Fruta-do-conde: benefícios e propriedades

eCycle

A fruta-do-conde, também conhecida como fruta-pinha, foi introduzida no Brasil em 1626

fruta do conde
Imagem: Annona squamosa (Martinique) por Fpalli está licenciado sob CC-BY-SA-3.0

A fruta-do-conde, também conhecida como fruta-pinha e de nome científico Annona squamosa, é uma fruta que cresce em árvores do gênero Annona.

No Brasil, a fruta-do-conde nasce principalmente nos estados do Pará, Piauí, Maranhão, Ceará e Goiás.

A primeira muda da espécie de fruta-pinha foi introduzida em 1626, na Bahia, pelo governador Diogo Luís de Oliveira, o Conde de Miranda, e por isso o nome: "fruta do conde".

Alguns estudos analisaram seus compostos e concluíram que a fruta-do-conde pode proporcionar diversos benefícios no tratamento de diversas doenças e condições.

Benefícios da fruta-do-conde

Previne e ajuda no tratamento da diabetes

Um estudo publicado pela Europe PMC fez análises em cobaias de ratos e concluiu que a suplementação de extrato aquoso da fruta-do-conde pode ajudar no controle do nível glicêmico, na melhora dos níveis de insulina, no metabolismo da gordura e na prevenção de complicações diabéticas. Isso significa que o extrato aquoso da fruta-do-conde pode ser útil no tratamento ou prevenção da diabetes mellitus precoce.

Possui efeito analgésico

Um estudo publicado pela revista Science Direct analisou um composto isolado da fruta-do-conde, chamado de óxido de cariofileno; e chegou a conclusão que esse tipo de composto apresenta efeitos analgésicos (que diminuem a dor) comparáveis ao efeito de medicamentos convencionais.

Possui efeito anti-inflamatório

O mesmo estudo que concluiu que o óxido de cariofileno extraído da fruta-do-conde possui efeito analgésico, também concluiu que a substância apresenta atividade anti-inflamatória semelhante à atividade anti-inflamatória de medicamentos comuns.

Tem propriedades antioxidantes

Um estudo publicado pela Niscair Online Periodicals Repository analisou extratos etanólicos retirados das folhas da árvore da fruta-do-conde. A análise, que testou em cobaias de ratos, chegou à conclusão de que o extrato das folhas da fruta-do-conde apresenta atividade antioxidante moderada no cérebro. De acordo com o estudo, os resultados justificam as aplicações terapêuticas das folhas da fruta-do-conde na medicina indígena.

Tem compostos que atuam contra o vírus do HIV

Uma análise publicada pelo Journal of Natural Products extraiu 14 compostos da fruta-do-conde e conclui que esses compostos possuem atividades significativas contra a replicação do vírus HIV em células de linfócitos.

Entretanto, é importante ressaltar que essa análise fez testes com compostos específicos e diretamente em células. O que não significa, necessariamente, que ingerir a fruta-do-conde pode curar ou diminuir o número de vírus do HIV em seres humanos. Se você possui HIV mantenha seu tratamento médico convencional.

Atenção

Os diversos estudos acima mencionados estudaram e analisaram as propriedades de partes da fruta-do-conde, sejam elas extratos ou compostos químicos, em animais ou em células específicas. Isso não significa que ingerir a fruta necessariamente proporcionará os mesmos efeitos analisados.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail