Espelho: entenda do é feito e por que não é reciclável

eCycle

O espelho é uma superfície lisa e altamente polida capaz de refletir luz e imagens de objetos, pessoas e animais

O espelho é uma superfície lisa e altamente polida capaz de refletir luz e imagens de objetos, pessoas e animais

Acredita-se que a capacidade de reflexão da superfície da água inspirou a fabricação dos primeiros espelhos. O espelho é uma superfície lisa e altamente polida capaz de refletir a luz e as imagens de objetos, pessoas e animais. Em seu processo de fabricação, o espelho recebe uma camada de prata metálica e lâminas traseiras compostas de alumínio, estanho e plástico, mistura que impede a sua reciclagem.

Como surgiu o espelho?

Segundo pesquisadores, a primeira tentativa de produção de um espelho ocorreu na Idade do Bronze, cerca de três mil anos a.C.. Através do polimento de metais e pedras, algumas populações do atual Irã foram responsáveis pela fabricação dos primeiros espelhos. Longe de parecer com os objetos atuais, os modelos daquela época refletiam os contornos de uma imagem bastante distorcida.

A partir do século XIII, os espelhos passaram a ser fabricados com maior nitidez. A combinação feita entre uma camada de vidro e uma fina lâmina de metal foi o que permitiu revelar nitidamente as feições de um indivíduo. No entanto, esses objetos eram raros e custavam muito caro.

Em 1660, o rei francês Luís XIV designou um de seus ministros para subornar artesãos venezianos, detentores de uma eficiente técnica de fabricação de espelhos. Essa estratégia permitiu que os franceses tivessem condições de construir o lendário Salão de Espelhos do Palácio de Versalhes. O gesto foi responsável pela popularização dos espelhos.

O barateamento dos espelhos, porém só ocorreu cerca de 100 anos depois, durante a Revolução Industrial. Dessa forma, além de terem viabilizado o estudo de importantes princípios da Óptica Geométrica, os espelhos passaram a ser utilizados em áreas de decoração, com fins utilitários ou apenas para refletir imagens.

Do que é feito um espelho?

O processo de fabricação de um espelho começa com a limpeza e polimento de uma superfície de vidro e envolve reações químicas que proporcionam a formação de elementos como a prata metálica, necessários para que o vidro se torne um espelho. A limpeza do vidro é dividida em duas etapas, a primeira feita com água comum e a segunda mais profunda, feita com água desmineralizada, ou seja, livre de sais minerais.

Após o processo de limpeza, o vidro recebe uma camada de prata metálica, que se forma por meio de reações químicas envolvendo o nitrato de prata, que adere completamente à superfície. Essa é uma das fases mais importantes do processo, já que é neste ponto que o vidro se torna reflexivo. Na última etapa, uma máquina pulveriza tinta preta atrás da superfície do vidro, protegendo o espelho de ações corrosivas. Acontece então a secagem, que é feita em um forno a gás, a uma temperatura de 90 °C.

Para afastar a possibilidade de corrosão, outra camada de tinta preta é aplicada atrás da superfície do espelho. Dessa vez, o vidro é submetido a uma temperatura de 180 °C.

Por quê os espelhos não são recicláveis?

Apesar do alto potencial de reciclagem do vidro, nem todos os tipos de vidro podem ser reaproveitados ou reciclados. Em geral, vidros compostos por diversas substâncias ou fabricados com técnicas próprias tornam o processo de reciclagem muito trabalhoso, custoso ou até impossível de ser realizado. Por receber uma camada de prata metálica em sua fabricação e possuir lâminas traseiras compostas de alumínio, estanho e plástico, o espelho não é reciclável. Além disso, se for descartado junto a outros materiais recicláveis, o espelho pode causar acidentes aos trabalhadores das cooperativas de coleta seletiva.

Para realizar o descarte correto e seguro de espelhos, consulte os postos mais próximos da sua casa no mecanismo de busca gratuito do Portal eCycle. Outra dica é consultar os fabricantes do seu espelho. Segundo a logística reversa, eles também são responsáveis por dar suporte ao descarte dos produtos.


Veja também:

 

Comentários 

 
+1 #1 2014-10-03 18:20
E se, estes materiais não recicláveis como espelhos, vidros temperados e cerâmicas, fossem moídos e acrescentados á massa asfáltica, a fabricação de blocos, tijolos e argamassas de utilização para pisos de baixo impacto???
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×