Consumo consciente de roupas: como adotar a moda sustentável

eCycle

Descubra o que é o consumo consciente de roupas e como você pode unir moda a um estilo de vida sustentável

O consumo consciente de roupas pode transformar a sua relação com a moda e com o meio ambiente. Do carro que você dirige até o cosmético que aplica no rosto, todas as suas escolhas de consumo no dia a dia têm algum impacto no planeta. E as roupas que usa, é claro, não são exceção.

A indústria têxtil é uma das quatro indústrias que mais consomem recursos naturais, segundo a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA). Gastos com água e utilização de produtos químicos para lavar as peças também entram na conta dos prejuízos causados ao meio ambiente. Além disso, há uma discussão ética em torno do consumo de roupas novas, em virtude do alto número de lojas e marcas envolvidas com trabalho escravo.

Por isso, a procura por opções de consumo sustentável de roupas é cada vez maior. Todos os dias, mais e mais consumidores buscam alternativas para minimizar os danos causados ao planeta, sem renunciar ao estilo. A moda consciente é uma tendência crescente: brechós, slow fashion, produção local, materiais menos agressivos ao meio ambiente – tudo é válido quando se fala em consumo consciente de roupas.

O que é moda sustentável: o slow fashion

O movimento slow fashion surgiu como uma resposta ao fast fashion, que trabalha com a produção de roupas baratas, em larga escala e destinadas ao uso de curto prazo. O consumo consciente de roupas, no entanto, deve levar em consideração todo o ciclo de vida completo do produto, do design à confecção. No slow fashion, todos os envolvidos na produção de uma peça têm a mesma relevância: trabalhadores, comunidades, meio ambiente e consumidores.

Produtores adeptos do slow fashion têm como prioridade a observação de cinco fatores principais:

  • Uso de água: Algumas marcas estão olhando para as cadeias de abastecimento para descobrir formas de reduzir a quantidade de água que usam na confecção de seus produtos.
  • Produtos químicos perigosos: As tintas e acabamentos dos processos de produção são perigosos para os trabalhadores, além de entrarem nas fontes de água da comunidade. Por isso, marcas slow fashion têm encarado o desafio de criar novas maneiras de lidar com eles.
  • Ciclo de vida curto: Ao contrário da indústria da moda tradicional, o maior objetivo da moda sustentável é que você consuma menos e use as peças por mais tempo. Para fazer as roupas durarem, existem plataformas para compartilhamento de guarda-roupas, marcas que promovem a compra de roupas usadas e estilos simples, mas duráveis, que você pode usar continuamente.
  • Resíduos: Além de ter um ciclo de vida curto, deve haver uma maneira de criar menos lixo, tornando os produtos úteis novamente depois de concluído seu curso. Uma maneira de fazer isso é consertar peças velhas e utilizar materiais reciclados nas roupas.
  • Agricultura: As fibras naturais, como o algodão, são frequentemente cultivadas com pesticidas e tratamentos que são prejudiciais aos agricultores, trabalhadores e animais selvagens da área. Agora há mais opções de algodão orgânico, linho e outras fibras disponíveis, que também usam menos água do que os métodos convencionais de cultivo.

Consumo consciente de roupas: 9 dicas para entrar na moda sustentável

1. Compre em brechós

Brechós são opções incríveis para quem pretende mergulhar no consumo consciente de roupas. Há brechós para todos os gostos: dos mais acessíveis aos mais caros; dos mais moderninhos aos mais básicos; dos retrô aos de luxo. Ainda existem os brechós beneficentes, que são uma alternativa excelente para quem quer garimpar peças bacanas e, de quebra, ajudar o próximo.

2. Lave menos suas roupas

Uma pesquisa da Energy Saving Trust mostrou que a lavagem é responsável por 60-80% do impacto ambiental total de uma roupa. Além disso, a lavagem recorrente reduz o tempo de vida útil das peças. Para reduzir ainda mais energia, lave suas peças a 30 graus – em comparação com a temperatura padrão de lavagem, de 40 graus, essa medida pode diminuir o uso de energia em até 40%.

Também é recomendável deixar que elas sequem naturalmente, para economizar energia. Economizar energia significa reduzir a queima de gases do efeito estufa e, em última instância, fazer a sua parte para minimizar as mudanças climáticas.

3. Organize seu guarda-roupas regularmente

Ao organizar suas roupas, você percebe o que realmente usa e o que pode ser doado a alguém que precisa ou a um brechó. Além disso, essa prática incentiva o hábito de transformar roupas velhas em novas, a partir da customização de peças. Quando encontrar uma calça jeans rasgada, por exemplo, pense se é possível transformá-la em um short ou saia. Além de sustentável, esse hábito evita que você compre uma peça nova – e ainda ajuda a reduzir gastos.

4. Valorize a produção local

O consumo consciente de roupas também inclui valorizar a produção local. Produtores menores, artesanais e veganos costumam ter maior preocupação em reduzir impactos ambientais da cadeia produtiva e não costumam utilizar mão de obra escrava. Galerias colaborativas que dão espaço a pequenas marcas podem ser boas opções para comprar roupas. Outra sugestão é escolher o próprio tecido e contratar a costureira do seu bairro para produzir uma peça personalizada para você.

5. Priorize peças duráveis

Um dos maiores hábitos de quem prioriza o consumo consciente de roupas é comprar peças com vida longa útil, em vez de peças que só serão usadas uma vez ou que vão se desgastar na primeira lavagem. Evitar o consumo desenfreado de roupas nos possibilita ter um guarda-roupas compacto, funcional e mais sustentável. Como já disse o ícone da moda Vivienne Westwood: “Compre menos; escolha bem; faça durar”.

6. Evite tecidos de microfibra

Esse tipo de tecido pode acabar poluindo os oceanos e é mais difícil de limpar, porque as partículas de microfibra são muito pequenas. Como alternativa, escolha um algodão orgânico ou com certificação GOTS – um padrão mundial que leva em consideração os aspectos sociais e ambientais de seu cultivo e produção. Tente garantir que os tecidos das suas roupas sejam retirados de fontes renováveis e produzidos com materiais que possam ser reciclados.

7. Dê preferência a peças orgânicas

Prefira sempre roupas confeccionadas com tecidos orgânicos, com selos de autenticação. Apesar de terem um custo um pouco mais elevado, seu processo de confecção causa um impacto significativamente menor no meio ambiente.

8. Conheça a origem das roupas que consome

Se está pensando em adotar o caminho do consumo consciente de roupas, faça uma pesquisa e descubra qual é a matéria-prima utilizada e qual foi o processo por trás da produção da roupa que pretende comprar. Quanto mais conhecimento você tiver, mais acertada será sua escolha.

9. Descarte corretamente

Algumas peças podem levar anos para se decompor. Por isso, tente evitar ao máximo praticar o descarte. Mas, se você não encontrou nenhuma alternativa para a reutilização ou reciclagem e precisa descartar, faça isso da forma correta. Encontre postos de coleta mais próximos de sua casa no Portal eCycle.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×