Como fazer o desmame

eCycle

Entenda como fazer o desmame do seu bebê introduzindo os sólidos aos poucos e com segurança

O desmame é o processo pelo qual os bebês que dependem totalmente do leite são introduzidos aos alimentos sólidos. Entenda como fazer o desmame com segurança:

Como fazer o desmame?

Antes de você aprender a fazer o desmame é preciso lembrar que o ideal é que o bebê mame pelo menos até os dois anos de idade. Se não for possível até essa idade, que seja pelo menos o alimento exclusivo até os seis meses. O leite materno é o alimento ideal para o bebê, e também proporciona benefícios para a mãe, os quais você pode conferir na matéria: Amamentação: 11 benefícios para a mãe e o bebê.

A maioria dos especialistas em saúde recomenda que os bebês comecem a receber alimentos sólidos por volta dos seis meses de idade (2, 3, 4, 5). Seis meses geralmente são recomendados porque os bebês, nessa idade, começam a precisar de nutrientes extras não encontrados no leite, como ferro e zinco (6, 7).

Pequenas quantidades de alimentos sólidos não processados ou minimamente processados podem fornecer esses nutrientes.

Especialistas também sugerem procurar sinais de que um bebê está pronto para o a introdução dos sólidos. Estes incluem (8, 9):

  • Estar sentando bem;
  • Ter bom controle de cabeça;
  • Pode segurar comida na boca e está disposto a mastigar;
  • Pode pegar comida e colocá-lo na boca;
  • É curioso durante as refeições e quer se envolver.

É raro os bebês estarem prontos para os sólidos antes dos seis meses. Se você acha que seu bebê está mostrando sinais de que está pronto para uso com sólidos, mas ainda não tem seis meses, fale com sua pediatra para obter orientação.

Abordagem tradicional versus abordagem conduzida pelo bebê

O desmame é normalmente dividido em duas abordagens principais: tradicional e liderada por bebês.

Não existe uma maneira correta de iniciar o bebê com sólidos. Dito isto, conhecer as vantagens e desvantagens de cada abordagem pode ajudá-la a tomar a melhor decisão para você e seu bebê.

Você também pode combinar esses métodos para determinar o que é mais apropriado.

Desmame conduzido pelo Bebê

Nesse método, os bebês são incentivados a se auto-alimentar desde o início. Você pode introduzir alimentos sólidos como petiscos e permitir que seu filho explore sólidos no seu próprio ritmo.

Prós

  • Incentiva a alimentação independente mais cedo;
  • Os bebês podem ter maior probabilidade de decidir quando estão cheios e menor probabilidade de estar acima do peso a longo prazo (10);
  • Reduz a necessidade de cozinhar separadamente, pois as refeições em família geralmente são apropriadas;
  • Toda a sua família pode comer unida.

Contras

  • Aumenta as preocupações em torno de engasgos e asfixia. No entanto, se forem oferecidos alimentos adequados, o risco de asfixia do bebê não deve ser maior do que na abordagem tradicional (11);
  • É difícil saber quanta comida seu bebê ingeriu;
  • Pode ser confuso;
  • Pode ser mais difícil identificar alergias alimentares, pois vários alimentos são frequentemente introduzidos ao mesmo tempo.

Desmame tradicional

Nessa abordagem, você alimenta seu bebê e gradualmente o apresenta a alimentos mais sólidos. Você começará com purês suaves antes de passar para os alimentos triturados e amassados, depois os petiscos e, finalmente, as pequenas mordidas.

Prós

  • É mais fácil ver quanto o seu bebê comeu;
  • Faz menos bagunça.

Contras

  • Fazer refeições separadas e ter que alimentar seu bebê pode ser demorado;
  • Pode haver um risco maior de superalimentação;
  • Se os bebês se acostumarem demais, pode ser difícil introduzir outras texturas.

Primeiros sabores

Os primeiros sabores são importantes para desenvolver bons hábitos alimentares e expor seu bebê a uma ampla variedade de alimentos.

Ao introduzir novos alimentos, lembre-se de que a quantidade consumida é menos importante do que o número de alimentos experimentados. Nos estágios iniciais do desmame, seu bebê ainda obterá a maior parte de sua nutrição do leite materno (o ideal) ou da fórmula.

Tente fazer disso uma experiência positiva para o seu bebê, permitindo que ele brinque, toque e prove novos alimentos.

Cerca de uma hora após a mamada e quando o bebê não está muito cansado, geralmente é um bom momento para experimentar a comida. Misturar alimentos com um pouco do leite com o qual ele está acostumado pode melhorar a aceitação.

Os primeiros alimentos adequados incluem:

  • Legumes macios e cozidos: brócolis, cenoura, batata, batata-doce, abóbora, abobrinha, ervilha - em purê ou servidos como petisco;
  • Frutas macias: banana, manga, mirtilo, framboesa, abacate, pera ou maçã cozida, ameixa, pêssego - em purê ou servidos como petiscos;
  • Cereais: aveia, arroz, quinoa, milho cozido, purê ou até uma textura adequada e misturada com uma pequena quantidade de leite com o qual ele está acostumado.

Comece com algumas colheres ou duas mordidas uma vez por dia durante cerca de uma semana para avaliar se o bebê quer mais ou menos.

Novos alimentos podem ser introduzidos todos os dias ou mais, e você também pode combinar alimentos. Tente misturar cereal de arroz infantil com pera - ou banana com abacate.

Você também pode começar a oferecer goles de água em um copo para acostumar seu bebê.

Construindo sólidos

Quando seu bebê tiver cerca de seis meses de idade e ingerir regularmente alimentos sólidos, você poderá oferecer uma variedade mais ampla para preparar lentamente até três refeições diárias.

Certifique-se de oferecer texturas diferentes e observe os sinais de que seu bebê está satisfeito.

Você pode começar incluindo:

  • Ovos: verifique se estão bem cozidos;
  • Iogurte natural;
  • Grãos e cereais que contêm glúten: as opções incluem macarrão, cuscuz e cevada;
  • Leguminosas: seu bebê pode gostar de feijões, lentilhas, ervilhas e grão-de-bico;
  • Aperitivos: experimente bolos de arroz, pães e massas cozidas, além de frutas macias (banana, pera, manga, abacate) e legumes cozidos e macios (palitos de cenoura, fatias de batata-doce, brócolis);
  • Nozes e sementes: Certifique-se de que elas sejam finamente moídas ou em pasta. Nozes inteiras não devem ser oferecidas a crianças menores de cinco anos. Observe atentamente se há um histórico familiar de alergias a nozes.

Por volta de 7 a 9 meses, muitos bebês podem administrar três pequenas refeições por dia. Tente incluir uma fonte de proteína, carboidratos e gordura em cada refeição.

Por volta de 9 a 11 meses, muitos bebês podem administrar refeições em família com pequenas mordidas. Também devem ser oferecidas comidas mais duras como abobrinha, maçã, cenoura, bolachas e pão pita.

Nessa idade, a maioria dos bebês pode administrar três refeições diárias e possivelmente uma sobremesa, como frutas.

Com 1 ano de idade, a maioria dos bebês pode comer o que o resto da família come e participar de refeições em família. Nesse estágio, muitos bebês podem consumir três pequenas refeições mais 2-3 lanches diariamente.

Lembre-se de que cada bebê é diferente - ele pode comer mais ou menos, dependendo de suas próprias necessidades.

Alimentos a evitar

Embora seja importante que seu bebê coma uma grande variedade de alimentos, há alguns alimentos que devem ser evitados, incluindo (12, 13, 14):

  • Mel: nunca dê mel a crianças com menos de 12 meses devido ao risco de botulismo, uma forma grave de intoxicação alimentar;
  • Ovos mal cozidos: podem conter bactérias Salmonella, que podem deixar seu bebê doente, com salmonelose;
  • Produtos lácteos não pasteurizados: a pasteurização mata bactérias em produtos lácteos que podem causar infecção;
  • Alimentos ou bebidas açucarados, salgados ou altamente processados: Estes geralmente fornecem muito poucos nutrientes. O açúcar pode danificar os dentes e os rins dos bebês não conseguem lidar com muito sal. Evite adicionar sal às refeições da família.
  • Nozes inteiras: Não dê a bebês e crianças com menos de 5 anos devido ao risco de asfixia. Consulte o sua pediatra antes de introduzir produtos com nozes, se houver histórico familiar de alergias a nozes ou se seu filho tiver outras alergias.
  • Produtos com baixo teor de gordura: os bebês precisam proporcionalmente mais gordura em sua dieta do que os adultos.
  • Leite de vaca: nunca deve ser utilizado como bebida principal ou em grandes quantidades, pois não fornece ferro ou nutrientes suficientes para o seu bebê. Alimentos como tahine e folhas verdes de tom escuro são ricos em cálcio, se é essa sua preocupação.

De acordo com o Guia Alimentar da Criança Brasileira Menor de Dois Anos, "apesar de a prática da amamentação ter aumentado no Brasil, sua duração ainda é menor do que a recomendada. Duas em cada três crianças menores de seis meses já recebem outro tipo de leite, como o leite de vaca, frequentemente acrescido de alguma farinha e açúcar, e somente uma em cada três crianças continua recebendo leite materno até os dois anos de idade". Além disso, de acordo com o mesmo guia, as crianças brasileiras estão recebendo cada vez menos alimentos saudáveis in natura ou minimamente processados. Isso significa que as crianças estão tendo excesso de peso e não estão recebendo os nutrientes necessários. Saiba como diferenciar os tipos de alimentos na matéria: "O que são alimentos in natura, processados e ultraprocessados".

Familiares e empresas podem contribuir

Segundo o Guia Alimentar da Criança Brasileira Menor de Dois Anos, as crianças brasileiras estão enfrentando problemas de sobrepeso ou obesidade e falta de nutrientes necessários devido ao aumento do consumo de ultraprocessados. Isso decorre da falta de tempo da família para o preparo de refeições saudáveis. Esse cenário tem ocorrido por causa das extensas jornadas de trabalho, falta de apoio dos familiares, grandes descolamentos até o trabalho e perda de transmissão de habilidades culinárias entre as gerações. Dessa forma, as empresas e os outros familiares têm papel importante no desmame dos bebês. Reduzir jornadas de trabalho ou facilitar o teletrabalho são boas práticas empresarias para com as mães e pais. O engajamento de outros familiares nas atividades domésticas, como o do próprio pai, também é importante.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×