Óleo de amendoim: propriedades e benefícios

eCycle

O amendoim, que é um petisco tão gostoso, também pode se transformar em óleo vegetal

Amendoim

A planta do amendoim (Arachis hypogaea L.), pertencente à família Fabaceae, é originária da América do Sul. Suas sementes, que também levam o nome de amendoim, e são muito famosas, crescem abaixo da superfície do solo (cerca de 5 cm a 10 cm) e são ricas em óleos e proteínas, podendo ser consumidas cruas. A degustação começou a ser apreciada por indígenas, mas, atualmente, o cultivo se dá em várias partes do mundo.

A planta é de pequeno porte, possui folhas sem pontas e flores amareladas, e é considerada uma leguminosa herbácea. As sementes são geradas dentro de "vagens". A vagem é a cápsula, ou casca, que quebramos para consumir e utilizar a semente presente dentro (que é o amendoim). A semente é composta por cerca de 25% de proteínas e 50% de lipídeos. Alguns ácidos graxos (oleico, linoleico e palmítico), metais (zinco, magnésio e cálcio), vitamina E e ômega 6 estão presentes no amendoim.

O amendoim possui uma grande importância na culinária. É consumido como petisco, pode fazer parte da preparação de tempero, de doces, e o óleo feito a partir das sementes pode até ser usado como biodiesel, segundo estudos.

Obtenção

O amendoim é rico em ácidos graxos e gorduras insaturadas (os principais componentes do óleo vegetal), que pode ser obtido por meio de dois métodos: prensagem mecânica e extração com solvente.

Através do método de prensagem mecânica, os grãos são moídos e prensados a frio, resultando, assim, no óleo de amendoim bruto, que apresenta uma aparência marrom, e após ser bem filtrado, é obtido um líquido límpido e amarelado.

Pelo método de extração de solvente, os grãos são imersos em hexano e é mantido o aquecimento (sob refluxo) durante um determinado tempo, que varia de acordo com a quantidade de grãos. Após o total refluxo, a solução é filtrada e passa por um processo de destilação - o produto final será o óleo de amendoim extraído, límpido e amarelado.

Aplicações e benefícios

O óleo de amendoim apresenta duas principais aplicações: a culinária e a cosmética.

Culinária

Por ser um óleo vegetal, o óleo de amendoim pode ser utilizado na culinária como óleo para fritar alimentos, e não proporciona gosto nem odor de amendoim para o alimento. O seu uso é indicado principalmente por ser rico em vitamina E, ômega 6 e ácidos graxos, ajudando na diminuição dos níveis de LDL, o colesterol ruim. Esses componentes atuam contra as camadas de gorduras que se formam nas veias e artérias, diminuindo a pressão do sangue e evitando entupimentos.

O óleo de amendoim apresenta uma propriedade interessante ao ser aquecido. Normalmente, os óleos vegetais acabam iniciando a degradação de seus nutrientes quando atingem temperatura em torno de 180ºC, porém, o óleo de amendoim só apresenta degradação por volta de 220ºC, preservando mais nutrientes. Por isso, é recomendado como óleo para fritura.

Cosmética

Algumas pessoas dizem que o óleo de amendoim é considerado um óleo "anti-idade". De fato, o óleo de amendoim possui ações cicatrizantes e antioxidantes, que ajudam na regeneração e nutrição da pele, graças à presença de vitamina E. É recomendável diluir o óleo de amendoim em água e aplicá-lo na pele.

Cuidados

O amendoim pode ser alérgico para muitas pessoas. Ele está entre os oito alimentos responsáveis por 90% das alergias alimentares (leite bovino, ovos, soja, trigo, amendoim, nozes, peixes e mariscos) e que podem induzir um choque anafilático (que proporciona risco à vida). No Brasil, ainda não há levantamentos epidemiológicos de alergia ao amendoim, porém, em diversos países, como nos Estados Unidos, é considerado que uma entre 70 crianças possuam alergia ao amendoim.

Devido ao grande problema de alergia, muitas escolas nos Estados Unidos baniram o uso de amendoim, e impuseram uma rotina de lavagem das mãos para os seus alunos. Dependendo do grau da alergia da criança, algumas não podem nem entrar em contato cutâneo com o óleo de amendoim.

Para se ter uma ideia, um rapaz estadunidense de 19 anos, Cameron Fitzpatrick, morreu após comer um cookie que foi feito com óleo de amendoim, em 2013. O cookie não possuía cheiro e nem gosto de amendoim, mas só presença do óleo em sua receita foi suficiente para ocasionar o óbito.

O óleo de amendoim é ótimo e possui excelentes benefícios, mas é importante saber se as pessoas que vão entrar em contato com ele têm algum tipo de alergia.

Você pode encontrar diversos óleos vegetais na Loja eCycle!


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail