Algodão orgânico: diferenças e vantagens

De um simples vegetal até a moda verde

Algodão

A agricultura orgânica tende a ser melhor que a convencional, pois não conta com a utilização de agrotóxicos e pesticidas - o que diminui danos ao solo, ao meio ambiente em geral e ao ser humano. Assim, critica-se muito a agricultura convencional por proporcionar alimentos que podem fazer mal à saúde, mas e quanto aos produtos agrícolas que são usados para confeccionar roupas, como o algodão? Ele pode não ser comestível (algodão doce não conta; aquilo é apenas açúcar) só que ainda assim a plantação do tipo convencional pode causar danos. É por isso que existe uma alternativa.

Mas o que é o algodão orgânico? Quais suas vantagens e benefícios? Veja abaixo algumas questões importantes sobre o esse algodão alternativo.

Diferenças

Lavouras convencionais de algodão podem ser extremamente agressivas ao meio ambiente, aos animais e aos agricultores, pois são as que mais utilizam agrotóxicos no mundo - como se trata de um produto que não é comestível, muitos pensam que não há problemas em exagerar na dose de pesticidas. Tudo isso faz com que cerca de 250 mil agricultores adoeçam a cada ano no mundo.

A cultura orgânica de algodão é uma solução para diminuir o impacto ambiental. Um estudo (baseado nos produtores dos cinco primeiros países que estão no topo dos maiores cultivadores de algodão orgânico do mundo - Índia, China, Turquia, Tanzânia e EUA) mostra que, em comparação à comum, há grandes reduções em: consumo de água, emissão de gases, acidificação, eutrofização e demanda de energia primária. Conclusão: a produção de algodão orgânico se mostrou 46% menos instigante ao aquecimento global do que a de algodão convencional.

Sem contar que todo o setor de orgânicos é inspecionado para ter seu certificado. Mesmo no Brasil, essa certificação é feita por uma agência atestada pela International Federation of Organic Agriculture Movements (IFOAM; em português, Federação Internacional de Movimentações de Agricultura Orgânica).

Algodão

Vantagens

O cultivo do orgânico preserva a saúde do solo graças à utilização do sistema de rotação de culturas (alternar o mesmo espaço com outra espécie de modo que os nutrientes do solo não se esgotem), descartando a necessidade de fertilizantes sintéticos - o que explica seu menor consumo de água. Não há uso de pesticidas, pois as pragas são combatidas com a inserção de espécies predatórias benéficas ou com outro tipo de planta que seja mais atraente para esses insetos; e ervas daninhas são retiradas manualmente e os agrotóxicos são desprezados.

Com tudo isso é preciso de mais gente para trabalhar, gerando mais empregos e capacitando melhor os trabalhadores. O modelo possui uma relação mais justa entre todos os trabalhadores que participam da produção (é a chamada fair trade) em comparação com a produção comum que, ainda hoje e em muitos lugares do mundo, faz uso de mão de obra semiescrava.

No Brasil

A produção e a comercialização não só do algodão, mas da agricultura orgânica como um todo, ainda são pequenas no país, mas aos poucos está ganhando espaço no mercado brasileiro. E, assim como em qualquer outro tipo plantio ecológico no mundo (devidamente certificado), tem seus benefícios econômicos e ambientais, mantendo também a ética no trabalho.

De acordo com um artigo científico, no Brasil a agricultura orgânica tende a ser um negócio familiar, muitas vezes de pequenos produtores que cursaram ensino superior (não que isso seja estritamente necessário; é apenas uma característica que se destacou nesse meio).

A maior parte da agricultura orgânica de algodão nacional se encontra no Nordeste brasileiro, na região semiárida. E é em Campina Grande (PB) que ela tem maior destaque por causa do seu grande desenvolvimento.

Moda verde

Já existem indústrias têxteis mudando seus processos de fabricação e utilizando matérias-primas ecologicamente corretas (fibras sustentáveis, como o algodão orgânico) como uma das formas de reduzir a poluição. Até na indústria da moda algumas marcas já aderiram ao uso desse material sustentável em suas peças. É a chamada moda verde.

A ideia da moda verde é manter a sustentabilidade em todo o seu processo, desde o plantio da semente do algodão até a confecção da roupa. É importante que as indústrias, para manterem esse caminho sustentável, não só utilizem algodão orgânico, como também busquem cada vez mais outras alternativas que dispensem o uso de produtos químicos durante o processo de tecelagem e passem a usar cera de abelha em vez de graxa de parafina em seus teares.

Quando se trata de algodão comum, tanto no início do processo de tecelagem, quando se faz a lavagem das fibras, quanto no processo de tingimento, há a introdução de resíduos tóxicos que depois são liberados e, se não forem tomadas as devidas medidas de segurança, podem fazer mal à saúde (causam alergias ou mesmo câncer de pele) e poluir ainda mais o meio ambiente. E essas substâncias continuarão saindo a cada lavagem que você fizer da sua roupa ou se você começar a suar ou tome chuva, podendo até irritar sua pele. Se pode irritar a pele de um adulto, imagine a de uma criança? E a de um bebê então, que tem uma pele praticamente cinco vezes mais fina que a de um adulto?! O corpo de um recém-nascido pode absorver muito mais fácil essas toxinas.

Já as roupas orgânicas são livres de toxinas - ou seja, antialérgicas -, não prejudicando peles sensíveis. É muito mais indicado (e lógico) vestir um bebê com roupas feitas de algodão orgânico e evitar o contato das toxinas que foram utilizadas para cultivar o algodão comum.

No processo de produção do tecido orgânico, apenas corantes naturais são aplicados para o tingimento. Mas quais são eles? A coloração é buscada a partir de pigmentos naturais de cascas de árvores, folhas e raízes, podendo dar tons mais vivos aos vestuários produzidos. Essa prática tem tido um desenvolvimento cada vez maior para que haja mais opções de cores. Contudo, é preciso ficar de olho nisso, pois pode ser que o algodão seja orgânico, mas o colorido pode ser originário de alguma substância química; para se manter no caminho ecológico, as indústrias devem utilizar tintas sem metais pesados em qualquer roupa, seja jeans, vestidos, calças, saias, camisas ou camisetas - fique sempre atento à certificação.

A água utilizada nas indústrias durante a produção é reaproveitada e tratada. Reduz-se assim o desperdício de água e a poluição do meio ambiente.

Essa moda sustentável ainda proporciona roupas mais duráveis, macias, leves e confortáveis, tudo sempre com muito estilo e ótima qualidade.

Ao comprar roupas de algodão comum, leve em consideração o quanto de água e energia já foram gastas para o seu cultivo e o quanto mais você ainda vai gastar para lavar sua roupa. Pense também se a roupa é importada; mesmo que seja de um país vizinho, há uma grande emissão de gases apenas para transportar essas peças. Não vale a pena incentivar o aquecimento global se você tem um produto alternativo. Optar pelo algodão orgânico não é só ser uma forma de consumo sustentável, mas também saudável. Dê preferência sempre que possível.

Para encontrar peças feitas com material orgânico, clique aqui.


Fonte: greenMe e Use Eco


Veja também:


 

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail