Óleo essencial de melaleuca: poderoso antimicrobiano natural traz diversos benefícios à saúde

O óleo de melaleuca possui propriedades que o tornam uma excelente opção natural no tratamento de diversas doenças

Você pode nunca ter escutado o nome dessa planta, mas ela é uma velha conhecida no outro lado do mundo. Originária da Austrália, existem relatos que há milênios a
melaleuca era muito usada pela tribo de aborígenes Bundjalung, que costumava aproveitar o macerado da planta para alívio de dores. Seus membros também se banhavam no lago em que suas folhas caíam, como uma forma de relaxamento (uma espécie de banho terapêutico). Hoje a melaleuca é cultivada também na Ásia, Europa e América do Sul, sempre em áreas pantanosas e é conhecida com tea tree ou árvore-chá.

A melaleuca pertence à família botânica Myrtaceae (mesma da jabuticaba) e dentre as suas espécies mais conhecidas e estudadas está a Melaleuca alternifólia, valorizada culturalmente devido ao potencial medicinal do óleo retirado de suas folhas, conhecido por ser antibacteriano, antifúngico, antiviral, anti-inflamatório e analgésico. Chamado popularmente como TTO (do inglês tea tree oil) possui coloração amarela clara e forte aroma característico, muito utilizado em produtos farmacêuticos e cosméticos devido às suas propriedades benéficas.

O que é e como é obtido?

Trata-se de uma mistura complexa de mais de 100 componentes, basicamente hidrocarbonetos chamados terpenos e álcoois destilados. A sua obtenção ocorre principalmente por meio da destilação a vapor, um processo físico no qual diversas partes da planta são submetidas ao vapor d'água, que ao entrar em contato com o vegetal penetra na biomassa levando consigo o óleo contido no interior dos vegetais, além de outros componentes voláteis aromáticos e bioativos, tais como os hidrolatos. Ao atingir o condensador, que resfria esse vapor, essa mistura de óleo essencial e hidrolatos passa do estado vapor para o líquido e, em seguida, a etapa final consiste na separação deles por diferença de densidades.

O óleo de melaleuca possui uma atividade antimicrobiana de amplo espectro cujo mecanismo principal de ação atua sobre danos nas membranas das células, embora detalhes sobre ainda sejam desconhecidos. Estudos clínicos revelaram que o óleo essencial de melaleuca mostrou eficácia diante de inúmeras doenças superficiais, incluindo acne, candidíase oral (sapinho) e micoses nas unhas, entre diversas outras.

O componente responsável pela propriedade antisséptica dessa espécie é mais especificamente o terpinen-4-ol, que se apresenta sob forma mais abundante, chegando a compor de 30% a 40% da composição do óleo. Quando comparado com outros agentes terapêuticos, tais como o fenol, apresentou eficiência superior, comprovando que a utilização de matérias-primas naturais, além de serem biodegradáveis, provenientes de fontes limpas, e ecologicamente corretas, pode apresentar melhor desempenho que os sintéticos, muitas vezes prejudiciais à saúde e ao meio ambiente.

Ao mesmo tempo em que essas propriedades vêm sendo bem caracterizadas com o passar do tempo, os dados disponíveis relativos à toxicidade e segurança do óleo de melaleuca são limitados. A experiência de uso ao longo desses anos sugere que seu uso tópico é relativamente seguro, com efeitos adversos mínimos, pontuais e limitados a alguns indivíduos predispostos específicos. Dados publicados indicam que, o uso do óleo de melaleuca em altas concentrações, é toxico e também pode causar irritações na pele.

Concentrações recomendadas

Assim, a fim de se preservar a margem de segurança de uso do produto, é recomendável seu uso externo local diluído em água, embora ainda não haja um consenso sobre a quantidade máxima recomendada - a experiência tem mostrado que é razoável a concentração máxima de 5%, o que equivale a 100 gotas de óleo de melaleuca a cada 100 ml de água, mas concentrações a partir de 0,1% (2 gotas de óleo a cada 100 ml de água) já têm se mostrado eficientes em muitos tratamentos. Simplificando, use no máximo uma gota do óleo essencial para cada ml de água. E como já dito, evite sua ingestão, a menos que seja sob orientação médica.

Efeitos indesejáveis

Foram relatados alguns efeitos adversos após a aplicação do óleo de melaleuca no tratamento de acne, que merecem atenção especial: coceira (prurido), vermelhidão, queimação, e ressecamento local. No entanto, a utilização do óleo de melaleuca apresentou menor percentual de relatos desses efeitos comparativamente a outros produtos sintéticos, tais como peróxido de benzoíla (44% contra 79%), demonstrando que o item natural produz efeitos mais amenos e menos agressivos, sendo uma boa alternativa aos produtos convencionais, que utilizam muitas vezes antibióticos e outros químicos agressivos que podem causar mais efeitos colaterais.

O que torna o óleo essencial de melaleuca ainda mais importante é o fato de, nas últimas décadas, ter havido um aumento crescente na dificuldade de tratamento de doenças bacterianas devido ao uso indiscriminado de antibióticos - o que resultou na procriação de linhagens resistentes.

Todas essas vantagens apresentadas implicam em aumento de bem-estar, nível de conforto, e qualidade de vida, além de diminuição dos custos e do tempo de hospitalização dos pacientes expostos a esse tratamento alternativo. Mas mesmo sendo um produto natural, é sempre recomendável a consulta de um médico antes de iniciar seu uso.

Propriedades comprovadas

O óleo de melaleuca possui diversas propriedades que o possibilita ser utilizado como cosmético e até para fins medicinais. Entre suas propriedades, estão:

  • Curativas
  • Antissépticas
  • Analgésicas
  • Anti-inflamatória
  • Antiespamódica

Foram expostos ao óleo de melaleuca organismos como as bactérias Escherichia coli (bactéria que pode causar diarreia, infecção urinária e até mesmo meningite), Staphylococcus aureus (bactéria causadora de pneumonia, furúnculo, infecções na pele e coração) e Candida albicans (fungo causador da candidíase oral e vaginal). Como esses organismos são permeáveis ao óleo, ele inibe a respiração das células e a alteração na estrutura e na integridade de suas membranas – o rompimento dessas membranas ocasiona vazamento do material intracelular. Isso leva à morte das bactérias e consequente interrupção das doenças. Além disso, a composição química do óleo de melaleuca é bastante complexa, a ponto da bactéria não conseguir modificar seu sistema enzimático para se adaptar aos efeitos do óleo na tentativa de sobrevivência.

No caso de fungos, foram observados os mesmos efeitos aos ocorridos com as bactérias, além da inibição de seus processos de crescimento. O potencial do óleo de melaleuca também tem sido aplicado em estudos com vírus, e os resultados são positivos. Há inibição do crescimento do vírus HSV1 e HSV2, causador da herpes em humanos, sendo que a taxa de eficácia depende da fase do ciclo replicativo do vírus no momento em que o óleo é aplicado. Houve também diminuição do crescimento de protozoários, como o Leishmania major (causador da leishmaniose) e Trypanosoma brucei (causador da “doença do sono”).

Estudos realizados na Universidade de Roma comprovaram eficiência do óleo de melaleuca contra ácaros, mais especificamente os carrapatos, que também são amplamente combatidos com produtos sintéticos, cujo uso indiscriminado também vem ocasionando a resistência desses ectoparasitas.

Aplicações

Devido a essas propriedades antissépticas já relatadas, o óleo essencial de melaleuca é muito utilizado como conservante nas formulações, constituindo um ótimo substituto natural aos sintéticos que podem trazer muitos malefícios à saúde.

Ele combate sim infecções por bactérias e fungos na pele, regenera machucados e promove cura dos tecidos. Contudo, é importante ressaltar que problemas e condições persistentes devem ser tratadas por um médico. Para as pessoas de pele sensível, é bom diluir o óleo em azeite de oliva ou mesmo um óleo de massagem, já que é formulado especialmente para ser absorvido pela pele.

Dentro dessas características, existem inúmeras aplicações para o óleo essencial que podem ser muito úteis no dia a dia, e citamos algumas a seguir. Lembrando que sua ingestão via oral não é recomendada, e sim sua aplicação tópica (local). É importante que não seja ingerido, pois algumas pessoas podem ser alérgicas ao ativo eucaliptol. Os animais de estimação também não devem ingerir.

As sugestões de uso diluído se referem a soluções de no máximo 5%, ou seja, 1 gota de óleo para cada ml de água:

Acne

Usar o óleo puro ou acrescentar água morna e depois enxaguar. Pode-se acrescentar algumas gotas à espuma do sabonete na hora de lavar;

Amaciante

Uma colher de chá de óleo por máquina (é especialmente boa para as famílias que usam fraldas não-descartáveis, por matar os fungos e bactérias);

Assaduras em bebês

2 a 3 gotas misturadas em óleo vegetal (evite óleos comerciais da farmácia, pois contem parafina ou óleo mineral, que causam deficiência de vitamina A);

Bolhas

Lavar a área e aplicar com um algodão de duas a quatro vezes ao dia, durante quatro dias. Pode-se colocar também uma gaze embebida no óleo essencial e deixá-la sobre a bolha por 12 horas;

Carrapatos

Aplicar diretamente sobre o inseto e aguardar 20 minutos. Caso ele não se solte por conta própria, retire com cuidado, não deixando nenhuma parte de seu corpo ficar na pele. Deposite unte 3 vezes ao dia por uma semana;

Caspa

Para problemas capilares em geral: caspa, queda (quando ocasionada por fungo ou bactéria), couro cabeludo seco, oleoso ou com coceira, etc. O recomendado é de 2 a 4 gotas de óleo de melaleuca a cada 100 ml de xampu, preferencialmente de base neutra;

Cortes

Lavar e aplicar o óleo diretamente duas a três vezes no primeiro dia. Durante o restante de uma semana, duas vezes ao dia;

Dores de Ouvido

Untar a parte externa do ouvido com duas a três gotas de óleo;

Herpes

Aplicar diretamente sobre as feridas, diariamente, durante uma semana;

Limpeza da casa

A partir dessa lista de Compostos Tóxicos presentes em produtos de limpeza, podemos entender como é importante recorrer a alternativas naturais. Uma delas é a seguinte receita:

Mau hálito ou afecções bucais (aftas, sapinho, etc)

Adição de 1 ou 2 gotas do óleo no creme dental ou gargarejo com água morna;

Pé de atleta/frieira/micose

Acrescentar duas a três gotas a um óleo vegetal ou hidratante corporal e aplicar pelo menos uma vez ao dia. Outra solução é deixar os pés descansando em solução diluída com água morna em torno de 20 minutos por dia, até desaparecerem os sintomas;

Picadas de Inseto

Aplicar diretamente e várias vezes ao dia;

Piolhos

Adicionar de 10 a 15 gotas em 60 ml de xampu infantil é o suficiente; é capaz de matar os parasitas além de tratar as inflamações causadas, amenizando-as;

Psoríase, eczema, etc

É recomendado a imersão de todo o corpo em uma banheira cheia com uma colher de chá de óleo de melaleuca. Desinfeta e acalma a pele como um todo;

Pulgas

Misturar 10 gotas de óleo em 230 ml e espalhar na pelugem do animal -  o que também é saudável para a pele dele. Deve ser feito diariamente até o controle da situação. Sabendo de pulgas ainda na região, continue borrifando uma ou duas vezes ao dia;

Queimaduras

Não-oleoso e volátil (evapora rápido na pele), ele é ótimo para queimaduras, pois em 10 minutos todo o óleo que não foi absorvido evapora e deixa a pele "respirar". É importante ser rápido no tratamento de queimaduras - compressa de gelo ou água fria corrente durante um minuto ajudam muito. Alternar entre as aplicações de água e óleo por dez minutos, que pode ser pingado diretamente e duas vezes ao dia por três a quatro dias, se necessário;

Queimaduras de Sol

Diluir uma parte do óleo essencial de melaleuca para dez partes de azeite de oliva ou óleo de coco e espalhe em abundância. Alivia e evita o descascamento da pele;

Repelente de Insetos

Uma mistura de 15 gotas de óleo essencial de melaleuca e 250 ml de água em uma garrafa spray. É preciso espirrar algumas vezes ao dia por vários dias, por exemplo na porta de entrada de formigas em sua casa. Alternativas naturais não são rápidas como as químicas, mas também não matam um pouquinho de você no processo. Outra boa alternativa é o óleo de cravo;

Sinusite e Asma

Espalhar algumas gotas do óleo essencial pelo nariz e/ou peito. Ou pingar cinco gotas em uma vasilha com água fervente ou um nebulizador;

Unhas

Tratamento de micoses ou mesmo para corrigir imperfeições na superfície - aplicar a solução diluída diretamente utilizando uma haste flexível;

Agora que você já conhece todos os benefícios e propriedades desse item natural indispensável no seu kit de primeiros socorros, já pode desfrutar desse incrível antisséptico, estando sempre atento se está disposto sob forma pura. É preciso certificar-se também que o óleo é obtido mesmo da espécie M. alternifólia, já que se sabe que muitos produtos comercializados como óleo de melaleuca não são obtidos dessa espécie, ou estão fora dos padrões internacionais de composição. Saiba onde comprá-lo aqui.

Mas, como tudo na vida, é necessário utilizar com critério, fazendo uso consciente e quando for realmente necessário, de preferência sempre consultando antes um profissional qualificado, tais como médicos dermatologistas ou veterinários dependendo do caso.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail