Iniciativa reutiliza embalagem Tetra Pak para restaurar casas precárias

eCycle

Projeto "Brasil sem Frestas" nasceu no Rio Grande do Sul e já ajudou várias famílias a se protegerem do calor e do frio

O projeto Brasil sem Frestas nasceu em setembro de 2009, em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul. O coletivo confecciona e aplica chapas térmicas de caixa de leite com duas finalidades: melhorar a saúde pública de moradias precárias e evitar que um produto de alta durabilidade e de difícil reciclagem escape para o meio ambiente e cause efeitos nocivos.

A responsável pela iniciativa foi a química Maria Luisa Camozzato. Em uma noite chuvosa e de muita tempestade, Maria Luisa ficou preocupada com a situação das famílias em estado de vulnerabilidade social e começou a pensar em uma solução para o problema. Em Passo Fundo, assim como em diversas outras cidades, inúmeras famílias não possuem condições de comprar material para reformarem suas casas. Até então, essas famílias dependiam do poder público e de doações da comunidade para tornarem seus lares mais confortáveis, um processo lento.

Percebendo o risco que essas famílias corriam, passando frio, calor e convivendo diariamente com o excesso de umidade, Maria Luísa resolveu fazer algo a respeito para mudar essa realidade a curto prazo. Como uma conhecedora do efeito isolante térmico da embalagem Tetra Pak, ela pensou em usar essas embalagens para melhorar a condição de moradia de pessoas que moram em casas sem forro, repçetas de frestas e buracos.

A solução já tinha sido encontrada, porém, sozinha, Maria Luísa, não daria conta. Era preciso ajuda de outras pessoas para arrecadar as caixas de embalagem Tetra Pak, cortar, colar e aplicar. Para isso, um grupo foi montado com a participação de voluntários que se engajaram na ideia. Estava criado, e já batizado, o "Brasil sem Frestas".

Como funciona

O coletivo “Brasil sem frestas” faz o trabalho de confecção e aplicação das chapas térmicas de caixa de leite com duas finalidades: melhorar a saúde pública e evitar que um produto de alta durabilidade e de difícil reciclagem escape para o meio ambiente e cause efeitos nocivos. Para saber mais sobre esse tema, dê uma olhada na matéria: "Embalagem Tetra Pak é reciclável?".

Mas a principal motivação da iniciativa é promover a saúde por meio do aumento do conforto térmico, revestindo as paredes que possuem frestas para evitar a entrada de frio, chuva e calor.

A embalagem Tetra Pak possui seis camadas. Olhando de dentro da caixa para fora, são duas camadas de plástico, uma de alumínio, outra camada de plástico, uma camada de papelão com a impressão da marca e, por último, outra camada de plástico. Dessa maneira, a durabilidade dessas embalagens passa dos 200 anos.

Os plásticos presentes evitam a entrada da água da chuva e protegem o papelão e o alumínio. O alumínio é o principal responsável por manter a temperatura da casa em condições mais habitáveis. No verão, os raios de sol que batem no alumínio são refletidos de volta para fora, o que evita que a casa fique muito quente. No inverno, por outro lado, o alumínio reflete o calor do corpo humano de volta para a casa, evitando que ele escape para fora, o que faz com que a casa permaneça mais quentinha. Além desse efeito, a embalagem Tetra Pak tampa frestas, evitando a entrada de ventos gelados.

Para amenizar a temperatura do ambiente durante o verão (que costuma ultrapassar os 40°C), as chapas de embalagem Tetra Pak, depois de bem lavadas, secas e recortadas de modo a formarem um retângulo, devem ser colocadas abaixo das telhas. Se possível, é indicado preservar uma distância entre as embalagens cartonadas e a telha, de modo que possa se acumular ar no espaço entre a telha e a embalagem. Isso porque o ar é um excelente isolante térmico.

Esse técnica permite que a temperatura abaixe até 8°C.

Um estudo feito pela Unicamp concluiu que as placas (embalagens Tetra Pak) devem ser colocadas com o lado do alumínio para dentro da casa. A parte da estampa da embalagem deve ser grampeada na madeira. As chapas devem ser grampeadas no sentido do telhado, de modo que permita que a água da chuva escorra, para não acumular água nas embalagens de modo que as danifique.

A embalagem Tetra Pak também pode ser utilizada para revestir o chão (com o alumínio voltado para baixo) para impedir a subida de umidade. O alumínio e o plástico formam uma barreira de vapor que impede a subida da umidade, depois é colocado outro plástico para conservar as chapas e, por cima, um tapete comum.

Como fazer

A iniciativa Brasil sem Frestas tem atuação no Rio Grande Sul, mas se você mora em outro estado e precisa fechar as frestas de sua casa ou conhece alguém que precise, você pode dar início a um projeto local. Para isso, é necessário:

  • Encontrar voluntários
  • Coletar embalagens cartonadas
  • Fazer separação por marca ou tipo de embalagem
  • Ter uma escada grande desmontável com cinco ou seis degraus
  • Tesouras
  • Grampeador de estofador
  • Realizar a limpeza e o corte das embalagens
  • Fita isolante para fios elétricos desencapados (sempre fechar a chave geral antes de mexer neles e tomar cuidado para não deixar nenhum fio escondido por baixo das embalagens, nem revestir a parede de trás do fogão)
  • Grampear ou costurar grupos de seis caixas no sentido do telhado

Veja, nos vídeos a seguir, os principais passos para aplicar as embalagens cartonadas na casa:

Como higienizar e cortar as caixas corretamente:

Como revestir a casa com as embalagens cartonadas:

Para saber mais detalhes sobre a iniciativa ou entrar em contato com a idealizadora do projeto, acesse o blog Brasil Sem Frestas.

No vídeo do Manual do Mundo, você também pode visualizar como é possível reduzir a temperatura de uma casa com a utilização de embalagem cartonada:


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail