancear esse problema.

Não é que se você consumir ovos com café o efeito de aumento de risco de diabetes se anulará, mas pesquisas (1, 2, 3, 4) mostram que esta bebida, quando consumida sem açúcar, pode reduzir o risco de desenvolvimento de diabetes em 23% a 67%.

Uma revisão que analisou 18 estudos com um total de 457.922 participantes concluiu que para cada xícara adicional de café por dia, há uma redução do risco de diabetes tipo 2 em 7%. Quanto mais café as pessoas beberam, menor era o risco.

Mas, lembre-se, o café também tem seus pontos negativos, então vá com calma.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×