Impermeabilizante natural, cortiça serve de revestimento para guarda-chuva sustentável

Empresa portuguesa Pelcor criou três modelos utilizando cortiça. Design impressiona, mas preço é caro

Compostos impermeabilizantes são potencialmente danosos ao meio ambiente devido aos químicos envolvidos no processo de produção (veja mais aqui). Alguns deles revestem abrigos anti-chuva e até guarda-chuvas. Mas a fabricante portuguesa Pelcor inovou ao lançar modelos de guarda-chuva feitos a partir de cortiça, material muito abundante na terrinha, além de ser elástico, renovável, e um ótimo impermeabilizante natural.

A marca desenvolveu três modelos. O primeiro é menor (lembrando uma sombrinha) e tem o nome de Little Umbrella (pequeno guarda-chuva - tradução livre). Segundo a fabricante, ele possui um "look mais moderno", armação em preto, alça fina, capa também de cortiça e abertura automática. O segundo foi batizado de Tall Umbrella (guarda-chuva comprido - tradução livre), mais largo e com estrutura metalizada, capa e abertura automática. O terceiro também é grande e se diferencia apenas por conter o cabo e a estrutura na cor preta.

O único problema é o preço: o modelo mais barato sai por € 150 (cerca de R$ 380), enquanto o mais caro esta à venda por € 180 (cerca de R$ 450). Se você estiver disposto a gastar essa quantia no produto, a companhia faz a entrega no Brasil. Clique aqui para adquirir os guarda-chuvas.

Impermeabilizante natural e renovável

A cortiça é retirada do súber de determinadas espécies de árvore. Após esse processo, ela se desenvolve novamente na copa das plantas em questão, o que garante pouca agressão do processo ao meio ambiente. Sem contar que se trata de um produto natural (veja mais aqui).

Veja também:
-Cadeira de balanço carrega aparelhos eletrônicos com força do movimento
-Artista cria lustres reaproveitando bicicletas


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail